Rodolfo Wada toma posse como presidente e pede para membros trabalharem com ‘emoção’

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

Em cerimônia bastante concorrida, tomou posse nesta segunda-feira (4), no Auditório Franco Montoro da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o Conselho Diretor da Gestão 2019 da JCI Brasil-Japão, que terá como presidente Rodolfo Wada. Compuseram a Mesa, além do presidente da Gestão 2019, Rodolfo Wada, e a presidente da Gestão 2018, Patrícia Murakami, o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, o deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP), o deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB), o vice-presidente nacional da JCI Brasil, Felipe Quintanilha (representando a presidente Luiza da Silva), o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Fujiyoshi Hirata (representando o presidente Shinji Tsuchiya) e a vice-presidente do Bunkyo, Teruco Kamistuji (representando a presidente Harumi Goya). Estiveram presentes também membros juniores e seniores e presidentes de algumas das principais entidades nikkeis.
Antes dos discursos, foi prestado um minuto de silêncio em homenagem às vítimas de Brumadinho e ao falecimento do deputado estadual Jooji Hato, ocorrido no último dia 28. Vitor Nakamura, tesoureiro da nova equipe, leu a Carta de Princípios.
Abrindo a série de dicursos, Teruco Kamitsuji destacou as diversas atividades desenvolvidas pela organização e lembrou que teve a satisfação de trabalhar junto com a presidente da Gestão 2017, Márcia Mariko Nakano, e com a própria Patrícia Murakami, que fizeram parte da Comissão para Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil. “A celebração foi um marco em 2018 e encarado por todos nós como um grande desafio, mas com a comunhão de todos conseguimos comemorar com muita dignidade”, disse Teruco. Segundo ela, as ações da JCI Brasil-Japão impactam positivamente na sociedade.

Enciclopédia – Único a discursar em japonês, o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil se disse emocionado por ver o trabalho da JCI Brasil-Japão, em especial os das presidentes Camila Stuck (2015), Márcia Nakano (2017) e Patricia Murakami (2018). No final, Fujiyoshi Hirata entregou exemplares de uma enciclopédia contemporânea sobre o Brasil escrita em japonês, e pediu para que, futuramente, os jovens da JCI Brasil-Japão possam produzir uma enciclopédia sobre o Japão escrita em português.
Já o cônsul Yasushi Noguchi parabenizou a gestão que ora passava o bastão pelo apoio às atividades dos 110 Anos da Imigração Japonesa. “Acredito que 2018 foi um ano muito ocupado e só tenho a agradecer a colaboração de todos pelo sucesso que tivemos”, disse Noguchi, que destacou alguns projetos desenvolvidos pela gestão de Patricia Murakami, como o Projeto 110 + 10, cujo objetivo é envolver a participação de jovens que “não necessariamente estão atuando na comunidade nikkei”.
O cônsul citou ainda o Revitaliba, projeto idealizado pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo com o objetivo de mobilizar jovens líderes da comunidade nikkei a fazer um mutirão de limpeza no bairro da Liberdade, e o Fórum de Lins. “Estou muito feliz por ver jovens tão atuantes e tenho certeza que a tradição e cultura japonesas continuarão sendo transmitidas de geração em geração”, disse o cônsul, afirmando que o Consulado Geral do Japão vai continuar apoiando os projetos de entidades como a JCI Brasil-Japão.

Rodolfo Wada entrega placa ao deputado federal Walter Ihoshi (Jiro Mochizuki)
Rodolfo Wada entrega placa ao deputado federal Walter Ihoshi (Jiro Mochizuki)

Homenagens – Após a fala do cônsul, a JCI Brasil-Japão homenageou o deputado federal Walter Ihoshi e o deputado estadual Hélio Nishimoto, que discursou em seguida. Ao Jornal Nippak, Nishimoto disse que “a JCI Brasil-Japão já tem um espaço garantido na Assembleia porque o trabalho que eles realizam representa muito bem essa área dos jovens empreendedores, da juventude que quer fazer a diferença não só no Estado de São Paulo como no Brasil”. “E a Assembleia, como sendo a casa do povo paulista, recebe com alegria a JCI nos eventos que realiza, em especial essse da posse da nova diretoria. Fico muitoi satisfeito, em nome do nosso presidente, Cauê Macris, receber todos os amigos e apoiadores para essa posse e faço votos para que o trabalho de 2019 seja muito produtivo e alcance todos os objetivos planejados”, observou o parlamentar.

O deputado estadual Hélio Nishimoto também foi homenageado (Jiro Mochizuki)
O deputado estadual Hélio Nishimoto também foi homenageado (Jiro Mochizuki)

Já Walter Ihoshi lembrou “o momento especial para quem acopmanha o trabalho da JCI Brasil-Japão. Dirigindo-se à presidente que estava deixando o cargo, Ihoshi lamentou não ter acompanhado o trabalho de Patrícia Murakami como gostaria mas afirmou que, mesmo à distância estava atento aos projetos. Sobre Rodolfo Wada, Ihoshi disse saber da capacidade e do espírito de liderança do recém-empossado pelos trabalhos em entidades que atuou, como a Abeuni, o Seinen Bunkyo e a Associação Brasileira de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenbshusei.
“Ou seja, ele esteve em praticamente todos os cantos e tenho certeza que na JCI Brasil-Japão, celeiro de novos líderes, o Rodolfo vai aprimorar ainda mais seu trabalho e conduzir com maestria sua nova equipe”, concluiu Ihoshi.

Despedida – Em seu discurso de despedida, Patrícia Murakami agradeceu patrocinadores, apoiadores, o Consulado Geral do Japão, o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Fujiyoshi Hirata, e os membros da JCI Brasil-Japão “por todo apoio aos projetos desenvolvidos ao longo do ano”.
Em seguida, fez um balanço de sua gestão. Destacou projetos como o Integração, que antes contemplava apenas computadores e smartphones “e hoje nós temos um módulo novo, de games, fruto da parceria que temos com o Instituto Paulo Kobayashi e implatado este ano advindo de um estudo da Unicamp que comprova que este jogo retarda os sintomas do Alzheimer e a demência nas pessoas da Terceira Idade”.
Citou ainda a reforma da sede no Bunkyo, que deve ser inaugurada na próxima Reunião Plenária, a Revitalização do Largo da Pólvora, entregue em junho do ano passado na presença do prefeito Bruno Covas; o Brazilian Mind e o Revitaliba, que contou com apoio imprescindível do Consulado e da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil.
Por fim, Patrícia falou sobre o espetáculo Magia Oriental, que contou com a presença dos grandes ilusionistas Mario Kamia, Edson Iwassaki e Kevin Iwassaki, além de um convidado internacional, o mágico japonês Youri. Realizado em único final de semana – entre os dias 2 e 3 de junho, no Teatro Arthur Rubinstein – em comemoração aos 110 Anos da Imigração Japonesa, o evento atraiu cerca de 2 mil pessoas.
“Fora isso, tivemos ainda o Fóirum de Lins, que sem a ajuda dos nossos parceiros – Blue Tree e Fundação Kunito Miyasaka – não teríamos conseguido expandir esse projeto e atingir tantas pessoas da Região Noroeste do Estado de São Paulo”.
Para finalizar Patrícia lembrou a visita do ator Shin Koyamada (de O Último Samurai), que mantém a Fundação KIF (Koyamada International Foundation) e será um parceiro da JCI global. “A JCI é uma escola de líderes, forma de fato grandes lideranças e a JCI Brasil-Japão, em especial nos últimos 10 anos, teve três presidentes mulheres – Camila Stuck (2015), Márica Nakano (2017) e eu – e sim, estamos trabalhando para formarmos novas lideranças femininas que é tão importante para o país”, frisou.

O presidente do Santa Cruz, Renato Ishikawa, comandou o Kanpai (Jiro Mochizuki)
O presidente do Santa Cruz, Renato Ishikawa, comandou o Kanpai (Jiro Mochizuki)

Emoção – Em seu discurso de posse, Rodolfo Wada pediu para que todos os membros juniores e seniores trabalhem “com emoção”. “É nessa emoção que está a essência que poderá transformar pequenos em grandes eventos, pequenos em grandes projetos e em algo que trará um impacto inesquecível nas nossas vidas e na nossa sociedade”, conclamou Rodolfo Wada, lembrando que está na JCI “há quase quatro anos”.
“Posso dizer que uma das coisas que mais me impressiona é quando voluntariado e coração entram na mesma sintonia. É quando a equipe se conecta para além da organização numa sintonia que atinge em cheio as nossas emoções”, disse Wada, que apontou alguns dos desafios da nova gestão.

Rodolfo Wada com membros da Diretoria Executiva da JCI Brasil-Japão (Jiro Mochizuki)
Rodolfo Wada com membros da Diretoria Executiva da JCI Brasil-Japão (Jiro Mochizuki)

Convenção Nacional – “Em 2019 a JCI Brasil-Japão organizará ,junto com a JCI Brasil a Convenção Nacional, maior encontro de membros da JCI no Brasil. O evento é coordenado por Alexandre Kawase, que também presidiu a JCI Brasil-Japão, e reunirá em São Paulo mais de 400 membros da JCI de todo Brasil. Este, certamente, será um de nossos principais desafios e para isso precisaremos e buscaremos muitos parceiros, patrocinadores e novos membros”, friou ele, acrescentando que o tema da Convenção será “Unir para Transformar”. “Tema que está alinhado ao planejamento estratégico da JCI mundial no período de 2019 a 2023, que fala em acelerar a transformação, unindo todos os setores da sociedade para atingir o impacto positivo e sustentável dos projetos”, explicou Wada, que reforçou ainda a necessidade de atrair novos membros. “Aceitamos indicações de pessoas que queiram fazer trabalho voluntário e impactar positivamente a sociedade”, disse Wada, que em seu discurso explicou que “como temos no nome da nossa organização Brasil-Japão, o Japão é a nossa grande referência”.

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

“O que pode ser constatado não só pelos nossos membros – grande parte deles descendentes de japoneses ou não descendentes que tem grande interesse pela cultura japonesa e pelo Japão. E falar que o Japão é a nossa grande referência em 2019 é estar atento aos eventos e acontecimentos. Teremos a participação do Japão na Copa América, a promoção de Tóquio como sede das Olimpaiadas 2020, bem como os preparativos para a Expo 2025 em Osaka. Além disso, assim como apoiamos e trabalhamos na recepção da princesa Mako, acompanharemos com atenção a abdicação do imperador e posteriormente a ascensão do principe herdeiro”, afirmou, destacando que a JCI Brasil-Japão também apoiará o Movimento “HeForShe” ou ElesPorElas, criado pela ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gêneros e o Empodeiramento das Mulheres.

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

Conselho Diretor

Presidente: Rodolfo Wada
Passado Presidente: Patricia Murakami
Presidente Subsequente: Marcelo Asamura
Vice-Presidente Executivo: Cristina Chien
Vice-Presidente Executivo: Marina Fukuhara
Secretário-Geral: Hugo Teruya
Tesoureiro: Vitor Nakamura

Diretor Executivo de Logística e Operações: Ricardo Kakeshita
Diretora Executiva de Pessoas: Fátima Okazaki
Diretor Executivo da Convenção Nacional: Alexandre Kawase
Diretor de Marketing: Roger Okura
Diretor Executivo de Projetos: Leandro Iuamoto

Conselho Fiscal

Maurício Kudo
Alexandre Kawase
Marcos Okazaki
Fabio Yamazumi

Conselho Consultivo

Akira Kanegae
Shodi Nomura
Marcelo Shiraishi
Camila Stuck
Leandro Iuamoto

Comentários
Loading...