Lei de autoria de Aurélio Nomura destaca importância sobre castração de animais de estimação

(Divulgação)

Uma lei do vereador Aurélio Nomura promulgada dia 1º de julho visa conscientizar a população sobre a importância da castração e combate ao câncer dos animais de estimação. A proposta é mobilizar o Poder Público e a comunidade para, juntos, concentrar esforços com o objetivo de realizar campanhas educativas de esclarecimento à população sobre os benefícios desses dois procedimentos.
“Castrar o animal de estimação é uma decisão muito importante, não apenas para quem tem um cão ou gato em casa, mas para todos que amam os animais e ficam indignados ao ver que eles são abandonados por estarem doentes ou porque os donos não quererem os filhotes”, afirma o vereador Aurélio Nomura.
Atualmente existe uma grande preocupação com o controle populacional de cães e gatos, e a castração é uma das formas de evitar que animais (principalmente filhotes) sejam abandonados diariamente nas ruas, nas portas de clínicas veterinárias, nos pet shops, e nas ONG’s de proteção animal.
“Além de evitar ninhadas indesejadas, a castração também se torna uma questão de saúde. Castrando o animal o dono estará prolongando a vida dele e proporcionando mais qualidade de vida”, explica o autor da Lei. “Durante a Semana da Conscientização à Castração e Combate ao Câncer em Animais, a ser realizada no mês de agosto, pretende-se, por meio de campanhas de conscientização, informar os responsáveis sobre a importância de levar os pets ao médico-veterinário de sua preferência para que o profissional acompanhe a saúde dos mesmos e possa identificar possíveis riscos”, completa.
A Lei do vereador vem reforçar a divulgação do Programa Permanente de Controle Reprodutivo de Cães e Gatos do Município de São Paulo (Lei Municipal nº 13.131/2001) que prevê o controle de natalidade de animais por meio da realização de esterilização cirúrgica.
“A conscientização é, sem dúvida, fundamental para diminuir a superpopulação de animais nas ruas, prevenir o aumento do câncer e prolongar a vida e vitalidade de todos os animais. A castração só traz benefícios para os animais”, destaca o vereador Aurélio Nomura.

Campanha quer conscientizar donos de animais de estimação (divulgação)

Câncer em animais – O câncer em animais doméstico é mais comum do que se imagina e de acordo com especialistas já é a principal causa de morte entre cães e gatos nos países desenvolvidos – situação que não é muito diferente no Brasil. Os estudos relacionam o aumento da longevidade dos animais ao aparecimento de doenças complexas como o câncer. Atualmente, é comum eles viverem 15, 16 anos fato que, de forma natural, reduz sua capacidade imunológica, além de passarem a enfrentar dificuldades com a dieta e sofrerem os efeitos da poluição.
Já está comprovado, por exemplo, que cães e gatos que convivem com fumantes correm mais riscos de ficar doentes.
Estudos mostram que os tumores de pele de mama são os mais comuns em cães e gatos. O câncer de mama afeta, principalmente, os animais não castrados ou que são medicados com anticoncepcionais injetáveis ou orais. De acordo com os veterinários, o ideal é que os animais sejam castrados novos – no caso das fêmeas, antes do primeiro cio, ou seja, antes dos oito meses de idade. Se a castração for feita nesse período, a chance de a fêmea ter câncer de mama diminui muito.
De acordo com dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária do Distrito Federal, o câncer de mama já corresponde a 52% dos casos da doença em cadelas e de 17% nas gatas. Porém, apesar de afetar mais as fêmeas, a doença também pode acometer os machos, chegando a 1% dos casos de câncer no animal.
(da Redação)

Comentários
Loading...