O coração japonês (Kokoro)

*Guilherme Seigo Matsumoto

Parte 2 – Final

Kokoro – O coração que não bate no peito

É difícil para nós ocidentais assimilarmos a ideia de Kanj 心( kokoro) como algo que transcende o plano físico. Afinal de contas, o coração é apenas um coração, heart, que bate no peito, nos dando a vida.
A interpretação do coração japonês vai além das explicações científicas, está fora do peito, mas dentro da alma humana. E é através da alma que o ser humano consegue desenvolver suas virtudes humanas.
É comum, em decisões importantes que os japoneses perguntem “kokoro no junbi wa dekiteimasu ka?”(心の準備はできていますか?). Que quer dizer “seu coração está preparado para esta situação?”
É esse coração eu bate fora do peito e que se encaixa no tamanho da alma, que permite que tomemos decisões importantes, que avaliemos cada passo, que nos tornemos pessoas melhores.
Não existe boa ação sem sentimento de bondade, e nossas intenções definem quem nós somos, ou quem desejamos ser.
Passamos a vida toda à procura de nos tornarmos pessoas melhores, muitas vezes, acreditamos que isso só acontecerá com o sucesso material.
No entanto, vivemos uma ilusão, o ser humano não se torna melhor porque tem bens materiais ou adquiriu muito sucesso na vida, ele se torna melhor porque seu coração é bom, seus pensamentos são puros e suas intenções são boas.
Coração Japonês – Entre a razão e a emoção Nossa vã filosofia muitas vezes nos trai e não sabemos distinguir o significado do coração japonês. Será ele a razão ou a emoção?
Entretanto, kokoro ao possuir um significado que atinge não só o campo da alma mas também o da mente, não é algo individualizado, mas a mistura de tudo que nos permite sermos seres vivos.
Você não é só carne, você não é só corpo, você é também espírito, é alma. O corpo padece e apodrece com o tempo, mas somente a alma é capaz de permanecer intacta, afinal, a alma é parte da centelha divina de Deus, e portanto, também é Deus.
No ocidente, insistimos em dividir as coisas entre bem e mal, certo e errado, poder e submissão, porém, o ser humano é mais do que estas simples denominações.
Não existe ser inteiramente puro ou inteiramente sujo, todo aquele que foi mal a vida toda, ainda assim, terá uma porcentagem de bondade, e todo aquele que foi bom a vida toda também terá sua porcentagem de maldade. Isso porque, em nossa incrível existência é possível vivenciarmos tudo, e cada ação tem uma consequência. Nunca seremos tão maus para as pessoas quanto para nós mesmos ao praticar um ato repulsivo, e o inverso acontece com a bondade, isso porque a maldade e a bondade não é o que praticamos é o que somos.
O coração japonês mostra que podemos ser aquilo que desejamos ser, ou que nos deixamos dominar. Mas é só uma parte da nossa existência, do que realmente somos.
Fé e razão são apenas dois lados da mesma moeda e prec isamos exercer ambos os lados se desejamos ter uma vida boa.
Quando você tem consciência do significado de kokoro se torna mais fácil ser quem você deseja ser
Seu coração vai determinar suas ações e isso é um fato. Assim, não é possível praticar algo bom se você não carrega em seus sentimentos coisas boas.
Na cultura japonesa, os senseis (mestres de lutas) afirmam que é obrigação de todo e qualquer lutador entender o significado de kokoro, que está diretamente ligado à força mental, emocional e física.
Só é possível entender o significado do coração japonês ao compreendermos
que mente e corpo precisam estar limpos e conscientes da bondade humana. Kokoro te ensina que é possível sempre ser uma pessoa mais forte, decidida e corajosa quando você entender que para isso, você precisa carregar pensamentos determinantes consigo.
Assim, o homem que compreende que o coração não é apenas um órgão humano, mas é um elemento que permite a transformação da alma e do EU e é capaz de superar a si mesmo.
Caráter, decência, coragem, sucesso e prosperidade são pequenas partes do grande significado majestoso e ao mesmo tempo, tão humilde, do coração japonês.

*Guilherme Seigo Matsumoto é formado em administração e comércio exterior pela universidade Mackenzie. Trabalha como Coordenador de Marketing e Processos e é vice-presidente da Comissão de Jovens do Bunkyo.
E-mail: guilhermeseigo@outlook.com

Comentários
Loading...