ESPECIAL/EDUCAÇÃO: Consulado Geral do Japão em SP apoia implantação do Projeto Monuem-Eresp na EMEFM Guiomar Cabral

Participantes da aula que teve como convidado o cônsul Yasuhisa Ikeda (reprodução)

No dia 16 de novembro, alunos de quatro escolas da rede municipal de ensino de São Paulo tiveram uma aula “diferente” com a participação do cônsul Yasuhisa Ikeda, Chefe do Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa do Consulado Geral do Japão em São Paulo. O conteúdo da aula também foi um tanto quanto inusitado: os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – o plano de ação da ONU para erradicar a pobreza, proteger o planeta e garantir que as pessoas alcancem a paz e a prosperidade – e as Iniciativas do Japão. O Consulado Geral do Japão em São Paulo apoia a implantação do projeto Monuem-Eresp na EMEFM Guiomar Cabral, localizada no Jardim Cidade Pirituba (zona Norte de São Paulo).
O encontro, que reuniu cerca de 30 alunos entre 14 e 18 anos, fez parte do Projeto Monuem-Eresp (Modelo de Simulação das Nações Unidas para o Ensino Médio) desenvolvido em escolas municipais, estaduais e ETCs. Nas escolas municipais de São Paulo, essa parceria reúne o Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo (Eresp), a Secretaria Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Relações Internacionais, com a implementação do Instituto Global Attitude.
Além da EMEFM Guiomar Cabral, participam também a EMEFM “Alves Veríssimo”, na Vila Aurora (zona Norte); a EMEFM “Oswaldo Aranha Bandeira de Mello”, na Cidade Tiradentes (zona Leste); e a EMEFM “Darcy Ribeiro”, em São Miguel Paulista (zona Leste).
Em sua participação, o cônsul Yasuhisa Ikeda dividiu sua apresentação em três partes – O que são os ODS”; “As várias iniciativas do Japão relacionadas aos ODS” e, por fim, “As ações que podem ser tomadas para melhorar a nossa sociedade e o futuro”.
Buscando sempre a interação com os estudantes, o cônsul questões como a covid-19, que “espalhou por todo o mundo, incluindo o Brasil e o Japão”. E falou sobre as mudanças que a pandemia trouxe, como as aulas online, o distanciamento social, aumento de problemas psicológicos e mentais, depressão, ansiedade, a quarentena, decreto de calamidade pública, aumento do uso da internet, serviço de delivery, crise financeira, aumento do desemprego, aumento da violência contra a mulher e mortes, além de mostrar a fragilidade do sistema de saúde.
Segundo ele, esses problemas “não são exclusivos do Brasil”. E, através de slides, mostrou que “a maioria deles aconteceu no Japão também e em outros países”, relacionando as mudanças causadas pela covid-19 aos ODS.

Covid-19 – “Como verificamos, os 17 objetivos estabelecidos nos ODS estão relacionadas a vários problemas colocados pela disseminação da Covid-19. Ou seja, a maioria das questões sociais estão ligadas aos 17 objetivos”, disse, lembrando que os ODS foram adotados por todos os 193 países membros das Nações Unidas na Cúpula de Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015. “Os 17 objetivos são ‘meta universal’ a ser alcançada até 2030. É uma meta internacional adotada por quase todos os países do planeta, independentemente da situação dos países, em desenvolvimento ou desenvolvidos. Aliás, ODS são compostos por um tema mais importante, que é um tipo de slogan: ‘Não deixar ninguém para trás”, explicou Ikeda, acrescentando, porém, que “infelizmente, muitas pessoas no mundo ficaram para trás”.
Ikeda observou que “depois que os ODS foram adotados pelas Nações Unidas em 2015, o governo japonês iniciou um trabalho para desenvolver a infraestrutura nacional”. “Em maio de 2016, estabeleceram o “Núcleo de Promoção dos ODS” chefiado pelo Primeiro e todos os ministros como membros. O objetivo deste é estabelecer um sistema para promover os ODS no Japão e no mundo.
Também foi estabelecida a “Mesa Redonda de Promoção dos ODS”, que é composta por uma ampla gama de partes interessadas, incluindo o governo, o setor privado, ONGs, especialistas, organizações internacionais e várias instituições. Essas organizações estabeleceram as “Diretrizes de Implementação dos ODS” que orientarão os esforços dos ODS no Japão. O governo japonês estabeleceu esta política de implementação dos ODS uma vez em 2016 e revisou o conteúdo em 2019. Com base nisso, o governo japonês anunciou o “Plano de Ação dos ODS 2020” no final do ano passado. Esse plano é composto por 3 pilares, metas importantes nas quais o Japão trabalhará nos 10 anos restantes até 2030”, explicou, lembrando que os três pilares – a promoção da economia e inovação; a revitalização regional e o empoderamento das mulheres e da próxima geração – o governo do Japão está divulgando para muitas pessoas ficarem cientes sobre as informações dos ODS.
Ikeda falou também sobre o apoio do Japão ao Brasil para a realização da Cobertura Universal de Saúde, medida anunciada em Brasília no final de outubro e que resultou na doação de equipamentos médicos gratuitos para fortalecer o controle de infecções e o sistema médico do Brasil contra a Covid-19.
E finalizou sua apresentação contando um pouco sobre sua experiência, desde quando tinha 16 anos e imaginava seu futuro. “Com 18 anos, não imaginava estar aqui, falando português com vocês, mas estou feliz. Dando um passo de cada vez vocês podem alcançar seus sonhos. E assim também acontece os ODS. E também, gostaria que vocês refletissem sobre tudo que foi exposto nesta aula e coloquem essa mensagem em prática. Não deixar ninguém para trás”, concluiu.

Cerimônia de abertura – É a primeira vez que um Consulado participa do Projeto, como ressaltou o diretor executivo da Global Attitude, Rodrigo Reis na cerimônia de abertura, realizada no dia 30 de outubro e que inaugurou o projeto no 2º Semestre. A implementação do programa conta também com o apoio do escritório Pinheiro Neto Advogados, da vereadora Janaína Lima e da Câmara de Comércio Árabe Brasileira.
Na ocasião, o cônsul Yasuhisa Ikeda destacou que, para o Consulado, “é uma grande honra participar deste importantíssimo projeto, o Monuem-Eresp” e que, “apesar da distância geográfica que separam o Brasil do Japão”, a relação dos dois países “possui um longo histórico. “Neste ano, o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação assinado entre os dois países completa 125 anos. Nessa nossa primeira colaboração com o projeto, gostaríamos que a nova geração conhecesse e se interessasse pelo Japão para contribuir com o fortalecimento das relações entre os dois países”, destacou Ikeda, que em seguida exibiu um vídeo para mostrar o Japão atual onde a tradição e o futuro se encontram.
Ao final de sua apresentação, o cônsul Ikeda lembrou que para aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre o Japão, a Japan House São Paulo, uma inciativa global do governo japonês, reabriu suas portas para o público em outubro.
Diretora da Divisão de Ensino Fundamental e Médio (DIEFEM), Carla da Silva Francisco disse que “cada vez a gente tem mais escolas participando”. “E essa é uma grande alegria para nós da rede municipal de educação, poder ampliar esse projeto para escolas do ensino médio. Somos uma rede reduzida em relação a essa etapa, temos nove escolas ensinando essa etapa de ensino e para nós é importante que todas elas participem de todos os projetos”, afirmou. E destacou que, “nós que já vivemos esse momento, que é o projeto Monuem-Eresp com outras turmas, sabemos do impacto através de avaliações e do acompanhamento que a gente faz, sabemos do impacto positivo que tem na vida desses estudantes: proporciona uma ampliação de horizontes e proporciona para que eles enxerguem para além dos muros das escolas”.
Coordenador de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo, Rodrigo Massi fez uma menção especial a André Bernini, do escritório Pinheiro Neto Advogados, e ao cônsul Yasuhisa Ikeda (representando o Consulado Geral do Japão em São Paulo) “por este gesto generoso de se juntar ao projeto”.
“A cidade de São Paulo se orgulha imensamente da presença japonesa e da comunidade nikkei de São Paulo. Temos a Japah House e é motivo de orgulho – apenas outras duas cidades no mundo tem esse privilégio ter esse equipamento que é absolutamente incrível, temos o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, na Liberdade, o Pavilhão Japonês que é lindíssimo no Parque do Ibirapuera e todos fiquem convidados para que visitem esses espaços e desta maneira possam conhecer os vínculos humanos que nos unem ao Japão”, afirmou.
Massi explicou que, na Faculdade, em 2004, teve oportunidade de experimentar uma simulação das Nações Unidas “e posso dizer com a absoluta certeza e tranquilidade o quão transformador foi isso na minha vida”. “No mesmo ano tive a alegria de entrar para o escritório de representação do Ministério das Relações Exteriores de São Paulo como estagiário até 2017”, lembrou, acrescentando que, ver om projeto se consolidando na rede municipal de ensino é motivo de grande satisfação.

Conteúdo – Para a embaixadora Irene Vida Gala, subchefe do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores (Eresp), “depois de dois anos e meio do projeto, a gente vê que ele vai ganhando cor”. E agradeceu o Consulado Geral do Japão em São Paulo, “o primeiro Consulado a estar com a gente”. “A partir de vocês, vamos chegar a muitos mais, vamos ampliar o número de parceiros, ampliar o número de alunos que serão beneficiados. Vocês acreditaram na gente, muito obrigado”, comentou a embaixadora.
Apesar de a cerimônia de abertura ter sido no dia 30 de outubro, as aulas da segunda edição do semestre tiveram início no dia 28 de setembro. Com apresentação geral e dinâmica de integração, as aulas, que têm duração de aproximadamente 1h30, incluem ainda, além dos ODS, conceitos básicos de diplomacia e multilateralismo, oratória e argumentação, regras de procedimento (tipos de discurso, questões e moções), formulação de documento de posição oficial, técnicas de negociação internacional e elaboração de agenda de trabalho.

Linda Mieko de Almeida, representará o Japão na Simulação da ONU (reprodução)

O conteúdo programático conta ainda com mini-fóruns e, no encerramento, marcado para o dia 11 de dezembro, o evento final prevê uma simulação da ONU. A representante da delegação do Japão será a estudante Linda Mieko de Almeida, da EMEFM Guiomar Cabral.

Comentários
Loading...