CAMINHOS BRASIL-JAPÃO: Para o presidente da JHSP, ‘ficou claro que temos uma autêntica comunidade nipo-brasileira’

Se antes de sua realização pairava alguma preocupação – principalmente quanto ao tempo – em relação ao projeto Caminhos Brasil-Japão – uma ação da Japan House São Paulo para celebrar os 125 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão – ela foi desfeita tão logo o domingo amanheceu. Equipes e produção a postos, era só colocar em prática um projeto inovador que tem tudo para fazer parte do calendário de eventos de São Paulo e cair no gosto dos paulistanos, que adoram caminhar e descobrir lugares diferentes.
Concebido inicialmente para ser uma caminhada física pelos principais pontos que marcaram – e marcam até hoje – essa relação de mais de um século entre os dois países, o evento acabou ganhando o formato online por conta da pandemia. Com duração de cerca de 1h30, a caminhada teve início por volta das 10h em seis diferentes percursos, cada qual com um tema – Artes, Atualidades, Cultura, Esportes, Gastronomia e Memórias Brasil e Japão.

A apresentadora Bruna Aiiso (Helena Wolfenson)

Uma das novidades foi a transmissão ao vivo, por meio de sete canais de streaming simultâneos, um para cada rota – e um sétimo comandado pela atriz e apresentadora Bruna Aiiso, que fez uma apresentação dos destaques de cada caminho. Em outra ação pioneira, a transmissão contou com libras e fez parte da Jornada do Patrimônio 2020, uma realização da Prefeitura de São Paulo que prossegue até este sábado (12).
Personagens de destaque para as relações entre os dois países encontraram informalmente convidados e, juntos, caminharam em direção à Japan House São Paulo, apresentando histórias que contam e celebram essa importante relação, visitando locais marcantes para a comunidade japonesa na cidade.
Fizeram parte do time de personagens: Mauro Sousa, filho do cartunista Mauricio de Sousa; o jornalista Ricardo Cruz; o presidente da JHSP, Eric Klug; o canoísta olímpico Pedro Henrique Gonçalves da Silva, a chef Telma Shiraishi (do restaurante Aizomê) e Hideki Uehara, fundador do GoHanGo e cozinheiro no Tamashii Ramen; e o apresentador e ator Kendi Yamai, que corajosamente aceitou o desafio de substituir, um dia antes, o titular Claudio Kurita, diretor operações, eventos e institucional da JHSP, que sofrera um acidente na véspera o que o impossibilitou de participar. Em alguns destes pontos, os personagens foram recebidos por anfitriões.

(Aldo Shiguti)

Memórias – A reportagem do Jornal Nippak acompanhou uma destas rotas, a Memórias Brasil-Japão, comandada por Kendi Yamai. O ponto de partida foi na altura do número 332 da Rua da Glória, onde estão localizadas as redações do Nikkey Shimbun e do Jornal Nippak – únicos jornais impressos dirigidos à comunidade nipo-brasileira na atualidade. O anfitrião, Raul Takaki, contou um pouco sobre a história e falou também sobre o difícil momento pelo qual os jornais segmentados atravessam.
Seguindo pela Rua dos Estudante, a equipe passou pela Capela Nossa Senhora dos Aflitos – importante imóvel da preservação da memória do bairro. No caminho, Kendi contou algumas curiosidades do bairro, como o Largo da Forca e a Praça da Liberdade-Japão.
Durante o trajeto até a próxima parada, o Largo da Pólvora – onde estão os bustos de quatro dos principais líderes da imigração japonesa (Ryo Mizuno, Umpei Hirano, Hachiro Miyzaki e Shuhei Uetsuka) – mais histórias sobre as calçadas, o suzurantos, o torii, o jardim japonês, o cinema e os restaurantes.
Passando pelo Nikkey Palace Hotel, a equipe seguiu para o Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, na Rua São Joaquim, onde foi recebida pelo presidente Renato Ishikawa, que nos guiou em uma uma rápida visita. Por fim, a rota incluiu dois kenjinkais, o de Yamaguchi e o de Hiroshima. Antes, uma breve parada no Templo Busshinji.

Kendi Yamai e equipe no Largo da Pólvora, no bairro da Liberdade (Aldo Shiguti)

Kawara soba – Nas duas associações de províncias, mais curiosidades e histórias. No Yamaguchi, a presidente Kimiko Ito e a ex-bolsista Sachie Sendo falaram sobre a província e a própria sede da associação, uma construção histórica desenhada pelo arquiteto Ramos de Azevedo no século 19. E também contaram sobre o prato típico da província, o Kawara soba, um tipo de yakisoba em que a massa é feita com chá verde preparado com algas, ovo, nabo ralado e limão. O passeio terminou na Japan House São Paulo, outro ícone da presença japonesa em São Paulo.

Opiniões – Apesar de corrido, Kendi Yamai gostou da experiência. “Nunca tinha participado de uma live neste formato, que é um formato complexo por envolver uma estrutura diferente, grande, e pelo fato de ser ao vivo. Essa logística é bem complicada, de funcionar na hora certa e no momento certo”, destacou o apresentador, acrescentando que a rota e as conversas com com os convidados trouxeram à tona a lembrança de seu pai.
“A rota fez com que eu – e acho que boa parte do público que estava assistindo também – lembrasse desta ligação Brasil-Japão e também muitas coisas do meu pai e dos meus avós”, disse Kendi, que também teve oportunidade de visitar o museu depois da reforma. “Também gostei muito do que o Dr. Renato [Ishikawa] falou, sobre os sacrifícios dos pais para priorizar os estudos dos filhos. Acho que 90% dos imigrantes – ou mais – pensavam desta forma”, disse.
Para a atriz e apresentadora Bruna Aiiso, a ação foi também uma oportunidade de despertar interesse das pessoas para a importância de celebrar os 125 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão.

O cônsul geral adjunto Akira Kusunoki com o presidente da Japan House São Paulo, Eric Klug (Kaio Lakaio)

“A iniciativa por sí só foi muito legal porque muitas pessoas não sabiam da existência desta data. Aí vem também a questão de ser um evento inovador e pioneiro aqui no Brasil com sete transmissões simultâneas. Dividir as trajetórias por temas fez com que a pessoa que estava assistindo pudessem escolher um canal ou se ela estivesse ligada no meu canal, poderia ver um pouquinho de tudo, mais as curiosidades que a gente ia soltando durante a apresentação”, explicou Bruna, que inicialmente faria a caminhada ao lado do presidente da JHSP, Eric Klug. “Na última hora eles me chamaram para fazer a apresentação do evento, o que foi um super presente porque estar ali, meio que conduzindo e comandando um evento com esta estrutura e desta importância foi muito bom para mim não só como nikkei mas também como profissional de comunicação e como apresentadora”, admitiu a atriz, que espera que a ação se repita em 2021 e vire um evento anual. “Espero que no ano que vem a gente possa viver esta mesma experiência mas de um jeito diferente, com todos caminhando juntos”, concluiu Bruna Aiiso.
Para Eric Klug, “foi uma enorme felicidade ver o envolvimento dos kenjinkais, do Kenren, do Consulado e de toda a comunidade em nosso projeto”. “Ficou claro que não temos mais uma comunidade japonesa no Brasil mas uma autêntica comunidade nipo-brasileira”, disse o presidente da JHSP, que garante o evento em 2021. “Certamente repetiremos o evento em 2021, mas esperamos poder ter milhares de pessoas participando e descobrindo estes lindos Caminhos Brasil-Japão”, afirmou.
Todos os vídeos com as rotas estão disponíveis no site da JHSP: (www.japanhousesp.com.br/caminhosbrasiljapao/)

Comentários
Loading...