AKEO UEHARA YOGUI : Campanha de mensagens de solidariedade (6) – Obrigado pela coragem da equipe médica!

Presidente da Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo, Enkyo, Akeo Yogui

A Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo e a Associação Nipo-Brasileira de Assistência Social – Enkyo, atuam na área da Saúde e de Assistência Social e estão sendo diretamente afetadas pelo atual surto de Pandemia da COVID-19.
O Hospital Nipo-Brasileiro designou uma ala isolada para o atendimento de pacientes afetados pelo COVID-19 com número de profissionais, equipamentos, materiais e cuidados diferenciados além de maior espaço físico. Criamos sem ônus serviço de Tele orientação oferecida aos pacientes que tiveram alta hospitalar com a participação de médicos voluntários para proporcionar maior conforto e segurança aos pacientes e desde fevereiro constituímos uma Comissão composta por equipe multidisciplinar que diariamente se reúnem para discutir as ações de combate ao COVID-19.
Os grandes desafios são; 1- Conseguir suprimentos de EPI (Equipamento de Proteção Individual) que estão escassos e com preços exorbitantes, 2- Reposição de recursos humanos afastados pelo contagio ou suspeito de COVID-19, 3- Possível agravamento e consequente falta de leitos UTI e de equipamentos.
Na área de Assistência Social; o Centro de convivência do idosos, situado na Liberdade, está em recesso, atendendo a recomendação e orientação as autoridades.
Nas casas de repousos; KOSEI HOME em Santos, AKEBONO HOME em Guarulhos, SAKURA HOME em Campos do Jordão e IPELANDIA HOME em Suzano, são acolhidos idosos cuja média de idade ultrapassa os 85 anos, além de termos também idosos com mais de cem anos, o que nos causa muita preocupação pois são pessoas altamente vulneráveis.
No intuito de minimizarmos os riscos e protegermos os idosos e os funcionários, foram tomadas as seguintes ações; 1- Orientação presencial para todos os funcionários pela equipe médica do Hospital Nipo-Brasileiro sobre COVID-19; 2- Monitoramento diário e isolamento de idosos com suspeita ou sintomas, 3- Afastamento dos colaboradores com suspeita ou sintomas, 4- Proibição de visitas, suspensão da entradas de novos idosos, atividades dos voluntários e reuniões, 5- Cuidados na higienização das mercadorias, uniformes, calçados e ambientes, 5- Uso de máscaras e luvas por todos os funcionários, 6- Comunicação aos familiares sobre a possibilidade de desinternação do idoso neste período. 7- Confecção de mascaras para uso do administrativo, cozinha, limpeza e manutenção.
Os desafios são; 1- Contratação de novos funcionários para substituir os afastados o que nem sempre é fácil nesta pandemia, 2- Aquisição de EPIs que estão escassos e quando se encontra os preços são muito altos.

Hospital NIpo-Brasileiro

Infelizmente não temos ainda medicamentos para a cura do COVID-19. Na minha opinião neste momento é melhor seguir as recomendações de distanciamento social para evitar o contagio em massa e sobrecarregar os Hospitais com capacidade limitada de atendimento.
Sem dúvida o fechamento de industrias, comercio e serviços trará reflexos muito duro na economia das empresas e para o governo.
Apesar de muitas medidas anunciadas como injeção de vultosos recursos na economia e de ajudas prometidas para os mais afetados e para a população mais vulnerável, lamentavelmente notamos que o governo não consegue encontrar mecanismo eficaz de distribuição para a população mais vulnerável.
Enquanto a maioria da população e as empresas sofre com todas as consequências da pandemia, infelizmente não vejo nenhuma iniciativa ou medida do governo para corte de altos salários dos funcionários públicos do Executivo, Judiciário e do Legislativo, neste cenário de baixa arrecadação de tributos do governo. O exemplo de sacrifício deve de cima para baixo para que todos possam juntos vencer esta fase difícil.
Acompanho com muita atenção a situação do Japão que sem medidas radicais, parece controlar a pandemia do COVID-19, creditando a educação japonesa. Sem dúvida a cultura japonesa de respeito ao próximo usando sempre a máscara quando estão com tosse ajuda muito no controle. Notamos que nos últimos dias tem crescido o número de pessoas infectadas levando o governo adotar medidas mais radicais em algumas regiões.
Neste cenário de muitas incertezas quando a maioria da população acompanha de casa os noticiários, gostaria de ressaltar o trabalho de todas as pessoas que trabalham na área da Saúde e de Assistência Social, como médicos, enfermeiras, técnico de enfermagem, assistentes sociais e outros que estão na linha de frente desta batalha diária para o combate ao COVID-19, com coragem e responsabilidade. A minha homenagem e respeito a todos.

Comentários
Loading...