Yamaguchi Kenjinkai envia dez pessoas para província natal a convite do governador local

Ito e grupo de participantes em visita ao jornal antes da viagem - AKIKO ARIMA
Ito e grupo de participantes em visita ao jornal antes da viagem – AKIKO ARIMA

A Associação Assistencial e Cultural Yamaguchi Ken do Brasil, presidida por Kimiko Ito, participou, a convite do governador da província de Yamaguchi, Tsugumasa Muraoka, do “Projeto para Promoção da Cooperação entre a Comunidade Nikkei da América Latina e Entidades Públicas do Japão”, organizado pelo Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão. Dez jovens foram enviados para Yamaguchi em 28 de janeiro e retonaram no último domingo (3).
É a primeira vez que o ministério japonês realiza esse projeto e a província de Yamaguchi foi a primeira escolhida. O objetivo é manter a base da entidade no Brasil por meio da vivência da história e cultura de Yamaguchi, com homestay e intercâmbio com moradores locais, impedindo o desligamento de jovens nikkeis da associação e construindo uma rede de contatos com a geração mais nova.
As condições para participação no projeto era frequentar o curso de língua japonesa e de história e cultura de Yamaguchi, composto por cerca de 24 aulas e oferecido pela Associação Assistencial e Cultural Yamaguchi Ken do Brasil. As inscrições foram feitas pelo boletim da associação e pela página no Facebook, com a presidente Ito e a nissei e ex-bolsista provincial Marina Wakiyama ministrando as aulas. O curso contou também com descendentes não-membros da associação e jovens não-descendentes, sendo selecionados dez alunos.
A programação previa visita à sede do governo da província de Yamaguchi e a cidade no dia 29. O grupo também aprendeu a vestir quimonos, no dia 30. Até 1 de fevereiro, visitaram as cidades de Hagi, Shimonoseki, Hofu e Iwakuni, fazendo homestay entre os dias 1 e 2. No dia 3 estava prevista visita à Tóquio.

Ansiedade – Membro da associação, a sansei Fernanda Sayuri Yoda estava animada: “Gosto da cultura japonesa, por isso mal posso esperar para aprender mais. Também gosto de comida japonesa como lámen e takoyaki, então estou ansiosa para experimentar as comidas”.
Barbara Senrra, que adora a cultura do período Edo como o ukiyoe (xilogravura) e o suibokuga (pintura em nanquim), contou seu entusiasmo pela cultura japonesa: “Estou ansiosa para aprender sobre Shoin Yoshida em Hagi e visitar o jardim do templo Joeiji”.
A presidente Ito destaca: “Yamaguchi era o centro da Revolução Meiji como o domínio de Choshu e muitas personalidades como Shoin Yoshida atuaram lá. Quero que o grupo conheça a cultura e a história dessa província”.
(Akiko Arima, do Nikkey Shimbun)

Ouve-se por aí…

De acordo com a presidente Ito da Associação Assistencial e Cultural Yamaguchi Ken do Brasil, este projeto foi apresentado pela província de Yamaguchi em outubro de 2017 e, por meio da Divisão de Turismo, Esporte e Cultura Internacional da mesma província, entregaram um relatório em junho do ano passado, sendo selecionados. Ito revela: “Nos inscrevemos e, por coincidência, fomos escolhidos”.
Ministrar o curso que era condição para o projeto teve um efeito inesperado. A diretoria também começou a estudar a história e a cultura do Japão, além de etiqueta, para não ficar atrás dos jovens. Realmente, deve ser frustrante que seus jovens descendentes saibam mais sobre a província natal. O projeto deu novo ânimo para a atual diretoria da entidade.
Que tal os demais kenjinkais se inscreverem no projeto, já que a participação é permitida para qualquer associação provincial?

Comentários
Loading...