Empreendedorismo no tênis de mesa

Primeiros alunos da Match Point, especializada em formar campeões (divulgação)

Aqui no Brasil, quando falamos que o nosso trabalho é com a modalidade, muitos encaram o tênis de mesa como um hobby, subemprego, atividade informal, voluntariado, ou seja “um bico”, até arrumar outro “job”.
Porém, na Europa e Ásia, onde o tênis de mesa é um esporte muito profissional, ele se torna um super emprego, já que são 8.000 clubes na Alemanha, 150 mil filiados na França, 26 milhões de praticantes na China e mais de 20 fábricas no Japão, especializadas neste esporte.
Com o crescimento do nosso pingue-pongue no Brasil, e com o aumento de praticantes e entidades, as oportunidades surgem e hoje se torna um excelente mercado de trabalho, gerando muitos empregos e podemos dizer que atualmente temos milhares de apaixonados e aficionados, que vivem disto.
Claro que em todos os ramos existem os “picaretas”, que aproveitam o “boom” e não são profissionais estudiosos, uns que não são especialistas, nem foram grandes atletas ou treinadores com resultados, mas como existe um mercado muito grande, eles conseguem sobreviver, como uma outra profissão qualquer.
Na grande São Paulo, existem os clubes como Nippon, Cooper, Piratininga, UCEG, Ipê, que tem suas equipes, também “kaikans” e associações, que como possuem poucas atividades para atrair os jovens, implantam o tênis de mesa, outras que alugam seus espaços para gerar receita pela ociosidade das mesmas, e poucas tem o caráter de Academias profissionais, onde o conceito e diferenciado e tem como meta atingir seu objetivo.
Lifepong   localizada na Rua Augusta/Jardins SP, Fitpong em Brasilia-DF e Londrina-PR, ACTM de Macapá-AP, AEM de Manaus-AM, ASTM em Aracaju-SE, Academia Baiana em Salvador-BA, Itaim Keiko em SP, AMG Guaira-PR, Srtapeel em Foz Iguaçu-PR, Nipong em Goiania-GO, StreetPong em Maringa PR, TMPA em Pouso Alegre-MG, ATEME em São Judas-SP, CTTM Ettore São Carlos-SP, ATM Minas em Belo Horizonte-MG, ShiraySports em Registro-SP,ACTM no Rio de Janeiro-RJ, CT Morimoto em Cuiabá-MT, MasterPong em São Jose dos Campos-SP, CTW em Belo Horizonte-MG e agora MatchPoint na Pca da Arvore SP. Todos que não tem apoio de nenhum órgão governamental, ou subsidio e não aproveitou alguma entidade para empreender.

Staff da Match Point Table Tennis, com Cazuo e Jessica ao centro (divulgação)

Destaque para a Match Point inaugurada esta semana, a única academia cujos proprietários foram atletas profissionais, com 18 temporadas na Europa, mais de 20 anos na seleção brasileira, 25 participações em Campeonatos Mundiais,   conquistando todos os títulos e medalhas do continente, com participações em Jogos Panamericanos e Olimpiadas.
Cazuo Matsumoto e Jessica Yamada, vinham alimentando este sonho desde as últimas temporadas na Polônia e França, que se tornou realidade.
A sua estrutura se torna especial, com pisos oficiais importados, iluminação de led, ar condicionado, mesas importadas, construção nova (primeiros inquilinos), a 80m do metrô Praça da Árvore, especializada em formar campeões.
Que sirva de exemplo e motivação para muitos novos empreendedores, que existe viabilidade nesta modalidade e que todos podem sonhar e correr atrás, com determinação e atitude.

Comentários
Loading...