ERIKA TAMURA: Japão, vida seguindo (quase) normalmente

Gosto de escrever aqui, o meu dia a dia, tudo o que eu passo e vivencio, como se fosse meu diário (sim, sou da época do diário), para depois, futuramente, eu possa ler e lembrar exatamente de cada detalhe que passei em determinados momentos da vida. Afinal, são 12 anos escrevendo aqui, semanalmente, tenho muita história para relembrar…
Enfim, aos poucos, a vida vai retornando à sua normalidade. O novo normal, como se diz, cheia de adaptações, novas regras, muitos cuidados, algumas neuras, porém com saúde, que é o que importa.
A máscara já faz parte do cotidiano, ela fica junto com a chave do carro, que é para não ser esquecida. Então, tem o carro, pois tenho evitado ir trabalhar usando o trem. Agora, por lei, somos obrigados a pagar pela sacola plástica em quaisquer estabelecimentos comerciais, portanto carrego a minha própria sacola, a famosa ecobag. Confesso que, esse novo normal me obriga a conferir a bolsa várias vezes antes de sair de casa. É álcool em gel, máscara, carteira, chaves, celular, ecobag e uma porção de outras coisas que sempre acabo esquecendo algo.
Aos poucos, o novo normal já vai virando um hábito. E daí em diante fica mais fácil. Deve ser por isso que o Japão consegue manter essa aparente normalidade no dia a dia. Porque o vírus existe, a pandemia não acabou, e mesmo assim o Japão continua economicamente ativo. Devagar, porém ativo. E o hábito dos japoneses talvez seja o segredo para a realidade: números de infectados não está exorbitante, leitos suficientes para a demanda, comércio funcionando, fábricas retomando os serviços. Percebo a vida andando para frente.
Mesmo com o desastre natural em Kyushu (sul do Japão), a economia continua a sua retomada ao crescimento.
E temos uma enxurrada de recursos disponíveis em forma de ajuda pelo governo japonês. Já recebemos a ajuda de ¥100 mil (cerca de mil dólares) para todos os residentes no Japão, inclusive estrangeiros residentes em situação regular. E as pessoas do Brasil, insistem em comparar o Japão com o Brasil, principalmente no que se refere a ajuda governamental. E muitas pessoas me perguntam se eu pedi essa ajuda de ¥100 mil. Eu não pedi, eu recebi! A ajuda foi para TODOS! Veio uma carta no correio para mim, na qual já estava tudo preenchido, eu só precisei informar os dados bancários, e o depósito foi feito dentro de cinco dias. É um direito que todos receberam, sem necessidade de explicar e nem comprovar rendimentos.
E a ideia do primeiro ministro do Japão, era de aquecer a economia, fazendo com que esse dinheiro fosse gasto, principalmente com turismo. Mas, como isso não aconteceu, pois a maioria guardou o dinheiro, o governo japonês lançou outro tipo de subsídio de incentivo ao turismo interno. Foi aprovada essa semana uma ajuda, onde o governo japonês pagará metade do seu pacote turístico dentro do Japão. Começa a valer a partir do dia 22 de julho, e dentro do pacote pode-se incluir desde passagem e hospedagem, até aluguel de carro e alimentação.
Portanto, eu já estou programando a minha próxima viagem, vou aproveitar para conhecer bem o Japão.
Claro que contarei tudo por aqui!
Abraços!

Comentários
Loading...