Cabrinha – Prionotus punctatus

Por: Marcelo Szpilman e ilustração de Antônio Woyames

Coloração: Dorso castanho, flancos pardos e ventre branco. Apresentam manchas escuras arredondadas no dorso e flancos e nas nadadeiras dorsis (nos adultos, somente na segunda dorsal) e peitorais. Na nadadeira caudal essas manchas tendem a formar barras verticais. As margens ventrais das peitorais são azuladas.
Características: Corpo triangular com a cabeça ossuda e espinhosa. Peitoral longa e bem desenvolvida, com três raios livres em posição inferior. Podem chegar a 0,4 metro e pesar 1,2 kg, mas o tamanho médio gira em torno de de 0,25m e 0,4 kg.
Ocorrência: Nas águas tropicais e temperadas da costa atlântica das Américas Central e do Sul. No Brasil, ocorrem em praticamente toda a costa.
Habitat: Bentônicas costeiras de águas relativamente rasas (entre 1 e 80 metros), vivem nos fundos arenosos ou lamacentos. Freqüentam também as áreas coralinas e estuarinas e são comuns nas poças das pedras da zona entremarés.
Hábitos: São encontradas em pequenos grupos junto ao fundo procurando alimento. Para isso, se apóiam sobre as peitorais abertas, que funcionam como “braços”, e utilizam os raios livres das peitorais para revolver a areia. Esse alimento constitui-se principalmente de pequenos peixes, crustáceos e moluscos. Podem emitir sons através da bexiga natatória.
Captura: Os espécimes maiores possuem alguns apreciadores, que consideram sua carne saborosa. Com freqüência, são capturados junto com outros peixes nos arrastões de fundo ou arrastões de praia. Apenas os maiores exemplares são aproveitados e comercializados, inteiros e frescos.
São capturadas também com linha de mão e vara de pesca. Outros nomes vulgares: gallina pintada (Nicarágua).

Comentários
Loading...