ERIKA TAMURA: Vai ter Olimpíadas de Tóquio 2020?

Essa é a pergunta que mais recebo ultimamente, principalmente de quem vive fora do Japão.
O coronavírus tem feito uma bagunça no dia a dia de vários países, e aqui no Japão não é diferente. E o mais agravante é a aproximação dos dias para o maior evento esportivo, o mais esperado, o mais cobiçado, e também um dos mais caros, com maiores investimentos, talvez o mais oneroso no mundo dos esportes.
Aí que está a questão, acredito que ainda não adiaram (ou cancelaram) as olimpíadas, exatamente pelo fator financeiro, afinal, envolve muitas cifras, praticamente o   andamento da economia local todinha.
Depois da declaração do primeiro ministro, Shinzo Abe, muitas escolas, museus, instituições, estão fechados até o final de março. Eventos, exposições e outras atividades com aglomeração de pessoas também foram cancelados ou adiados. E com isso, muitos se perguntam, mas e as olimpíadas?
As olimpíadas está marcada para acontecer, no mês de julho, até lá ninguém sabe como estará o andamento desse vírus. Pode ser que esteja controlado, ou que vire um caos epidêmico, ninguém sabe…
E é essa incerteza com o futuro que tem movimentado o cenário político no Japão, a oposição exigindo ações mais dinâmicas do governo japonês, e o governo japonês visivelmente perdido em meio às decisões. O que dá para entender, afinal, é uma situação totalmente nova, emergencial e não prevista até agora.
Falo que viver no Japão é tudo tão regrado, mas ao mesmo tempo, cheio de emoções. Cada época é uma emoção diferente, e uma nova experiência para o currículo. Já passei por crises financeiras do país, bolhas econômicas, nevascas, terremotos, tsunami, tufão, e agora, coronavírus. Não é fácil…
Mas a minha confiança no governo japonês é tão inabalável, que sigo a minha vida tranquila, porém cercada de cuidados. Tenho evitado o metrô, e lugares com grandes concentrações de pessoas. No mais, vida que segue. Continuo trabalhando, porém, com algumas reuniões e eventos cancelados.
A cada dia que se passa, tem se tornado um motivo de agradecimento, pois realmente a incerteza toma conta da minha cabeça neste momento, mas voltando ao assunto principal deste artigo, tivemos a declaração da ministra Seiko Hashimoto, que o contrato de Tóquio com o Comitê Olímpico Internacional, exige que os jogos sejam realizados em 2020, o que para ela pode ser interpretado como uma permissão para o adiamento de julho para o final do ano. Porém, Hashimoto garantiu que estão fazendo todo o possível para garantir a realização dos jogos, conforme o planejado.
Como o direito de cancelamento dos jogos olímpicos, pertence ao COI, cabe à Thomas Bach, presidente do COI, a decisão. Thomas Bach já declarou na semana passada que a organização está totalmente comprometida em realizar o evento conforme o programado.
A nós, cabe apenas o aguardo de novas decisões.

Comentários
Loading...