ELEIÇÕES 2020: Em visita ao bairro da Liberdade, Bruno Covas fala sobre educação e fake news

Reeleito, o vereador Rodrigo Goulart levou seu apoio a Bruno Covas (Aldo Shiguti)

Na reta final de sua campanha para o segundo turno das eleições para a Prefeitura na capital paulista, o prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB) visitou, nesta segunda-feira (23), o bairro da Liberdade pela segunda vez – a primeira foi durante a campanha para o primeiro, no dia 29 de outubro, quando ele esteve no Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil. Desta vez, o ponto de partida foi o 89°C Coffee Station, na Praça da Liberdade. De lá, ele seguiu para a Rua Galvão Bueno, onde cumprimentou lojistas, funcionários e pedestres, sempre cercado por uma multidão de jornalistas e de vereadores que o apoiam, como o jovem Rodrigo Hayashi Goulart (PSD), reeleito para o seu segundo mandato.
Na praça, Bruno Covas concedeu uma “mini-coletiva” aos repórteres que o aguardavam. Segundo Bruno Covas, um dos grandes desafios para o ano vem será a educação “por conta do tempo que as escolas ficaram fechadas neste ano de 2020”. “Nós vamos retomar o conteúdo pedagógico com ensino em período integral, com turno nas escolas e um contraturno dentro de casa utilizando os 465 mil tablets com acesso à Internet que nós estamos adquirindo já este ano. E por conta deste contraturno dentro de casa, nós vamos manter para o ano que vem, para os nossos 1 milhão de alunos que já receberam esse ano, o cartão merenda. Nós já fizemos as contas e são R$ 400 milhões no ano que vem para gente manter este repasse de recurso para as mães poderem comprar alimentação também para este período do contraturno dentro de casa”, explicou Bruno Covas, afirmando que, desde o primeiro turno, sua estratégia foi “focar na cidade de São Paulo” em resposta à pergunta sobre que impacto a união de Ciro Gomes, Marina Silva e Lula em torno do seu adversário, Guilherme Boulos (PSOL) – que vem crescendo nas pesquisas – pode trazer à sua campanha.

Comércio – Segundo ele, “nacionalizar ou estadualizar a eleição é algo que o eleitor vai responder o que ele quer que seja feito”. “Acho que a eleição para governador e a eleição para presidente devem ser discutidas em 2022 e não agora”, comentou.
Sobre o fechamento do comércio na cidade de São Paulo diante de uma possível segunda onda da covid-19, o prefeito disse que “as ações da Prefeitura não são pautadas por calendário eleitoral, são pautadas pela ciência e pelo pessoal da vigilância sanitária”. E atacou as fake news.

Fake news – “Desde o início a gente tem focado aqui na cidade de São Paulo em fazer aquilo que é recomendação da área da saúde e assim nós vamos continuar a fazer. Não há nenhum indício de segundo pico da doença na cidade de São Paulo neste momento. Muitos estão disseminando fake news que nós estamos esperando as eleições para tomar esta ou aquela atitude. A última coletiva da Prefeitura na quinta-feira da semana passada mostrou que os dados daqui da cidade apontam para uma estabilidade do número de casos, uma estabilidade em relação ao número de óbitos e um aumento no número de internações, muito explicado também pela população classe A, que se protegeu durante muito tempo e que voltou a sair de casa, explicado também por um aumento da quantidade de pessoas internadas que são de fora da cidade de São Paulo e pela redução de leitos privados e públicos referenciados para covid”, disse, garantindo que a Prefeitura pretende reabrir mais 200 novos leitos para covid na cidade de São Paulo.
“Nós vamos continuar atender pessoas, mas não há nenhum número que aponte a necessidade de qualquer ação mais ou menos drástica a partir da segunda-feira da semana que vem. Fica aqui o nosso compromisso de manter a defesa da vida como a questão principal a ser enfrentada e dizer que refutamos qualquer noticia agora de que nós estamos esperando a eleição para tomar esta ou aquela medida”, destacou Bruno Covas antes de seguir a caminhada pela Rua Galvão Bueno.

Bruno Covas visitou o MHIJB no 1º turno com Aurélio e George (arquivo/Aldo Shiguti)

Experiência – Para o vereador reeleito Aurélio Nomura (PSDB), que não pôde estar presente na caminhada por problemas particulares, “tenho certeza que nesse 2º turno, os eleitores, depois de assistirem os debates e as entrevistas – além de pesquisarem na Internet – estão se convencendo que Bruno Covas é a melhor e única opção para São Paulo por sua experiência, trabalho, pelas realizações frente à Prefeitura e, principalmente, pela transparência em sua vida pública”.

Comentários
Loading...