CAMPANHA DE MENSAGENS DE SOLIDARIEDADE/IKOI-NO-SONO: Para Reimei Yoshioka, sentimento é de solidariedade

Reimei Yoshioka (divulgação)

“Recém-eleito presidente da Assistência Social Dom José Gaspar – Ikoi-no-Sono,, no dia 14 de março, esta pandemia nos pegou de surpresa. Assim, ao lado dos cuidados em família, estamos extremamente preocupados com a instituição, onde residia 67 idosos. Nunca tivemos uma catástrofe global em que ninguém, pode se dizer, está a salvo. A única coisa que sabemos é a sua forma de transmissão (pelas formas de contágio já amplamente divulgados).
Assim, solicitamos às famílias dos idosos – as que que pudessem – levar o seu idoso para casa e mantê-lo isolado. Entretanto, existem muitos que não tem como cuidá-los em sua casa. E assim, não resta outra laternativa senão deixá-los na instituição, o mais afastado entre eles, e impedindo a entrada de estranhos e, sobretudo, cuidar do aspecto higiênico. Os nossos funcionários têm sido de uma dedicação elogiável, fazendo tudo que é possível, mesmo enfrentado falta de materiais indispensáveis. E, neste sentido, aproveitamos este espaço para manifestar os nossos profundos agradecimentos a todos os doadores de materiais e recursos financeiros indispensáveis para dar continuidade a nossa missão. “Que Deus nos salve”.
Dito isto, emitirei a minha opinião a respeito da situação decorrente deste estrago jamais visto neste e no século passado, exceção feita a II Guerra. É possível dizer que a humanidade está passando por calamidade, jamais vista, causada por um vírus, invisível a olho nu. A globalização trouxe inúmeros benefícios e o estrago também, globalmente. A facilidade de ir e vir de um país a outro, facilitou a propagação da epidemia que acabou se tornando pandemia. Se a pandemia, que dizem ter saído da China, alastrou-se mundialmente, fazendo grandes estragos em Nova York devido a grande concentração humana, não deixou de atingir os nossos índios que vivem isolados no meio da floresta amazônica.
A recomendação do isolamento social preconizado pela OMS é praticamente impossível. O agricultor familiar consegue sua produção isoladamente, mas o seu produto deve ser comercializado por muitas pessoas. Assim muitos produtores não tem como vender seus produtos, acabando por perder toneladas de verduras como relatou um produtor de Mogi das Cruzes. Mesmo que a epidemia passe, até a nova safra levará diversos meses. Até que isso aconteça muitos estarão falidos e a população urbana morrendo de inanição. Por outro lado, as indústrias estão paralisadas, os fornos apagados, empregados sendo dispensados e assim por diante.
Os prestadores de serviços se encontram dispensados e sem receitas, não tem como sobreviver. O Brasil, que tem contingente populacional de baixa renda, necessita alimentar esse contingente. Aliás, até encontrar essa gente para distribuir os parcos recursos de R$ 600,00 (seiscentos reais) está difícil. Some-se a tudo isso os milhares de desempregados mesmo antes do coronavirus-19. E para tornar a situação ainda pior, os governantes que não se entendem dentro do governo federal;   entre o executivo, legislativo e judiciário. O desentendimento do governo federal, estaduais e municipais, agravada com o ano de eleições municipais. Este é, rapidamente, o cenário do Brasil.
Já um comentário sobre o Japão é um pouco difícil, pois isto acompanho através do programa de NHK. La, é preciso que se diga, a população é mais disciplinada, a comunicação emanada do governo é mais respeitada. Além disso, a população já tem passado por diversas catástrofes como vendaval, terremoto, maremoto, enchentes. Para muitas catástrofes já existem esquemas de seguranças. Não estava previsto aquele terremoto, seguido de maremoto e desastre da usina de geração de energia através da usina nuclear da região nordeste do Japão em novembro de 2011.
Mas ação do governo foi imediata. A população japonesa é resignada, espera ainda a grande catástrofe na região de Kanto (Tóquio e arredores). O Japão tem sido vítima de virus que afetam os seres humanos e sobretudo a criação de aves, suínos e bovinos que exigem sacrifício dessas criações. Entretanto, conseguem circunscrevê-los localmente ou regionalmente.

Entidade foi fundada por Margarida Vatanabe (divulgação)

No entanto, não conseguiu segurar o covid-19. Não obstante, está conseguindo obter colaboração da população para evitar aglomeração. A NHK apresentou, por exemplo, a estação de Shibuya quase sem transeunte. Assim como no Brasil, o governo está prevendo ajuda financeira à população desprotegida; às pequenas e médias empresas.
Os centros de pesquisas e as universidades fazem pesquisas intensivamente.
A mensagem que gostaríamos de enviar a todos é o sentimento de solidariedade àquelas famílias que perderam entes queridos, àqueles que lutam para sobreviver em hospitais, pessoas que perderam empregos, suas produções. Enfim, mais do que nunca, esta palavra e atitude devem estar presentes no nosso cotidiano.
E por fim, como presidente da Assistência Social Dom Jose Gaspar (Ikoi-no-sono), manifesto palavras de muita gratidão a todas as pessoas, empresas, pelas doações que estamos recebendo; e, a vocês, funcionários, voluntários que lutam incansavelmente para manter isolados os nossos queridos idosos, à salvo deste terrível vírus que avassala a humanidade.
Muito obrigado.

Reimei Yoshioka
presidente

Comentários
Loading...