Congresso dos EUA aprova projeto de lei em apoio aos direitos humanos tibetanos

22/12/2020 – 14:33:59 JST – WASHINGTON – O Congresso aprovou na segunda-feira um projeto de lei que abre o caminho para sanções contra funcionários chineses acusados de interferir na sucessão do líder espiritual exilado do Tibet, o Dalai Lama.

Os monges Lamas no mosteiro Rumtek em Sikkim(Amar, via Wikimedia Commons)

A aprovação do Tibetan Policy and Support Act of 2020, que foi incluído em um projeto de lei de gastos do governo, poderia se tornar outra fonte de atrito para os já tensos laços entre os EUA e a China. Ela precisa ser assinada em lei pelo Presidente Donald Trump.

O projeto de lei, apoiando a manutenção dos direitos humanos tibetanos e da liberdade religiosa na região autônoma chinesa, disse que os Estados Unidos procurarão responsabilizar altos funcionários chineses que interferem diretamente no processo de seleção do sucessor do Dalai Lama.

Qualquer movimento desse tipo seria visto como um claro abuso do direito à liberdade religiosa dos budistas tibetanos e do povo tibetano.

Tais funcionários chineses poderiam ser sancionados e proibidos de entrar nos Estados Unidos, de acordo com o projeto de lei.

Também solicita ao governo dos EUA que negue a autorização de qualquer outro consulado chinês até que seja permitido estabelecer um consulado americano na capital tibetana de Lhasa.

Espera-se que a abertura de um posto diplomático no Tibete permita aos Estados Unidos monitorar os desenvolvimentos políticos, econômicos e culturais.

O 14º Dalai Lama, 85 anos, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, vive no exílio na cidade de Dharamsala, no norte da Índia. A China o vê como um separatista em busca da independência tibetana.

==Kyodo

Comentários
Loading...