ERIKA TAMURA: Fim da campanha ‘go to travel’ no Japão

Com o avanço da disseminação do Covid 19, o governo japonês decidiu suspender a campanha Go To Travel, que visava o incentivo do turismo interno.
A campanha consistia em uma ajuda do governo para os pacotes turísticos dentro do Japão. Quem me acompanha aqui, leu o artigo que escrevi sobre o assunto. Eu, particularmente, aproveitei muito essa campanha e conheci lugares incríveis no Japão.
Porém a pandemia deu uma trégua e resolveu atacar com força total, e antes que acontecesse um colapso nos hospitais, o governo japonês decidiu agir.
Foi uma decisão tomada sob pressão, pois muitos criticaram a campanha “go to travel”, como sendo incoerente diante da realidade.
A preocupação do governo com a saúde sempre existiu, mas era clara a preocupação com a economia também. Pois o Japão usou e ainda usa de dinheiro para ajudar o mercado econômico como pode, tanto é que a dívida interna do Japão é alta e só cresce!
Confesso que o atual governo do Japão não me passa tanta confiança, como o anterior, mas mesmo assim sei que não tenho o direito de reclamar de nada. Tenho saúde e isso me basta, pois já me sinto vitoriosa!
Com o aumento no número de casos de infectados, tenho me precavido mais, e saio somente quando necessário, já que tenho trabalhado em casa mesmo. O que me entristece é que agora é a época das confraternizações e eu adoro essa época, porém não reclamo de me abster desse período por precaução.
O fim da campanha “go to travel”, para mim, tem um significado. Eu enxergo como um recuo do governo japonês, recuo de filosofia. Desde que cheguei no Japão, percebi que o pensamento dos japoneses e consequentemente, o nosso (brasileiros que aqui chegam), é a prioridade com o trabalho. Trabalho em primeiro lugar, em detrimento de todas as outras prioridades da sua vida.
Família, saúde, educação, tudo vem depois do trabalho. E foi assim que o Japão se recuperou de uma guerra. E isso funciona dessa forma, até hoje.
Só que agora, o mundo está doente. Hora de mudar as prioridades e repensar cada setor da vida. E o governo do Japão percebeu que, no momento, é necessário priorizar a saúde.
Quando vi o anúncio da suspensão da campanha, me deu um estalo, e comecei a pensar de maneira macro. O que está acontecendo conosco? Não temos mais sorrisos nos rostos, pois estamos de máscaras, não temos mais a mobilidade do ir e vir, abraços então, parece um crime…
Triste demais né, porém pode ser um recado dado.

Comentários
Loading...