CULTURA: Após expectativas, Kochi Kenjinkai realiza 9º To-Sa Matsuri presencial

Tradicional cerimônia da quebra do barril (kagami biraki) um tanto quanto inusitado (Aldo Shiguti)

Realizado pela Associação Cultural dos Provincianos de Kochi no Brasil no último dia 12, no Centro Educacional Esportivo Mané Garrinha, na zona Sul de São Paulo, a 9ª edição do To-Sa Matsuri – Festival de Cultura Brasil-Japão acabou virando um evento à parte para os fãs da cultura pop, que puderam desfilar novamente em um palco de matsuri após dez meses de distanciamento social. Não que a pandemia tenha passado. Longe disso. Os organizadores tomaram todos os cuidados possíveis, com álcool gel, máscaras e um túnel de descontaminação logo na entrada do ginásio.
O fato é que, com receio de aglomerações – pelo menos entre o público nikkei que costuma frequentar festivais – muitas famílias decidiram não se arriscar e o que se viu foi uma grande presença de jovens fantasiados.
Mas a programação também contemplou públicos de todas as idades. Uma das atrações foi Margo Sassaki, que falou sobre o Caminho de Shikoku. Ela já percorreu a rota circular de aproximadamente 1.200 km e que passa por 88 templos budistas localizados na ilha de Shikoku – a menor ilha –, das quatro principais do Japão, oito vezes. A primeira foi em 2015 e a última em março deste ano, antes da pandemia, quando fez o trajeto com mais sete pessoas. Margo conta que percorreu o trajeto sozinha uma única vez, em outubro do ano passado.
Quem também chamou a atenção foi a dupla Heverti e Jorginho, que desfilaram um repertório bem eclético (incluindo anime song).
Há 17 anos na estrada, Heverti disse que conheceu os organizadores do To-Sa Matsuri no Parque da Água Branca – local das oito primeiro edições do festival . “Eu cantava na feira do Parque da Água Branca quando o Fabiano Shiokawa [presidente da Comissão Organizadora] e o Augusto Takeda [idealizador do To-Sa Matsuri] me convidaram para me apresentar no evento. Eles sabiam que eu gostava de cantar as músicas da série Tokusatsu”, lembra o cantor, explicando que tem toda a coleção completa Box DVD de séries como Jiraya, Changerman e Flashman, entre outros.
Destaque ainda para o grupo “Os Novos Samurais” – espetáculo que mistura dança, circo e taiko, e o desfile cosplay, sem dúvida a atração mais aguardada da tarde. O encerramento ficou por conta da banda Gaijin Sentai.

Abertura – A cerimônia de abertura contou com a presença do presidente do Kochi Kenjinkai, Arnaldo Katayama, do presidente do Instituto Paulo Kobayashi, Victor Kobayashi; de Juliano Aniteli, do Anime Friends; de Wilson Mori (representando o vereador Ota e o ex-deputado estadual Pedro Kaká) e o chefe de gabinete do deputado estadual Márcio da Farmácia, Renato Rigotti. Victor Kobayashi lembrou que a realização do To-Sa Matsuri, que aconteceu 20 dia após a edição online – só foi possível graças à emenda parlamentar destinada pelo então deputado Pedro Kaká em 2018 e viabilizada em 2020 pelo deputado Márcio da Farmácia.
Já Arnaldo Katayama agradeceu a todos que tornaram possível a realização do festival e destacou que o To-Sa Matsuri foi um dos raros eventos presenciais realizados este ano por um kenjinkai.
Renato Rigotti disse que “o deputado Márcio da Farmácia não poderia deixar de apoiar um evento belíssimo como este, apesar do momento que o mundo está vivendo”. “Reconhecemos a importância e a necessidade de dar continuidade a eventos como esses, ligados à cultura e ao lazer”, afirmou Rigotti.
No final, todos participação da tradicional cerimônia de quebra do barril de saquê (kagami biraki).

Comentários
Loading...