Celebração do aniversário do imperador reforça laços de amizade entre os dois países

(Jiro Mochizuki)

Um grande acontecimento merece uma celebração à altura. Para comemorar o aniversário do imperador Naruhito do Japão, que completou 60 anos no último dia 23, a comunidade nipo-brasileira preparou, na sexta-feira passada (28) uma grande festa que contou com apoio da Prefeitura Municipal de São Paulo, que cedeu o Theatro Municipal – palco do concerto com a Orquestra Filarmônica Brasileira do Humanismo Ikeda (OFBHI) – e iluminou o prédio da Prefeitura, no Vale do Anhangabaú (região central), com as cores da bandeira do Japão.

Público lotou o Theatro Municipal (divulgação)

A realização foi das cinco principais entidadades representantivas da comunidade japonesa residente em São Paulo – Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e Aliança Cultural Brasil-Japão – e contou com apoio do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Prefeituira da Cidade de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura, Fundação Theatro Municipal, Theatro Municipal, Instituto Odeon e apoio institucional da BSGI.
Sob regência do maestro Alexandre Pinto e participação do solista Sérgio Senda, a OFBHI executou peças de Beethoven (Romance para violino e orquestra nº 2 em fá maior, opus 50); Jean Sibelius (Finlandia – poema sinfônico, opus 26); Arturo Márquez (Danzón nº 2); Rentaro Taki (Kojo No Tsuki) e o poema da SGI, “Jovens, Escalem a Montanha do Século XXI”, finalizando com o tradicional “Parabéns pra você!”.

Carlos Kendi Fukuhara: “Apresentação digna e majestosa” (divulgação)

Majestosa – Abrindo a série de discursos, o cordenador do evento e vice-presidnete do Bunkyo, Carlos Kendi Fukuhara, lembrou que, para os japoneses, 60 anos “é uma idade considerada importante e marcante”. Segundo ele, a data é comemorada de forma mais “suntuosa”, para trazer saúde, sorte e felicidade ao início de uma nova etapa na vida do aniversariante.
“Diante desta tão relevante data, programamos um evento em que pudéssemos oferecer uma apresentação cultural digna e majestosa para a sociedade nipo-brasileira. Assim, escolhemos um concerto musical para ser realizado no Theatro Muncipal de São Paulo. Não teria outro lugar melhor e à altura para celebrarmos o aniversário, pois o imperador é um entusista e apreciador da música, e chegou a se apresentar, tocando viola, por duas vezes em São Paulo”, destacou Fukuhara, que fez um agradecimento especial aos patrocinadores – Honda e Bradesco – e à BSGI, além dos veículos de comunicação que ajudaram a divulgar o evento, entre eles os jornais Nippak e Nikkey Shimbun.

Ishikawa: “Orgulho pela tradição preservada com tanto zelo” (Jiro Mochizuki)

Kanreki – Presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa, também lembrou que Sua Majestade, o imperador Naruhito, chegou ao “Kanreki”, idade que, de acordo com a tradição japonesa, “representa simbolicamente a passagem para uma nova etapa da vida”.
“Assim, com o sentimento de respeitosa consideração e orgulho pela tradição preservada com tanto zelo, as entidades representativas da comunidade nipo-brasileira prepararam esta celebração”, discursou Ishikawa, acrescentando que as celebrações na comunidade nipo-brasileira relacionadas a Sua Alteza, o imperador Naruhito – que já esteve no Brasil por três ocasiões – tiveram início no ano passado, com a realização da “Celebração de Passagem para a Era Reiwa”, no dia 30 de abril – mesmo dia da abdicação do imperador emérito, Akihito – e da “Cerimônia e Jantar de Celebração da Entronização do Imperador do Japão”, no dia 22 de outubro, no Círculo Militar de São Paulo.
“Na história do intercâmbio Brasil-Japão, há uma atenção especial da Família Imperial dirigida à comunidade nipo-brasileira. Desta feita, representantes das maiores entidades nipo-brasileiras foram convidadas para participar da cerimônia de entronização no Palácio Imperial. Na 60ª Convenção dos nikkeis Residentes no Exterios, em Tóquio, no início de outubro passado, tive a honra de ser convidado para representar as delegações do exterior na cerimônia de abertura que contou com a presença de Suas Majestades”, lembrou o presidente do Bunkyo.

Cônsul Yasushi Noguchi: “Manifestações que só existem no Brasil” (Jiro Mochizuki)

Boa saúde – Já o cônsul Yasushi Noguchi falou sobre sua felicidade ao ver, mais uma vez, a comunidade japonesa se mobilizar em prol da família imperial. Desta vez para celebrar o aniversário de 60 anos de Sua Majestade, imperador Naruhito, que, segundo ele, “parece desfrutar de bom estado de saúde”. Noguchi destacou que, as maniestações de simpatia, respeito e solidariedade com a família imperial demonstrada pela comunidade nipo-brasileira “não se vê em nenhum outro país do mundo”.
Tais atitudes de solidariedade e gentileza, conta Noguchi, são transmitidas para o governo e o povo japonês contribuindo para fortalecer ainda mais os laços de amizade entre os dois países.

Coronavírus – Ele aproveitou a oportunidade para atualizar as informações sobre o coronavírus. Segundo o cônsul, a exemplo de outros países, também o Japão está lutando contra o coronavírus. Ele assegurou que o governo japonês está tomando todas as medidas necessárias para impedir que a doença se propague. Uma medida de urgência anunciada na semana passada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, o fechamento temporário de instituições de ensino, passou a vigorar esta semana no Japão. Outras medidas estão anunciadas para conter o surto.
“Estamos certos que vamos superar este desafio e vamos realizar uma grande Olimpíada e Paralimpíada”, finalizou.

Luiz Álvaro: Uma das maiores e mais bonitas homenagens” (divulgação)

Vínculos – Representando o prefeito Bruno Covas, o secretário municipal de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo, Luiz Álvaro Salles de Aguiar Menezes, disse que “o vínculo de amizade entre Brasil e Japão mantém recordes que remontam há mais de um século”. “Em 1908, 112 anos atrás, os primeiros imigrantes japoneses chegaram no navio Kasato Maru ao porto de Santos, cidade natal do nosso prefeito. E em 1969, há mais de 50 anos, a cidade de Osaka se tornaria nossa cidade irmã”, lembrou o secretário, destacando que “as relações entre a família imperial japonesa e o Brasil começaram em 1934 com a doação feita pelo então imperador Showa para a construção do Hospital Santa Cruz, primeiro símbolo que une a comunidade nipo-brasileira e a Casa Imperial do Japão” e hoje uma referência na área de saúde.
Luiz Álvaro destacou ainda todas as visitas dos membros da família imperial ao Brasil, começando pelo príncipe Mikasa. Segundo ele, Suas Majestades Eméritas, o imperador Akihito e a imperatriz Michiko não só estiveram no Brasil em três ocasiões – em 1967, cuja visita teve como ponto alto a cerimônia de recepção realizada no Estádio Municipal do Pacaembu; em 1978, por ocasião das comemorações dos 70 anos da imigração japonesa no Brasil e em 1997, quando foram recepcionados no Ginásio do Ibirapuera pelo então governador Mário Covas – como também designaram seus três filhos a fazerem suas primeiras viagens oficiais ao país.
“Visitas que certamente demonstraram boa vontade da família imperial em estabelever vínculos duradouros com o Brasil”, disse o secretário, acrescentando que “estes vínculos continuariam com as visitas do nosso homenageado do dia, o imperador Naruhito, que também já veio ao Brasil em três ocasiões, todas como príncipe herdeiro”.

Orquestra Filarmônica Brasileira do Humanismo Ikeda foi aplaudida de pé pelo público presente no Municipal (Jiro Mochizuki)

Legado – “Da nossa parte, estes laços com a família imperial tem sido fortalecidos e estreitados pelo nosso prefeito Bruno Covas, que em 2018, no 110º aniversário da imigração japonesa no Brasil, teve a honra de receber a princesa Mako na cerimônia de abertura do Festival do Japão em São Paulo. E hoje mesmo iluminou a Prefeitura de São Paulo com as cores da bandeira do Japão em homenagem ao aniversário de Sua Majestade”, explicou Luiz Álvaro, afirmando que estas visitas dos membros da família imperial deixaram um “legado cultural de inestimável importância materlizado em diferentes espaços espalhados pela cidade”.
“Entre eles destacam-se a Japan House São Paulo, uma das três únicas casas no mundo, o recém renovado Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, inaugurado em 1978, e o Pavilhão Japonês, no coração do Parque do Ibirapuera, presente do Japão à cidade de São Paulo no seu 400º aniversário, no ano de 1954”.

(Jiro Mochizuki)

Frutos – O secretário destacou ainda que São Paulo se orgulha em ser “a maior cidade japonesa do mundo”, “na qual a comunidade de descendentes de japoneses muito tem contribuído para o desenvolvimento da nossa metrópole em diversas áreas, e concluiu afirmando que, em 2020 “continuaremos cultivando nossa relação de amizade”. “E já contamos com uma próxima visita da família imperial”, disse.
“Esta celebração será sem dúvida um marco no aprofundamento dos laços tradicionais históricos que esperamos tragam frutos nas áreas de negócios, cultura e inovação para os nosoos povos, nossas cidades e nossos países”, concluiu,

Ao Jornal Nippak, Luiz Álvaro disse que, celebrar o aniversário de Sua Majestade, imperador Naruhito no Theatro Municipal “mostra, de fato, a proximidade da cidade de São Paulo com a comunidade japonesa”. “E eu posso dizer que, com certeza, a homenagem ao imperador aqui na cidade de São Paulo foi uma das maiores e mais bonitas prestadas no mundo por conta do seu aniversáro de 60 anos, não só pela presença da comunidade japonesa mas pelo apoio do prefeito Bruno Covas em ceder o Municipal e mandar iluminar o prédio da Prefeitura ,símbolo do Executivo, com as cores da bandeira do Japão em homenagem ao imperador Naruhito”.

Autoridades e patrocinadores fazem o tradicional “banzai” (Jiro Mochizuki)

Kampai – Após o concerto, o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Toshifumi Murata, puxou o “Banzai”, ainda no palco. Em seguida, cerca de 200 convidados participaram de um coquetel com direito ao brinde comandado pelo presidente do Bunkyo ao som da música “Kampai”, intepretada com brilhantismo pelo cantor Joe Hirata.

Comentários
Loading...