Ação solidária cresce, mobiliza mais pessoas e beneficia mais entidades assistenciais

(Arquivo pessoal)

No último dia 21, uma história iniciada há uma década e meia teve continuidade com a ação solidária de um grupo de voluntários formado por pessoas das mais variadas profissões, além de de empresas e entidades nikkeis. No total, quatro entidades foram beneficiadas este ano com a doação de 1 tonelada de produtos – entre mantimentos e produtos de higiene. São elas: Enkyo Sakura Home (Campos do Jordão); a Assistência Social Dom José Gaspar “Ikoi-no-Sono”, de Guarulhos; a Sociedade Beneficente Casa da Esperança Kibô-no-Iê, de Itaquaquecetuba), e o orfanato Casa do Pequeno Cidadão, de São Paulo.
“Sábado fizemos a compra dos produtos, efetuando a compra em estabelecimentos de compras de grandes volumes (atacarejos). Fizemos toda a triagem dos materiais, separando por entidade, realizando a higienização e identificação com etiquetas do movimento”, explicou o coordenador Lucas Oishi, acrescentando que a ação acontece todos os anos no dia 21 de abril, feriado de Tiradentes.
“Fazemos uma ação solidária que envolve diversas atividades de cunho social. Interagimos com os assistidos, realizando apresentações culturais, como apresentações de taikô, danças e karaokê, além de interações e bate-papos para saber um pouco mais das experiências vividas e adquirir conhecimentos”, conta Lucas, lembrando que essa história teve início há muito tempo.

Corrente do bem – Para ser mais exato, há 15 anos. De lá para cá, essa corrente do bem cresceu, mas ação acontece todos os anos. “Um grão foi semeado por um engenheiro com muita vontade e aspirações. Ele desejou seguir o seu sonho de tentar ajudar a construir um mundo melhor. Começou doando um equipamento de produção de cloro para higienização a uma entidade assistencial e a ação foi crescendo no decorrer dos anos, com a participação de algumas associações culturais, esportivas e religiosas. Hoje esta ação já se encontra em calendário oficial de todos as entidades assistenciais e equipes envolvidas”, explica Lucas, destacando que, este ano, em função da pandemia, não foi possível realizar as visitas tradicionais.
“Isto, no entanto, não foi motivo para abalar o grupo e decidimos realizar esta corrente do bem a fim de arrecadar mantimentos e itens de higiene para que eles possam se manter firmes e fortes neste período tão complicado”, disse Lucas Oishi, afirmando que a ação impactou e envolveu mais de 2 mil pessoas.

Comentários
Loading...