República Dominicana vence Pré-Pan-Americano. Brasil, ainda vê esperanças no Pré-Olímpico

Domicanos conquistaram o título do torneio e a vaga para Lima - Divulgação
Domicanos conquistaram o título do torneio e a vaga para Lima – Divulgação

Mesmo jogando em casa não deu para o Brasil. Depois de muitas idas e vindas, com cancelamento da seleção venezuelana, com a seleção da Repúblicana Dominicana chegando “em cima da hora” e jogos adiados, o Torneio Pré-Pan-Americano de Beisebol, realizado de 29 de janeiro a 3 de fevereiro, em Ibiúna (SP), terminou com a República Dominicana em primeiro lugar e a Colômbia na segunda colocação. Na terceira posição ficou a Nicarágua e em quarto o Canadá. As quatro seleções estão classificadas para os Jogos Pan-Americano, que serão realizados entre os dias 26 de julho e 11 de agosto, em Lima, no Peru.
A forte seleção da República Dominicana ficou com o título ao vencer, na final, a Colômbia por 17 a 4 depois de passar numa das semifinais pelo Canadá por 10 a 7 num jogo complicadíssimo para os dominicanos– até a última entrada estava 7 a 7. Em outra seminifinal bastante equilibrada, a Colômbia despachou a Nicarágua por 5 a 4. Na disputa pelo terceiro lugar, a Nicarágua levou a melhor sobre o Canadá e ficou com a terceira colocação.
Ao Brasil, que perdeu os seus três jogos (contra o México, por 3×13; República Dominicana 2×3 e Nicarágua 2×6) ainda resta uma última esperança para conquistar a tão sonhada vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Entre agosto e setembro deste ano, a seleção deve disputar um Torneio Pré-Olímpico marcado para a Califórnia, nos Estados Unidos, reuindo todas as seleções que não conquistaram vaga para Tóquio 2020.

Decepção – Apesar de decepcionado com o desempenho da seleção, o presidente da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (CBBS), Jorge Otsuka, se mostrou satisfeito com o resultado final. Pelo menos fora dos gramados.
“Em termos de organização foi bom porque conseguimos chegar nos finalmente, apesar de todas as dificuldades”, destaca o dirigente. E olha que não foram poucas. Além de ter que deixar a casa – ou melhor – as casas – eram duas as sedes, o Estádio Municipal de Beisebol Mie Nishi, no Bom Retiro, e o CT da Yakult, em Ibiúna, em ordem – o investimento foi de cerca de R$ 150 mil, segundo o próprio Otsuka – a CBBS teve que contar com a ausência da Venezuela e com o atraso da República Dominicana, que acabou chegando já com o torneio em andamento.
O problema maior, no entanto, foram as fortes chuvas que caíram sobre a Capital justamente na semana da competição, o que acabou fazendo com que a Copabe (Confederação Pan-Americana de Beisebol), optasse por transferir todos os jogos que aconteceriam no Bom Retiro – inclusive as semifinais e a final – para Ibiúna e ainda antecipasse o horário da partida final.
Com isso, o Estádio Mie Nishi, que estava escalado para receber inicialmente os jogos do Grupo A, o do Brasil, ficou zerado, ou seja, não sediou nenhuma partida inteira. “Pena que o público que certamente compareceria ao Bom Retiro ficou impossibilitado de assistir a duas semifinais fantásticas”, lamentou Otsuka, explicando que a decisão de levar todos os jogos para Ibiúna “salvou a competição”.
Segundo ele, mesmo sem chuva na quarta e quinta-feira, o Bom Retiro não ia oferecer condições de jogo. “Explicamos para a Copabe que em Ibiúna chovia menos e que o sistema de drenagem era melhor”, disse, acrescentando que, em Ibiúna, “tivemos que fazer o máximo em um mínimo de tempo possível para deixar o campo 2 em condições”.
Segundo o dirigente, não houve reclamação por parte das delegações estrangeiras, exceto pela canadense, que queria tratamento “cinco estrelas”, e por lances de jogo. “Fora iisso não tivemos problemas. Tanto que o representante da Copabe, George Santiago enviou o relatório no domingo mesmo para a Copa e para a WBSC aprovando a realização do torneio”, garantiu o dirigente.

Comentários
Loading...