Limpeza no Japão: Como o país possui ruas tão limpas sem a necessidade de lixeiras

Ao tratar de higiene e disciplina, os japoneses são destaques mundiais. Visto que a limpeza no Japão não se compara a qualquer outro país. Uma vez que suas ruas são livres de sujeira, embora não haja presença excessiva de lixeiras.
Quando paramos para pensar sobre isso, nos perguntamos o que o lá tem de diferente daqui ou de qualquer outro lugar no mundo? Seria a obediência, costume ou educação? Ou quem sabe um pouco de tudo?
Para entender melhor a situação da limpeza no Japão, separamos abaixo uma lista do que os torna distintos de outros locais. Assim, talvez, sejamos capazes de mudar nossos hábitos e fazer a nossa parte pelo nosso país e pelo meio ambiente.

Porque a limpeza no Japão é diferente de outros países
A limpeza no Japão pode ser resumida em apenas algumas palavras, sendo elas: respeito, empatia, costumes e educação. Sendo o último termo o responsável por todos os outros. De modo que a admiração pela profissão de professor é extremamente compreensível.
Isso porque, ainda nas escolas, os alunos japoneses aprendem a manter um ambiente limpo. Havendo um rodízio de quem deve fazer cada tarefa, com dias e horários bem definidos. Pois, não havendo faxineiros, essa é maneira dos estudantes manterem o seu local de estudo limpo e confortável. Aprendendo a trabalhar em equipe e ser responsável.
Apesar disso, a educação nas escolas não são os únicos motivos.
“Um pássaro não suja um ninho de que está prestes a sair”: essa é uma expressão japonesa que já resume muito do conhecimento da população. Já que por meio disso, há o aprendizado de que deve haver cooperação na limpeza e cada indivíduo deve se responsabilizar pelo seu próprio lixo;
Não há muitas lixeiras públicas: havendo a necessidade de ser responsável pelo lixo que produz, cada cidadão carrega consigo seu lixo. Jogando apenas ao encontrar uma lixeira próxima às lojas de conveniência ou máquinas automáticas. Além disso, há quem descarte apenas na própria residência;
A higiene está na rotina: por consequência da preocupação com a reputação e a quantidade de germes que a falta de higiene pode causar, muitos colaboram com a limpeza e evitam entrar com sapatos em casas e estabelecimentos;
Separação de lixo organizada: cada província tem seu modo de separação de lixo, porém sempre é bem organizado. De modo que seu lixo é mais que apenas orgânico ou reciclável;
Vizinhança atenta: havendo a necessidade de colaboração e nenhum gari, os vizinhos se atentam a quem realiza a limpeza de sua calçada e a higiene correta das embalagens a serem descartadas.

Origem do costume no Japão
Quem leu até aqui, pode ter se assustado com o último tópico. Visto que os vizinhos alertas podem ser tidos como intrometidos, em muitos países. Porém não quando se trata da limpeza no Japão.
Isso porque com a vizinhança atenta, não há quem cometa o erro de não cumprir sua parte. Já que manter sua calçada suja e não cuidar do seu lixo interfere no ciclo e costume de higiene dos japoneses.
Esse hábito de limpeza, pode ser explicado pelos ensinamentos zen budistas. Esses que mostram que a limpeza exterior interfere no espírito. E todas as atividades rotineiras devem ser realizadas tais como uma meditação.

| Veja também Método Marie Kondo de organização: Aprenda o método simples e eficaz que tem ganhado fama no mundo

Além disso, há o conhecimento sobre impureza interior, algo da antiga religião xintoísta praticada no Japão, que só pode ser purificada com a limpeza do ambiente e do espírito.
Sendo assim, para que tudo ocorra de acordo, cada cidadão deve fazer a sua parte, ter disciplina e noção de não incomodar ao próximo. Pois com o erro de um indivíduo, muitos outros ao redor podem ser atingidos.
Então por que não tentar fazer a nossa parte com o básico? Basta separar corretamente nosso lixo, não jogar o que produzimos, nas ruas e manter os ambientes limpos. Com poucos atos já somos capazes de mudar muita coisa no país e melhorar nossa qualidade de vida.
(Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...