CURITIBA: Monumentos da Praça do Japão ganham iluminação cênica

Evento foi prestigiado pelo cônsul geral do Japão em Curitiba, Masahiro Takagi (Pedro Ribas/SMCS)

Ponto de encontro das avenidas Sete de Setembro e República Argentina, local público de convívio das famílias que vivem no bairro Água Verde, cartão-postal de Curitiba (PR), a Praça do Japão ganhou ainda mais luz. Em funcionamento há poucos dias, os novos sistemas de iluminação cênica da Casa da Cultura Japonesa e do Portal Japonês, monumentos que caracterizam a praça, foram entregues oficialmente no último dia 8 pelo prefeito Rafael Greca. O ato foi prestigiado pelo cônsul-geral do Japão, Masahiro Takaji, e pelo cônsul-geral adjunto, Kazuu Wakaeda.
A Casa da Cultura, que abriga a Biblioteca Hideo Handa, passou a ter sua arquitetura nipônica melhor apreciada. Foram instalados e direcionados para a fachada e cobertura 59 projetores de led que possibilitam jogo de cores pela nova iluminação cênica do edifício. Para a inauguração, as cores brilharam ritmadas pela tradicional música japonesa “Saita Sakura” ou, simplesmente, “Sakura Sakura”.
“A Praça do Japão é famosa por suas azaleias, por suas cerejeiras, pelo caminho de cerejeiras que a liga com a Fonte de Jerusalém, lá no Jardim Los Angeles onde está o Consulado do Japão, agora ganha para o ano todo a possibilidade de evocar a cor das cerejeiras na sua iluminação cênica. É mais um investimento da Prefeitura de Curitiba em gratidão à contribuição dos japoneses vieram ao Brasil fazer cultura, fazer agricultura, fazer ciência, fazer indústrias, fazer comércio e que são tão caros à formação multirracial da população curitibana”, disse Greca.
Outros dois projetores de led foram instalados no Portal Japonês, tornando mais convidativo o passeio noturno pela Praça do Japão para quando passar a pandemia do novo coronavírus. Os novos sistemas de iluminação cênica foram instalados sob a coordenação do Departamento de Iluminação da Secretaria Municipal de Obras Públicas.

Arte a céu aberto – A Praça do Japão, além do passeio agradável, oferece ainda arte a céu aberto. Duas esculturas de artistas nipo-brasileiros encantam e conferem autenticidade única ao local. Ambas tamém contam com iluminação cênica.
Feita por Manabu Mabe, a peça “Centenário da Amizade entre Brasil e Japão” tem 2 metros de altura, pesa 7 toneladas e foi esculpida em mármore rosa em 1997, ano em que o então imperador Akihito veio a Curitiba.
A outra peça, que atinge 7 metros de altura e leva a cor vermelha, tem a assinatura da consagrada Tomie Ohtake. Instalada em 2018, a escultura marca os 110 anos da imigração japonesa para o Brasil.

Comentários
Loading...