Mesa-tenista profissional ganha dinheiro?

Hugo Calderano, o brasileiro mais bem pago na atualidade (CBTM)

Muitas são as especulações de quanto ganha um atleta profissional de tênis de mesa, porém, difícil mensurar com segurança, já que os contratos com os clubes até podem ser verificados, premiação em dinheiro também, mas os patrocínios em paralelo são muito diferenciados.
Segundo fontes confiáveis, o melhor atleta do mundo, o chinês Ma Long, ganhou, no ano passado US$ 20 milhões, mas ele é o atual campeão olímpico e o tri mundial, portanto, o maior salário do mundo. Lembrando que na China o tênis de mesa é muito popular, como o nosso futebol aqui. Mas se comparado a outras modalidades, é muito pouco, já que os prêmios em competições não são atraentes como no tênis e golfe.
Na Europa, o alemão Timo Boll é o que mais recebe, cerca de 60 mil euros mensais, mas tem muitos contratos de patrocínios, joga pelo Borussia Dusseldorf e é dono do contrato mais alto com a Butterfly, maior empresa do mundo neste esporte.
No Japão, a famosa atleta Ai Fukuhara foi a que mais ganhou dinheiro, porém, com inúmeros contratos com empresas não ligadas a modalidade, como loja de roupas, companhia aéreas, emissoras de TV, cerca de US$ 200 mil mensais segundo jornalistas japoneses.
Deixando bem claro que são números aproximados, pois os oficiais não são divulgados oficialmente.
Nas Américas, claro que Hugo Calderano, número 6 do mundo é o que mais recebe: do seu clube alemão, da marca de materiais que ele representa, “bolsa atleta pódio” do governo federal, da marca de fabricante de automóveis, de produtos eletrônicos, etc.
Valor aproximado? Bolsa Atleta uns 15 mil reais por mês, qualquer marca esportiva ofereceria mais de 50 mil mensais, clube alemão mais de 40 mil euros por temporada (7 meses), e demais patrocinadores. Mas como já informei, valores extra-oficiais, mas o suficiente para atrair mais praticantes para a modalidade.
Aqui no Brasil, é muito difícil viver como mesa-tenista profissional, por isso a maioria dos atletas da seleção brasileira joga e vive na Europa.
Os Jogos Abertos do Interior de SP, eram a maior fonte de renda dos atletas, assim como os jogos de Santa Catarina e Paraná, mais o bolsa atleta do governo que também ajudava muito a manutenção deles no alto nível, mas agora com a crise financeira dos municípios, eles não apoiam muito o esporte amador.
Portanto, sem uma boa estrutura e politica esportiva adequada, mesmo sediando os Jogos Olimpicos em 2016, estamos caminhando de uma forma lenta e a espera de talentos individuais para conquistar mais medalhas na próxima Olimpiada.

Comentários
Loading...