RUGBI PARALÍMPICO: Isadora Kataoka canta hino nacional no Ginásio de Tóquio

A brasileira Isadora Kataoka (Arquivo pessoal)

Com muita emoção e sentimento de amor e patriotismo, Isadora Kataoka cantou o hino nacional brasileiro no “Tokyo Metropolitan Gymnasium”, um estádio olímpico lotado de torcedores japoneses. “O meu sentimento foi o de mandar boas energias para o país e torcer para o nosso grande time de rugby” disse. Foi na abertura do jogo BrasilxJapão da Copa do Mundo de Rugby Paraolímpico “WWRC Tokyo 2019 – World Weelchair Rugby Challenge”, realizado dia 16 de outubro. “Cantar o Hino Brasileiro no Japão foi um sonho e estou radiante de alegria. Foi uma emoção indescritível, a energia do local e das pessoas foi muito intensa e positiva” disse Isadora, feliz com essa maravilhosa oportunidade.
“Agradeço imensamente Toshio Saito pela indicação do meu nome e à comissão organizadora do evento”, disse Isadora. Walter Toshio Saito é presidente da AEBJ – Associação das Escolas Brasileiras no Japão e diretor presidente da TS Recreação. Toshio é um grande incentivador da cultura, educação, música e esporte, muito envolvido nos movimentos sociais da comunidade brasileira no Japão. Para completar ainda mais essa “magia”, Isadora cantou ao lado do famoso artista japonês Mansai Nomura, um dos organizadores e representante japonês das festividades da abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020 que acontecerão no Japão.
A cerimônia de abertura e o jogo de rugby foram transmitidos em rede nacional pela televisão japonesa NHK BS1 e, por conta disso, a repercussão foi imediata. Inúmeras felicitações foram enviadas à Isadora pelas redes sociais, que estava impressionada com tudo, inclusive com a organização do evento. “A estrutura técnica para a transmissão foi gigantesca, com muito profissionalismo”, disse Isadora, que vivenciou uma experiência com um especial tratamento recebido, camarim exclusivo, maquiadora e cabeleireira.

(Arquivo pessoal)

O jogo – No rugby em cadeiras de rodas, os jogadores precisam ter a habilidade de manusear e segurar a bola, acelerar, frear e direcionar a cadeira de acordo com as jogadas, com o objetivo de passar a linha do gol com a bola e a cadeira de rodas. A garra e determinação dos jogadores foi sentida em toda a partida que terminou com a vitória do Japão, para a alegria da torcida japonesa.
(Célia Kataoka)

Comentários
Loading...