ALEITAMENTO MATERNO: Agosto Dourado alerta para importância da amamentação

Cartaz da Prefeitura de SP divulgando a campanha mundial de 2019 (reprodução)

Os prédios públicos da cidade estarão iluminados neste mês de agosto com a cor dourada. O motivo é a Lei Municipal (nº 16.320/2015) do vereador Aurélio Nomura que instituiu o “Mês do Agosto Dourado” com o objetivo de despertar a importância do aleitamento materno e incentivar as mamães a amamentar seus filhos.
“No mês de agosto a cor dourada já ilumina monumentos como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, por exemplo. Nada mais justo que adotar também na cidade de São Paulo para chamar a atenção para a importância do aleitamento materno”, destaca o vereador Aurélio Nomura “Acreditamos que o ‘Agosto Dourado’ confere maior visibilidade à prática que beneficia a mulher, o seu bebê e sua família”.
Em 1990, em Florença, Itália, entre os dias 30 de julho e 1 de agosto, foi redigida e adotada a “Declaração de Innocenti”, por representantes de organizações governamentais, ONGs, defensores da amamentação de países de todo mundo, no encontro “Breastfeeding in the 1990s: A Global Initiative” ou “Amamentação nos anos 90: uma iniciativa global”.
Ao assinarem a Declaração de Innocenti, os países formalizaram seu compromisso com a Iniciativa Hospital Amigo da Criança de tornar os Dez Passos para o sucesso de aleitamento materno uma realidade em seus hospitais. Com esse compromisso, as maternidades mudaram suas políticas de isolamento de bebês em berçários, fortaleceram alojamentos conjuntos, treinaram equipes e passaram a estimular a amamentação desde os primeiros momentos do parto.
“Acreditamos que o Agosto Dourado, poderá dar maior visibilidade ao ato que beneficia a mulher, o seu bebê e sua família. Durante todo esse mês de agosto vários pontos turísticos, simbólicos, espalhados pelo mundo, como o nosso Cristo Redentor, são iluminados pela cor dourada para energizar o mundo e incentivar o aleitamento materno”, diz Nomura.

Padrão ouro – A cor dourada, iniciativa da Unicef, simboliza que a amamentação é padrão ouro para a alimentação infantil. Uma parte representa a mãe e a outra a criança. “O laço simétrico significa que a mãe e a criança são ambos vitais para o sucesso da amamentação. O nó é o pai, a família e a sociedade – sem o nó, não haveria o laço; sem o apoio, a amamentação não seria exitosa”, explica o vereador Nomura.
(da redação)

Comentários
Loading...