ARTIGO > Márcio Nakashima: Que ano foi esse…

*Márcio Nakashima
Foi um ano muito difícil. Nem as mais certeiras previsões dariam o tom do que viveríamos em 2020, um ano marcado por uma grave crise de saúde que matou milhares de pessoas, causou pânico na população e forçou uma mudança drástica em nossas vidas.
As notícias davam conta de uma gripe devastadora, com grande poder letal que avançaria da China para o resto do mundo.
Em março, a Covid19 chegou ao Brasil e fez a primeira morte em São Paulo, o epicentro da doença no País.
Aulas foram canceladas, o comércio foi fechado, precisamos adotar medidas de segurança sanitária, distanciamento social, home office…
Tivemos de nos resguardar, aprender tantas coisas novas, fomos forçados a viver mais reclusos, a lavar mais as mãos, cobrir o rosto com máscaras e usar álcool em gel.
Enquanto o desespero tomava conta da população, um decreto de calamidade pública do governador João Doria permitia gastos milionários e compras, por vezes fraudulentas, disfarçadas de emergenciais.
Em meio a essa gastança desenfreada, formamos na Assembleia Legislativa de São Paulo o PDO, Parlamentares em Defesa do Orçamento, um grupo suprapartidário do qual faço parte juntamente com outros dez deputados:

Adriana Borgo
Agente Federal Danilo Balas
Conte Lopes
Coronel Nishikawa
Coronel Telhada
Ed Thomas
Edna Macedo
Leticia Aguiar
Sargento Neri
Tenente Coimbra

Nossa primeira missão foi investigar um contrato de R$ 14,1 milhões para a confecção de aventais descartáveis.
Em diligência à suposta fábrica de aventais em Itapevi, descobrimos uma fraude e conseguimos cancelar a compra.
À sombra da calamidade, gestores públicos de norte a sul do estado aproveitaram para gastar do jeito que queriam:
Imagine uma máscara descartável ao custo de R$ 70 reais, um avental a 270? Foi isso que encontramos.
A pandemia proporcionou uma farra com o dinheiro público. Enquanto isso, pipocavam informações de que os hospitais de campanha não davam mais conta de tantos pacientes.
O governo também anunciava a necessidade de locação de 4.500 leitos em hospitais particulares, em um gasto estimado em R$ 594 milhões.
O que estaria acontecendo nos hospitais públicos? Não paravam de chegar denúncias. Resolvemos investigar.
Rodamos a Capital e interior do estado fiscalizando hospitais públicos e de campanha: Hospital de Vila Nova Cachoeirinha, Hospital Geral e HMU, em Guarulhos, Hospitais de Ibiuna e Sorocaba, no interior do estado.
Hospitais de campanha do Ibiraquera, Heliópolis, Guarulhos e Ibiuna. Mas, foi no ANHEMBI que encontramos o maior problema.
Denunciamos um galpão com áreas desativadas e leitos incompletos. Apuramos que o número de pacientes era muito menor do que o divulgado pelo governo.
Denunciamos, fomos acusados de promover fake news. Dias depois, o CRM e o Ministério Público também constataram as irregularidades.
Tudo isso nos levou a pedir o impeachment do governador João Doria. Mas, ele conseguiu escapar e continuou fazendo estragos em São Paulo.
Mandou para a Assembleia Legislativa o PL 529, que acabou com o patrimônio público. Lutamos contra o projeto. Nos últimos minutos, conseguimos salvar a FurP Guarulhos, o Itesp e a Fundação Oncocentro.
Mas, não teve jeito, outros 48 deputados votaram a favor e Doria fechou empresas públicas, aumentou tributos e demitiu servidores. Um pacote de maldades sem tamanho.
O ano de 2020 também foi duro para as mulheres. Somente no primeiro semestre, os casos de feminicídio cresceram 41,4%. Denúncias que aumentaram com o confinamento.
A pandemia também foi pretexto para soltar mais de 5 mil detentos somente em São Paulo. E quantas pessoas desapareceram neste ano? 24 mil somente em São Paulo.
Nosso mandato recebeu centenas de casos e ajuda hoje mais de 300 famílias que estão em busca de seus entes desaparecidos.
2020 exigiu de nós muito trabalho pela saúde. Levamos a carreta da mamografia para Guarulhos, São Carlos, Mairinque, Itatiba e Tremembé. Indicamos vários municípios para receber mais leitos de hospitais e EPIs para as equipes médicas. Destinamos recursos por meio de emenda parlamentar para obras de infraestrutura, custeio da saúde e programas contra a violência doméstica.
Fomos incansáveis na defesa da mulher, nos projetos de lei e campanhas de incentivo à denúncia.
Que 2021 nos traga ainda mais oportunidades. Daremos continuidade a todas as ações que iniciamos neste ano. E não desistiremos de lutar contra tudo aquilo que prejudica o povo.
Seguiremos com nosso mandato aberto e participativo. Meu respeito e gratidão a você que me acompanha e que acredita no meu trabalho.
Desejo um Feliz Natal e que 2021 seja um ano melhor para todos nós.

“Dois mil e vinte exigiu de nós muito trabalho pela saúde” (Jose Antonio Teixeira-Alesp)

*Márcio Nakashima é deputado estadual (PDT)

Comentários
Loading...