MÉTODOS DE ESTUDO JAPONESES: Técnicas que ajudam diminuir a procrastinação e aumentar os resultados

Em algum momento da fase escolar, todas as pessoas já se encontraram na dificuldade de focar nos estudos ou mesmo compreender alguma matéria, seja por falta de interesse ou mesmo confusão durante o aprendizado. Apesar disso, para todas as situações há uma solução, essa que se encontra na forma de métodos de estudo melhor aplicados a cada indivíduo.
Ao iniciar a aprendizagem de matérias, é importante conhecer a si, visto que cada um possui uma maneira diferente de aprender, seja por escrito, leitura, fala ou escuta. Esse sempre será o primeiro passo para o conhecimento, assim, descubra o modo que te faz entender e lembrar o conteúdo.
Após essa etapa, é recomendado que procure um local confortável, tranquilo e silencioso para começar os estudos, buscando estar longe do que o distrai, como televisão, pessoas e celular. A partir de então, é possível aplicar algumas das técnicas de estudo japonesas para melhorar seu desempenho e diminuir a procrastinação, sendo elas: Kaizen, Kanban, Kumon e Yoshuu.

Kaizen

É recomendável que se procure um lugar confortável e silencioso (divulgação)

O Kaizen é traduzido para o português como “mudar para melhor”, sendo um método desenvolvido pelo consultor de gestão Masaki Imai, como forma de aperfeiçoar a produtividade e qualidade das tarefas no meio industrial, reduzindo ineficiências. Contudo, embora criado voltado à indústria, esse  sistema se mostra eficaz tanto no trabalho quanto nos estudos e na vida pessoal, sendo essencial na organização das tarefas diárias.
Sua aplicação deve ser feita levando em conta os cinco “S”:
Seiri: definir as tarefas entre útil e inútil;
Seiton: ordenar as atividades consideradas úteis;
Seiso: manter a ordem e a limpeza;
Seiketsu: cuidar da higiene local e pessoal;
Sheitsuke: ser disciplinado e promover o autocontrole para então manter a metodologia.

No estudo, o Kaizen deve ser utilizado como uma forma de planejar os conteúdos, sendo necessário dividir o que é preciso estudar do menos complicado, organizar a semana de acordo com as matérias, limpar seu ambiente de estudo e se manter disciplinado para seguir seu planejamento, evitando, assim, a procrastinação e a distração em cima de assuntos irrelevantes ou mesmo aparelhos tecnológicos.

Kanban

A técnica kanban é mais conhecida por seus cartões de tarefas (divulgação)

A técnica Kanban é mais conhecida pelos seus cartões de tarefas coloridos e suas colunas categorizadas em “a fazer”, “fazendo” e “feito”. Criada pelo engenheiro da Toyota, Taiichi Ohno, visando controle de fluxo de produção e estoque, essa metodologia auxilia como uma forma visual de monitorar todas as tarefas, sendo ideal como uma etapa posterior ao Kaizen, nos estudos, já que o Kaizen ajudará no planejamento semanal, enquanto que o Kanban pode dividir o conteúdo de cada matéria.
Por exemplo, se foi decidido estudar História na segunda-feira, tente dividir os assuntos dessa matéria no Kanban, de modo a separar o que deve ser estudado do que já foi visto.
Esse método também pode ser utilizado na sua vida pessoal ou  profissional, dividindo suas tarefas domésticas diárias ou serviços do emprego. Dessa forma, é mais fácil almejar o seu objetivo e ter a certeza de  que o fará, além do mais, quem não ama ver que suas atividades estão chegando ao fim e que em breve poderá descansar?

Kumon

Kumon está mais ligado à técnica que a escola (divulgação)

Ao falar sobre Kumon, muitas pessoas relacionam a palavra com a  instituição de ensino popular por seu método diferenciado de aprendizado, apesar disso, seu conceito está mais ligado à técnica do que à escola.
Sua origem é datada em 1954, desenvolvida pelo professor de matemática, Toru Kumon, essa nova maneira foi elaborada como forma de autoinstrução exercida inicialmente pelo seu filho, Takeshi, que encontrava muita dificuldade na aprendizagem e pouco tempo disponível do pai para auxílio. Seus benefícios vão além do ensino, se mostrando como uma ótima forma de desenvolvimento individual, independência, aumento da concentração e incentivo para o estudo diário.
Para iniciar o método Kumon na sua rotina, é ideal realizar tanto exercícios repetitivos simples quanto os mais complexos, anotando o tempo para a realização de cada atividade e sua correção, a partir de então, será percebido o seu nível de dificuldade e concentração, segundo a duração tanto da tarefa quanto da correção. Além disso, busque exercitar a mente todos os dias, mesmo  que  pratique por alguns minutos. Essas etapas serão fundamentais para o começo de  um novo hábito e a melhoria do seu desempenho nos estudos.

Yoshuu

Yoshuu funciona como uma espécie de revisão diária (divulgação)

O Yoshuu é uma prática de estudo comum no Japão, porém pouco aplicada no Brasil, sendo conhecida como uma forma de preparação para a aula, de modo que os alunos comecem o conteúdo lembrando os conceitos básicos ensinados anteriormente.
Esse método funciona como um tipo de revisão que deve ser realizado diariamente, auxiliando na memorização e no hábito de estudo diário.
Outras técnicas muito executadas no Japão são:
Fukushuu: a forma de revisar tudo o  que aprendeu na semana, em um dia;
Jishuu: quando o aluno busca informações mais aprofundadas sobre um conteúdo de seu interesse ou de sua escolha.

Independentemente dos métodos de estudo escolhidos, o importante é saber reconhecer suas dificuldades e trabalhar em cima delas, para que então seu rendimento escolar ou universitário aumente consideravelmente a ponto de se tornar facilidade.
O hábito de estudar pode ser adquirido, basta persistir que logo deixará de ser exaustivo, então tente, se esforce e alcance seus objetivos.

(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...