ELEIÇÕES 2020: Candidatos nikkeis à Câmara Municipal de São Paulo apresentam propostas (2)

Dando continuidade à série de artigos dos candidatos nikkeis à Câmara Municipal de São Paulo com o intuito de ajudar o eleitor a escolher melhor seus representantes, o Jornal Nippak abre espaço nesta semana para Patrícia Tani (DC), Yudi Watanabe (DEM) e Dilza Muramoto (PRTB).
A pedido do Nippak, todos comentaram por que são candidato(a)s e quais as suas principais propostas para a cidade de São Paulo.
A série será finalizada na próxima edição com os vereadores que concorrem à reeleição – Aurélio Nomura (PSDB), Ota (PSB), George Hato (MDB) e Rodrigo Hayashi Goulart (PSD) – além do ex-parlamentar Ushitaro Kamia.
Lembre-se de conferir também as páginas pessoais dos candidatos para conhecê-los melhor. Afinal, sua escolha pode mudar sua rua, seu bairro e sua cidade.

Patricia Tani

PATRICIA TANI

‘Por uma São Paulo onde todos possam viver com dignidade’

“Sou Patricia Tani, nasci em São Paulo, no bairro da Lapa, em 1974. Sou filha de descendentes imigrantes japoneses que fizeram de São Paulo sua vida.
Aos 18 anos fui para o Japão, pedi minha emancipação, buscando condições para custear meus estudos, onde morei por 9 anos, trabalhei, estudei a língua, cultura e costumes onde pude aprender muito.
Como empreendedora há 20 anos, vi a dificuldade de sobrevivência das pequenas empresas familiares, e também das famílias de dekasséguis que voltam, e muitas vezes perdem tudo por falta de conhecimento e apoio eficiente e abrangente.
Decidi a ser candidata à partir de 2012, para mudar tudo isso, Por meus pais e por minha filha por todos os paulistanos que como eu, que querem uma São Paulo onde todos possam viver com dignidade, prósperos sem corrupção”

Principais propostas:
Saúde vem antes – Desenvolver a criação de medicina preventiva, com ajuda tecnológica para um atendimento mais eficiente e rápido.
Atendimento Humanizado – Em parcerias,treinamento dos profissionais de saúde, atendimento humanizado para todos e principalmente para idosos e crianças.
Dignidade e Geração de Renda – Estimular o desenvolvimento de pequenos negócios e simplificar os processos de alvará para pequenos negócios, formalizando e gerando renda.
Mulher acolhida – Projeto mulher colhida para mulheres que sofreram ou sofrem violência domestica, desenvolvimento profissional e psicológico.
Educação é a Base – Valorização do professor como principal profissional Incentivar os professores no seu aperfeiçoamento profissional.
Cultura – Valorizar e Inplementar meios para a sobrevivência dos órgãos da Cultura Nipo – brasileira e associações buscando verbas e patrocínio em todas as esferas públicas e particulares e também no Exterior.
(Patricia Tani é candidata pelo DC)

YUDI WATANABE

‘Aprendi desde cedo o valor de fazer pelo coletivo’

“Sou Yudi Watanabe, empresário, formado em direito e morador da zona norte de São Paulo. Convivi com as desigualdades sociais desde criança e sempre vi o esforço da família em minimizar as dificuldades através de ações sociais que iam desde zeladoria até distribuição de cestas básicas.
Meus familiares sempre foram uma grande influência na minha vida. Meu avô quando veio do Japão, há mais de 80 anos, e se fixou na zona norte, plantava hortaliças e as vendia no bairro.
Como a região não era asfaltada, quando chovia, lembro que ele pegava seu trator e tirava o barro da frente das casas, juntamente com meu pai.
Aprendi desde cedo o valor de fazer pelo coletivo e esse é um dos meus maiores motivos para me tornar vereador da capital paulista.
O vereador é um representante da comunidade quero ser uma espécie de “despachante”, que tem como atribuição propor coisas ao prefeito a partir das demandas locais e, principalmente, de fiscalizar o trabalho dele.
Acredito que, através do poder público, será mais rápido e efetivo resolver as questões de zeladoria que quero implementar na cidade. E, sendo neto de japonês, também quero representar a comunidade nikkey na Câmara Municipal, pois entendo que é necessário um canal direto com o legislativo para atender as questões da colônia.
Entre minhas propostas estão, a volta o atendimento odontológico nas escolas municipais, pois sabemos que a saúde começa pela boca; ampliar os cursos profissionalizantes com geração de empregos; levar a ETEC e a FATEC para a Cachoeirinha e Brasilândia oferecendo estudo de qualidade e formar profissionais aptos ao mercado de trabalho; instalar mais centros de atendimento psicossocial próximos dos terminais de transporte público; melhorar o deslocamento da população com uma malha viária maior; multiplicar os pontos de internet do WI FI livre em vários bairros, e não posso me esquecer dos animais abandonados. Proponho um serviço de atendimento veterinário móvel de urgência para oferecer os primeiros socorros, castrar e vacinar.”
(Yudi Watanabe é candidato pelo DEM)

DILZA MURAMOTO

‘Busco a oportunidade de colocar em prática o real papel do vereador’

Casada, psicóloga, profissional de recursos humanos, 2 filhos, uma médica cirurgiã ginecológica e um filho administrador de empresas.
É Rotariana, faz parte de Associações Nikkeys, organização do Nikkey Matsuri, é membro da BSGI, atua em arrecadações de doações de alimentos para entidades carentes.
É candidata a vereadora pela 2ª. vez. Desta vez vai, pois juntos somos mais fortes.
Busca a oportunidade de colocar em prática o real papel do vereador que tem: “função primordial representar os interesses da população perante o poder público” e “fiscalização das ações do Poder Executivo municipal – ou seja, das ações do prefeito.“

Três frentes de trabalho
1) Educação Infantil – Crianças de Zero a 6 anos, isso se deve à importância dessa etapa na formação do cidadão de modo integral, alicerce primordial para o aprendizado. Infelizmente hoje na cidade de São Paulo faltam creches que a cada mudança do Poder Executivo só ouvimos promessas.
2) Primeiro emprego aos jovens – Jovem Aprendiz – 14 a 18 anos – oferece experiência e qualificação profissional para adolescentes e jovens. Falta cobrar e informar as empresas a importância de se contratar um Jovem Aprendiz.
3) Não violência as mulheres – Apesar da Lei Maria da Penha ter sido um avanço, não garante de fato a punição ao agressor, assim como não garante os serviços essenciais à mulher que sofre agressão, como: casas de abrigo, creches, assistência médica e psicológica, centros de referência com profissionais capacitados e estabilidade remunerada no emprego ou cursos de empreendedorismo.
Não quero fazer promessas que não poderei cumprir como fazem a maioria dos candidatos, mas quero trabalhar com ética, seriedade, responsabilidade e acima de tudo com honestidade.
Sendo eleita sei que sofrerei pressões dos chamados veteranos da política, mas posso dizer que não tenho medo, quero me juntar as pessoas do bem na Câmara, acabar com as tradicionais corrupções e usar o dinheiro público para melhorar a Cidade de São Paulo para a população batalhadora, trabalhadora e sofredora, mas que ama a cidade.
Nasci em Itaporã, MS, sofri na minha infância, vim para São Paulo com 11 anos, e desde então vim estudando, trabalhando, batalhando como a maioria da população desta cidade”.
(Dilza Muramoto é candidata pelo PRTB)

Comentários
Loading...