Projeto visa identificar e fortalecer valores da cultura japonesa como legado para as próximas gerações

Apresentação do projeto aconteceu em junho no Bunkyo (Arquivo – Jiro Mochizuki)

Apresentado no dia 25 de junho no Grande Auditório do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), no bairro da Liberdade, em São Paulo, sob a forma do “Painel: Os legados de uma cultura” – que contou com a participação do professor Clovis de Barros Filho; do jornalista Márcio Gomes e da chef Telma Shiraishi – o projeto Geração (batizado inicialmente de Identidade Nikkei) continua a todo vapor.
A afirmação é da assessora da Presidência do Bunkyo, Marcia Nakano, uma das coordenadoras do projeto ao lado do secretário Geral da Associação de Ex-Bolsistas do Gaimusho Kenshusei), Alexandre Kawase, da coach e consultura Carla Okubo, e do intercambista Projeto Hawaii e Japão (2018) e vice-presidente do Bunkyo, Ricardo Nishimura.
A ideia é concluir os trabalhos em 2020, quando o resultado deverá ser apresentado durante as comemorações do Dia Internacional do Nikkei, estabelecido pela 59ª Convenção dos Nikkeis e Japoneses no Exterior, realizada em 2018, no Havaí, como sendo dia 20 de junho.

Márcia Nakano e o professor André Saito (Arquivo – Jiro Mochizuki)

Ações – Até lá as ações previstas são a realização de novos workshops em São Paulo e em outras cidades com presença de comunidades nikkeis; elaboração de guia para facilitadores para permitir a realização de workshops em outras cidades e a compilação de dados coletados nos workshops. A previsão dos coordenadores – além dos idealizadores participam também o professor André Saito (presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento) e o secretário geral da JCI Brasil-Japão, Hugo Teruya – pretendem realizar outros 11 workshops – a mesma quantidade já realizada até o momento.
Segundo o André Saito, o intuito dos workshops é, num primeiro momento, identificar e resgatar os valores da cultura japonesa, para, num segundo momento, fortalecê-los e disseminá-los. O objetivo, explica, é promover uma reflexão nos participantes (grupos de 15 a 30 pessoas) para extrair de cada um histórias de vida em que foi marcante a influência da cultura japonesa. A partir dessas histórias, a ideia é identificar palavras-chave que remetam a valores, princípios e tradições da cultura japonesa. De acordo com o consultor, a ideia é fazer uma seleção das palavras-chave – entre dez e 15 – que sejam mais “marcantes”, “significativas” e “praticadas pelas pessoas no dia a dia”.

Auditório do Bunkyo ficou lotado para acompanhar as palestras (Arquivo – Jiro Mochizuki)

Elo – Por enquanto, conta, algumas chamam a atenção, como “gratidão”, “coletividade”, “respeito”, “determinação”, “responsabilidade”, “honestidade”, “educação” e “mottainai”. Identificados os valores, o próximo passo é divulgá-los publicamente para que se posível transmitir o legado da cultura japonesa para as próximas gerações e compartilhá-los com a sociedade brasileira. Talvez em pilares de concretos como no Centro Cultural Nipo-Havaiano, fonte de inspiração para o projeto Geração.
“Ficamos encantados porque a imigração no Havai já está quase na nona geração e, apesar deles não terem fisionomia de japonês, ainda preservam os valores trazidos pelos primeiros imigrantes enquanto aqui, que estamos na sexta geração, esses valores já estão praticamente desaparecendo”, diz Márcia, explicando que a missão de transmitir esses valores para as novas gerações cabem à geração de líderes nikkeis de 30 a 50 anos, engajados com a comunidade, e o terceiro setor. “Acredito que os nisseis são o elo entre as gerações mais experientes e as novas gerações”, diz Marcia. André Saito cita seu próprio exemplo. “Afastado” das atividades da comunidade nikkei, ele explica que passou a refletir “o que signifca ser japonês?” depois de se envolver com o projeto.
“Apesar de não ter convivido, a cultura japonesa está muito presente em mim pelos valores passados por meus pais e parentes”, conta André, acrescentando que hoje está mais “consciente” dessas influências e procura passá-las para seus filhos.

Comentários
Loading...