HAICAI BRASILEIRO: Rocio – Café maduro – Dia do Trabalho

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.
Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.
Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.
A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura Francisco Handa.
Envie suas cartas para:
Haicai Brasileiro
A/C Jornal Nippak
Rua da Glória, 332
CEP 01510-000 São Paulo-SP
E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br
Cc. ashiguti@uol.com.br


TEMAS DE MAIO
Rocio – Café maduro – Dia do Trabalho

Dia do Trabalho.
No jornal amarelado,
notícias de emprego.
Antonio Seixas
Magé, RJ

o capim da trilha
a brilhar com o rocio
meus passos molhados
Carlos Viegas
Brasília, DF

Passeio bem cedo…
O rocio se equilibra
na teia de aranha.
Cristiane Cardoso
São Paulo, SP

Diz o agricultor:
Os grãos de café maduro
estes bem vermelhinhos.
Cristiane Cardoso
São Paulo, SP

Na folha da árvore
vagaroso movimento –
da gota de rocio
Daniel Morine
Santos, SP

Não há fregueses.
Neste Dia do Trabalho,
uma angústia no ar.
Danita Cotrim
São Paulo, SP

de madrugadinha
a relva toda agraciada
com gotas de rocios
Débora Novaes de Castro
São Paulo, SP

Dia do Trabalho –
em tempos de confinamento
Como comemorar?
Elisa Campos
São Paulo, SP

Galhos a vergar
cheios de café maduro –
Debulha está próxima
George Goldberg
Londres, Inglaterra

Nova variedade!
Longa haste amarela
de café maduro.
Irene Fuke
São Paulo, SP

Café maduro –
Imigrantes na colheita
relembram o avô
Jô Marcondes
Irati, PR

ah, velho quintal
o café arábica maduro
preteja no chão
José Marins
Curitiba, PR

alameda úmida –
rocio deixa suas marcas
pelo caminho
Madô Martins
Santos, SP

Dia do Trabalho –
Na cadeira de balanço
lembro do meu pai
Regina Alonso
Santos, SP

Retrato do avô
Colhendo café maduro –
Parede da sala.
Reneu Berni
Goiânia, GO

lá vem meu pai!
pernas da calça molhadas
rocio outonal.
Severino José
Goiânia, GO

Manhã cinzenta
Rocio sobre a lavoura
Onde plantei mesmo?
Yone
São Paulo, SP

Cidades paradas –
Neste Dia do Trabalho
apenas silêncio.
Zekan Fernandes
São Paulo, SP

Temas de julho (postar até 10 de junho)
Noite gélida – Salgueiro sem folhas – Ceroula

Temas de agosto (postar até 10 de julho)
Pardal de inverno – Ipê-rosa – Coriza

Comentários
Loading...