Japão compila novo pacote econômico de 73,6 trilhões de ienes para combater o vírus

08/12/2020 – 14:24:08 JST – TÓQUIO – O primeiro ministro Yoshihide Suga disse terça-feira que o governo japonês compilou um pacote econômico adicional no valor de 73,6 trilhões de ienes (US$ 707 bilhões), incluindo fundos privados para ajudar a aliviar o impacto da pandemia do coronavírus.

O Primeiro Ministro Yoshihide Suga (2º de esquerda) participa de uma reunião do governo e dos partidos governantes em 8 de dezembro de 2020, em Tóquio. (Kyodo)

Previsto para ser aprovado pelo Gabinete no final do dia, o pacote incluirá extensões de programas de subsídios destinados a promover viagens domésticas, estimular o consumo e ajudar as empresas a manter o emprego, bem como incentivos para a digitalização e redução de carbono, de acordo com as autoridades.

“Manteremos o emprego, manteremos as empresas em atividade, revitalizaremos a economia e abriremos um caminho para o crescimento, inclusive através de tecnologias verdes e digitais”, disse Suga em uma reunião do governo e dos partidos no poder.

Para ajudar a financiar o estímulo, os gastos fiscais de cerca de 30,6 trilhões de ienes serão assegurados em um terceiro orçamento suplementar para o ano fiscal 2020 até março próximo e em um orçamento inicial para o ano fiscal 2021. Espera-se que ambos obtenham a aprovação do Gabinete ainda este mês, disseram as autoridades.

O pacote é o primeiro elaborado para combater a pandemia desde que Suga tomou posse em meados de setembro. Ele vem à medida que o Japão tem visto um número recorde de novos casos de coronavírus, pacientes gravemente doentes e número de mortes diárias nas últimas semanas, levantando a preocupação com a pressão sobre os sistemas médicos.

Lançada em julho, a campanha governamental de subsídios “Go To Travel” continuará até junho do próximo ano, além de sua data original de término no final de janeiro. O programa foi criticado recentemente por dar prioridade à revitalização da economia em vez de impedir a maior disseminação do vírus.

O governo estenderá até o final de fevereiro uma medida especial para aumentar a assistência financeira às empresas que foram forçadas a dispensar funcionários devido ao agravamento das condições comerciais em meio à pandemia. A medida deveria ter expirado no final do ano.

O governo também aumentará os subsídios para ajudar os governos locais a compensar as perdas sofridas pelos restaurantes e bares que atendem aos pedidos de redução de seu horário de funcionamento. O apoio financeiro às instituições médicas também será levantado para que elas possam garantir mais leitos para os pacientes da COVID-19.

Entre as medidas políticas para apoiar o crescimento econômico a longo prazo, 2 trilhões de ienes serão destinados à criação de um fundo para empresas que desenvolvem tecnologias verdes, tais como baterias de próxima geração, combustível de hidrogênio e reciclagem de carbono durante a próxima década, uma vez que o país busca alcançar neutralidade de carbono até 2050.

Cerca de 1 trilhão de ienes será reservado para promover a digitalização.

Até agora, no atual ano fiscal, o parlamento do Japão já aprovou dois orçamentos extras totalizando 57,60 trilhões de ienes para financiar medidas de estímulo econômico na luta contra a pandemia.

Entre as medidas anteriores estavam a distribuição de 100.000 ienes em dinheiro a todos os 126 milhões de residentes do Japão.

Como resultado, o orçamento total do Japão para o ano fiscal de 2020 aumentou para mais de 160 trilhões de ienes mesmo antes da compilação de um terceiro orçamento extra, alimentando o medo de uma maior deterioração de sua saúde fiscal.

A dívida pública do país já ultrapassou 1.100 trilhões de ienes no final do ano fiscal de 2019, mais do dobro de seu produto interno bruto – a pior relação entre os principais países desenvolvidos.

==Kyodo

Comentários
Loading...