Reiwa, uma nova era no Japão

Dia 1º de abril, saí de casa logo cedo, pois tinha um compromisso agendado. Mas o trabalho não tirou minha ansiedade e curiosidade, em saber o nome da nova era que, ira iniciar no Japão em 1 de maio de 2019.

O anúncio do nome e da escrita da nova era, estava marcado para as 11 horas da manhã do dia 1 de abril, eu estava na estrada e fui acompanhando pelo rádio as atualizações, deu 11 horas e anunciaram que a decisão ficou para 11:30h, pois os ministros e a casa imperial estava reunida naquele momento para escolherem o novo nome.

Minha ansiedade já estava a mil, quando passei pela rodovia expressa em Tóquio, e pasmem, não tinha trânsito! É muito curioso, pois passo sempre naquele trecho da rodovia e sempre pego congestionamento, mas não sei se existe uma ligação com o fato, a verdade é que o horário do anúncio do nome da nova era estava chegando, e pouquíssimos carros na minha frente.

Como já estava perto das 11:30, parei num “parking area”, que é uma daquelas paradas na estrada, como os postos de gasolina de beira de estrada no Brasil, e liguei a televisão para não perder nenhum lance. E o nome REIWA foi apresentado. E olha que eu quase acertei!!!

No chat da minha família, citamos alguns nomes, para ver quem acertaria, e eu disse HEIWA, com H, que significa paz e harmonia. E o nome escolhido foi com “R”, Reiwa, que significa, em uma tradução ao pé da letra, rei = ordem e wa = harmonia. Mas segundo o discurso do primeiro ministro japonês Shinzo Abe, reiwa, significa o nascimento de uma civilização na qual, reina uma harmonia entre os seres.

O termo procede de uma antologia de poemas japoneses “Manyoushu”, que existe há 1.200 anos.  Os mais nacionalistas enfatizaram que é a primeira vez que se usa um termo precedente de textos japoneses e não chineses. Verdade ou não, só sei que este é um momento histórico para todos nós, que tem algum tipo de ligação com o Japão.

Quem vive no Japão, sabe que estamos na era Heisei, no ano 31. E os japoneses respeitam muito essa forma de contagem dos anos. Tanto é que os documentos principais, bem como quaisquer tipo de prontuários burocráticos, constam o ano da dinastia do imperador.

E acho também que, a palavra dinastia seria mais adequada no momento, visto que o imperador atual ainda está vivo, e ele abdicará do trono em vida, no dia 30 de abril deste ano.

Digo que o momento é histórico por vários aspectos, afinal é a primeira vez que um imperador japonês abdicará do trono, e em tempos atuais, onde o mundo altamente inovador e moderno, ainda se permite à manter algumas tradições milenares e culturais. O Japão é o único país do mundo que tem imperador. E manter isso é desafiador, ainda mais agora, onde políticos dominam o poder econômico. Mas o Japão consegue conviver harmoniosamente bem com a modernidade e o tradicional, e isso é incrível!

Escutei o discurso do imperador, e chorei! Chorei de emoção, afinal, eu adoro esse imperador! Mas também chorei porque me dei conta de que, estou vivenciando esse momento, aqui no Japão!

Essa foi a segunda vez que, o governo teve participação na decisão do nome da era, um fato previsto na Constituição de 1947, que diz que, tudo o que envolve a Casa Imperial e o Imperador, é determinado pelo governo, cabendo ao imperador, apenas o papel de símbolo do Estado e de unidade do povo. E o povo ama o seu imperador, e respeita muito! Vivendo no Japão, eu aprendi a respeitar e a amar esse imperador.

Enquanto esse imperador estiver vivo, acho que continuará sendo uma figura muito forte no Japão, mesmo após a sua abdicação. Não sabemos ainda como ficará o sentimento do povo japonês em relação a isso, afinal é um fato inédito.

Dia 1 de maio, teremos uma nova era! Que venha a era REIWA!

Comentários
Loading...