EXÉRCITO: General Rui Matsuda assume Comando Militar do Planalto

General Rui Yutaka Matsuda é o primeiro nikkei a assumir o Comando do Exército Brasileiro (divulgação)

No dia 28 de julho, ocorreu a solenidade de passagem do cargo de Comandante Militar do Planalto (CMP). O general de divisão Sérgio da Costa Negraes entregou o cargo de Comandante Militar do Planalto ao general de divisão Rui Yutaka Matsuda. Na ocasião, ocorreu a inauguração do retrato do general Negraes na galeria dos ex-comandantes do CMP e, em seguida, a cerimônia de passagem de cargo.
Promovido a general de Exército, Negraes vai chefiar o Comando Militar do Norte, em Belém (PA).
O evento foi presidido pelo Comandante do Exército, general de Exército Edson Leal Pujol, com a presença dos oficiais generais do Alto Comando do Exército, oficiais generais da guarnição de Brasília e das Organizações Militares Diretamente Subordinadas ao CMP.
Por causa da pandemia do novo coronavírus, a solenidade foi realizada sem convidados, restrita apenas aos envolvidos no evento.
Primeiro nikkei a assumir o Comando do Exército Brasileiro, o general Rui Yutaka Matsuda tem 58 anos e em 2020 completa 39 anos de carreira. Titular de doutorado em ciências militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, era comandante Logístico do Hospital das Forças Armadas e, anteriormente, chefe da Assessoria de Planejamento e Gestão do Departamento Geral do Pessoal, sediada em Brasília.
Em Brasília desde 2016, ele comandava a logística do Hospital das Forças Armadas em março deste ano, quando houve decisão judicial determinando ao HFA a comunicação de todos os nomes de pessoas testadas para a Covid-19, incluindo o do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Passagem de cargo aconteceu no dia 28 de julho, em Brasília (divulgação)

Nascido em 1961, na cidade de São Paulo (SP), é filho de Tomoaki Matsuda e de Icuco Matsuda. Casado com Magda de Oliveira Matsuda, possui três filhos: Júlia, Kenzo e Brenda. Rui Matsuda incorporou às fileiras do Exército em fevereiro de 1980, no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo e, no início de 1981, ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras.
Foi declarado Aspirante-a-Oficial da Arma de Cavalaria em dezembro de 1984, sendo classificado no 9º Regimento de Cavalaria Blindado, onde desempenhou, durante três anos, as funções de Oficial Subalterno.
Na sequência, retornou à Aman, desta feita como Instrutor do Curso Básico e do Curso de Cavalaria.
Recém-promovido ao posto de capitão, seguiu para a Amazônia, servindo no Comando de Fronteira Roraima/7º BIS e realizando o Curso de Operações na Selva, categoria B, no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), em Manaus (AM).
Realizou, também, os cursos de Aperfeiçoamento de Oficiais, na EsAO-RJ e Comando e Estado-Maior do Exército, na ECEME/RJ, retornando, posteriormente, para ser instrutor de ambas as escolas. Teve a oportunidade, também, de pós graduar-se em Gestão Internacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
No exterior, foi Observador Militar como integrante da Missão da ONU na Guatemala (Minigua) e realizou o Curso de Estado-Maior no Uruguai. Foi, também, chefe da Comissão do Exército Brasileiro em Washington, nos Estados Unidos.
Ainda como oficial superior, foi integrante do Gabinete do Comandante do Exército e comandou o 14º Regimento de Cavalaria Mecanizado, sediado na cidade de São Miguel do Oeste (SC).
Na sua última comissão, como oficial superior, teve a oportunidade de ser o assistente do então Chefe do Estado-Maior do Exército, general Silva e Luna.
Como oficial general, comandou a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, sediada em Dourados (MS), e chefiou a Assessoria de Planejamento e Gestão (APG), em Brasília.
No currículo consta ainda a Medalha das Nações Unidas, outorgada pela ONU em 1995.
(Com informações do Comando Militar do Planalto)

Comentários
Loading...