Coronavírus no Japão: Como os japoneses tem lidado com a crise de modo eficaz, ágil e calmo

Embora o COVID-19 tenha seu início ainda no final de 2019, alguns países, assim como o Brasil, demorou a dar os primeiros passos para a prevenção a doença. Algo realizado nos indícios iniciais da presença do coronavírus no Japão, que teve seu anúncio no dia 23 de Janeiro. Momento da confirmação do primeiro infectado no país.
Verdade seja dita, sendo assim, o japoneses poderiam estar no ranking das piores estatísticas. Visto que aglomeração é algo comum nos transportes públicos e cidades japonesas.
Então como é possível a doença não ter atingido fortemente o Japão? Apresentando como dados 862 mortes e 16.662 casos confirmados do novo coronavírus no Japão. Seria os costumes do uso de máscara, tradições ou algo relacionado à genética japonesa?
Independentemente da resposta, o governo fez algo de muito certo que outros países não foram capazes de fazer. Confira abaixo.

Números do novo coronavírus no Japão

Lembrando que o Japão foi o segundo país com confirmação do novo coronavírus presente. É uma grande surpresa saber que o país se encontra em 40º lugar na classificação de países e territórios infectados. Dados esses encontrados no site World Meters, que analisa 213 países e mais 2 territórios como base. Seus números totais se tratam de 862 mortes e 16.662 casos confirmados. Estatísticas altas, porém não tão absurdas, como tem acontecido no caso do:

⦁ EUA (1º lugar, 100.765 mortes e 1.730.096 casos);
⦁ Brasil (2º lugar, 24.593 mortes e 394.507 casos);
⦁ Itália (6º lugar, atualmente, já visto em 1º – 32.995 mortes e 230.555 casos).

Isso não significa que devemos minimizar as perdas do Japão, porém mostra o quanto o governo tem feito pela saúde da população. Já que o ápice do coronavírus no Japão foi visto em Abril.
Gradativamente, após as medidas tomadas em conjunto do povo com o governo, os registros mostram, como menor número, 14 casos confirmados no dia 23 de Maio.
Logo, qual seriam as ações tomadas pelos japoneses que não foi realizado por mais nenhum país e que estabilizou a situação do país em menos de dois meses? Se esse método é tão eficaz, o que os outros países têm feito se não o mesmo?

Medidas providenciadas pelos japoneses durante a pandemia
Com o primeiro caso confirmado no dia 23 de Janeiro, os números só foram aumentando nos dias consecutivos. Havendo a disseminação do coronavírus no Japão devido à ida de viajantes da capital da China central, Wuhan.
A partir de então, ocorreu uma série de acontecimentos que promoveram cada vez mais medidas envolvendo a colaboração da população.

⦁ 3 de Janeiro: governo japonês passou a controlar o ir e vir de viajantes vindos de Hubei. Algo que foi alterado com o passar dos dias, até o Abril. De modo que a entrada de diversos visitantes foi proibida no país;
⦁ 13 de Fevereiro: foi confirmada a primeira morte por COVID-19, sendo a vítima uma senhora de 80 anos. Que tinha como genro um motorista de táxi de Tóquio. Esse que também havia sido contaminado pelo vírus;
⦁ 27 de Fevereiro: Shinzö Abe solicitou o fechamento das escolas, após a confirmação de um aluno e um professor infectados;
⦁ 19 de Março: os governadores sugeriram ao povo que ficassem em casa sempre que possível, evitando assim saídas desnecessárias. Com o intuito de diminuir os casos por COVID-19;
⦁ 23 de Março: adiamento dos Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio;
⦁ 7 de Abril: estabeleceu-se o estado de emergência no Japão. Esse que terminou nessa segunda (25);
⦁ 8 de Maio: início do desenvolvimento de anticorpos contra o novo coronavírus.

Apesar de todas essas providências, isso não foi tudo. Visto que até o dia 7 de Abril, não houve a solicitação de quarentena obrigatória. Situação notória durante festival de primavera, no dia 22 de Março. Momento em que diversas famílias saem às ruas e parques para admirar as cerejeiras.
Sendo essa uma tradição de anos, o que foi feito durante o festival foi o monitoramento da quantidade de pessoas nos parques. Proibindo que estendessem lenços para se sentar e realizar um piquenique.

Tradição, cultura, genética ou estratégia: O que foi responsável por frear o coronavírus no Japão

Quando paramos para pensar que até pouco tempo os japoneses não estavam em estado de emergência. De maneira que bares, restaurantes e karaokês permaneciam abertos e com baixo índice de infectados, apresentando apenas números nas casas das dezenas até o dia 26 de Março. É difícil entender como foi essa contenção.
Apesar disso, tudo se resume em:

⦁ Isolamento do grupo de contágio: com a realização de testes, posteriormente identificando e isolando os grupos contaminados;
⦁ Distanciamento social: algo que foi difícil em muitos países, no Japão foi apenas questão de cultura e tradição. Isso porque se trata de um povo bastante consciente referente à higiene, tendo o costume também de utilizar máscaras ao menor indício de início de gripe ou resfriado. Além disso, a questão dos beijos, abraços e apertos de mão nem ao menos precisou ser dito, já que em sua cultura é comum o cumprimento por reverência oriental ou acenos, entre amigos;
⦁ Diminuição da transmissão.

Portanto não há segredo nenhum por trás do método japonês ao combate do novo coronavírus. Além de seguir o que já foi dito pela OMS, ou seja, higienizar as mãos com frequência, manter isolamento e distanciamento social e utilizar máscaras.
Então a questão agora é: se estava tudo indo bem, por que decidiram realizar o estado de emergência? E como isso funcionou?

Estado de emergência no Japão: O que foi a quarentena que durou menos de dois meses
O estado de emergência contra o coronavírus no Japão funcionou semelhantemente à quarentena dos demais países. Contudo o que diferenciou foi a forma de lidar com a população, sendo mais flexível com as pessoas e permitindo o ir e vir, sem a necessidade sanções. Pedindo apenas o apoio para extinguir esse problema juntos.
Esse período se iniciou no dia 7 de Abril, tendo previsão para término no dia 4 de Maio. Algo que, em seguida, foi prorrogado para o dia 31 de Maio, porém finalizado no dia 25 deste mês.
Essa medida foi tomada após verificar que 40% dos casos confirmados era composto por jovens. Esses que provavelmente continuavam frequentando bares, restaurantes e karaokês que até o momento ainda se mantinham abertos.
Além disso, o festival de primavera, sucedido no dia 22 de Março, foi um grande motivador para o início do estado de emergência. Pois foi decretado fim de semana prolongado do dia 20 ao 22 de Março, para evitar que as pessoas saíssem para trabalhar havendo aumento do distanciamento e isolamento social, mas foi nesse tempo que houve o aumento no número de casos e mortes por COVID-19.
Dessa forma, o estado de emergência foi solicitado. Tendo como recomendação:

⦁ Execução do estado de emergência em todos os municípios do Japão, a partir do dia 16 de Abril. Até porque, até esse dia, esse plano era previsto apenas para Tóquio e outros municípios de grande importância econômica;
⦁ Fechamento de comércios, bares, restaurantes, karaokês e escritórios. Solicitando que, quem pudesse, trabalhasse home office;
⦁ Aumento do isolamento e distanciamento social. De modo a alcançar 70% a 80% da população em quarentena;
⦁ Permanência em casa durante a “semana dourada” — temporada de feriados em que muitos japoneses viajam.

Por fim, apenas bastou a colaboração entre governo e população para que tudo funcionasse. Contando com apoio econômico de 100.000 ienes por habitante (equivalente a R$5000,00).

Métodos realizados em outros países: Por que não têm apresentado diminuição no número de casos assim como no Japão?
A princípio, muitos países demoraram para ter o início imediato da prevenção à disseminação do coronavírus. De modo que as ações foram tomadas diante aos quadros de piora da situação.
Apesar disso, como meta a diminuição mundial do problema, diversos governantes seguiram as instruções da OMS (Organização Mundial de Saúde). De modo que passaram a:

⦁ Divulgar em grande escala as medidas de higiene a serem realizadas fora e dentro da residência;
⦁ Fechar escolas e comércios. Com o objetivo de aumentar o isolamento e distanciamento social;
⦁ Obrigar o uso de máscaras sempre que sair;
⦁ Implantar o lockdown, em alguns países. Consequentemente controlando o ir e vir da população e diminuindo os números de casos confirmados e mortes;
⦁ Solicitar que a população não buscasse auxílio hospitalar aos menores sintomas, como tosse e febre. Já que poderia se tratar apenas de uma gripe e causar o superlotamento dos hospitais.

| Veja mais em CORONAVÍRUS: Cuide bem da sua saúde, saiba como se prevenir

Ainda assim, os métodos realizadas em outros países têm como obstáculo a dependência pela empatia do povo. Já que o coronavírus no Japão só tem diminuído devido à consciência japonesa do respeito e não perturbação ao próximo.
Além disso, outro ponto muito importante tem sido a realização dos testes para o isolamento dos grupos atingidos. Algo que não tem ocorrido com frequência nos demais países que incentivam o autoisolamento.
Portanto, se você, assim como outras diversas pessoas, está com medo dessa pandemia, tente seguir o exemplo e faça sua parte. Dessa forma, você estará ajudando não apenas à sua família, mas também aos indivíduos que poderiam entrar em contato com você.
(Escrito por Mariana Kisaki)

Comentários
Loading...