NIPPAK RURAL: O milagre do cerrado brasileiro – de terra infértil à maior produtividade agrícola do mundo

Programa entre Brasil e Japão que permitiu o desenvolvimento agrícola dos cerrados comemora 40 anos e busca escrever novo capítulo na história entre os dois países

Ex-ministro Alysson Paulinelli, o grande condutor do Prodecer no Brasil

Desde o ano passado, tem ocorrido diversas comemorações no Brasil e no Japão em torno dos 45 anos do programa Prodecer – Programa de Cooperação Técnica Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados).
O principal comprador de soja brasileira é a China. Mas muita gente não sabe, mas o atual avanço agrícola que hoje se verifica na região dos cerrados – que envolve diversos estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, Tocantins, e parte da Bahia, Piauí e Maranhão, deve muito desse resultado ao Japão.
O Prodecer foi um marco da cooperação internacional entre Brasil e Japão, para a ocupação dos Cerrados, visando à produção de commodities, com alta demanda internacional. Foi idealizado em 1974, negociado entre o governo dos dois países durante cinco anos e implementado a partir do ano de 1978. O principal interesse do Japão era desenvolver novas áreas agrícolas pelo mundo, em vista do risco eminente da segurança alimentar com o aumento populacional mundial.
O principal instrumento do programa é o crédito supervisionado, com linhas de financiamento abrangentes, e foram previstos empréstimos fundiários para investimentos, despesas operacionais e assistência ao colono. O projeto piloto foi financiado pela Japan International Cooperation Agency – JICA, e o projeto de expansão pelo Overseas Economic Cooperation Fund – OECF.
Para a execução do programa, surgiu uma ampla estrutura orgânica entre o Brasil e o Japão. 1978 foi fundada a empresa holding japonesa, que recebeu a denominação de Japan-Brazil Agricultural Development Cooperation – Jadeco – sediada em Tóquio; em outubro do mesmo ano, foi instituída a holding brasileira, denominada Companhia Brasileira de Participação Agroindustrial – Brasagro – sediada em Belo Horizonte-MG. Com investimento de 49% da Jadeco e de 51% da Brasagro, foi fundada, em novembro de 1978, a empresa coordenadora da implantação do programa, a Companhia de Promoção Agrícola – Campo.
Uma das vozes mais importantes desse período é o ex-ministro Alysson Paulinelli. Agrônomo formado pela Escola Superior de Agronomia de Lavras (ESAL), Paulinelli foi secretário de Agricultura de Minas Gerais, quando criou diversos incentivos para tornar aquele estado o principal produtor de café. Já como ministro, ele alavancou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e conduziu a ocupação econômica do cerrado brasileiro. Em 2006 foi condecorado com o World Food Prize, prêmio que equivale ao Nobel da Alimentação, por sua atuação em prol da segurança alimentar.
Durante a feira AgroBrasília, que aconteceu em maio deste ano, o, Paulinelle destacou como a cooperação com o Japão possibilitou a continuidade do programa. “O Prodecer foi montado em 1974. Em 1980, os recursos brasileiros haviam se esgotado e o programa só não foi interrompido porque existia o governo japonês, cujo aporte de recursos e de assistência técnica foi permanente e deu ao projeto um sentido de continuidade, na gestão e na operação. Ele destaca outro aspecto da contribuição nipônica. “Em relação à cultura agrícola trazida pelos japoneses, eles foram os responsáveis pela chegada de conceitos como sustentabilidade, preservação dos recursos naturais, do manejo desses recursos sem destruir.” Durante a RIO +20, após apresentação do presidente da Campo, o programa foi considerado o maior em agricultura sustentável do mundo.
Kunio Umeda, embaixador do Japão no Brasil, destacou na ocasião que o Prodecer é um projeto histórico e um dos de maior escala e sucesso realizados pelo governo japonês. “Os Cerrados eram inférteis e hoje o Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de soja e milho do planeta. O Brasil contribui para a segurança alimentar do mundo com essas exportações. Saber que o Japão colaborou para isso me deixa muito feliz”, afirmou Umeda. Na ocasião, Leomar Cenci, presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF) entregou um álbum com fotografias históricas do programa, e ressaltou a importância dessa parceria para o fortalecimento da produção agrícola brasileira.

Tocantins, antes um vazio demográfico, passou por revolução agrícola com o programa Prodecer

Em visita ao estado do Tocantins, uma missão organizada pelo governo japonês apontou o estado do Tocantins como exemplo agrícola sustentável. O Estado – que era um território e um grande demográfico territorial até a década de 1989 – praticamente foi ocupado e teve seu desenvolvimento consolidado a partir da implantação do programa Prodecer, implantado na região em 1996. Após a implantação do Prodecer III, o Tocantins avançou na produção agrícola, principalmente da soja. Segundo dados da Seagro, em 1996, o Tocantins produzia apenas em uma área de 400 hectares. De 1999 a 2002, essa área aumentou em torno 100%, ocasionando crescimento de aproximadamente 200% maior que a média nacional.
Já sa safra de 2010/2011, o Tocantins produziu mais de 1 milhão de toneladas de soja e o Prodecer respondia por por 56% da produção dos grãos.

Mariuza Rodrigues. E-mail:   mariuzarodrigues2020@outlook.com.br.

PRODECER I em números

Municípios Beneficiados …………………………. 3
Produtores Beneficiados …………………………. 133 famílias
Número de Cooperativas …………………………. 3
Área Total …………………………. 64,3 mil hectares
Investimentos …………………………. US$ 60 milhões
Produção Atual …………………………. 20,2 mil toneladas
Receitas Anuais …………………………. US$ 30,5 milhões
Geração de Empregos …………………………. 13 mil diretos e indiretos
Impostos recolhidos ao ano …………………………. US$ 5,4 milhões
O sucesso alcançado pela primeira fase do programa avalizou sua continuação. Em 1985, inicia-se a implantação do PRODECER II com a incorporação de mais 200 mil hectares.

PRODECER II em números

Municípios Beneficiados …………………………. 17
Produtores Beneficiados …………………………. 545 famílias
Número de …………………………. Cooperativas 12
Área Total …………………………. 205,7 mil hectares
Investimentos …………………………. US$ 375 milhões
Produção Atual …………………………. 396,6 mil toneladas
Receitas Anuais …………………………. US$ 99,8 milhões
Geração de Empregos …………………………. 45 mil diretos e indiretos
Impostos recolhidos ao ano …………………………. US$ 12,2 milhões

Com a conclusão da segunda etapa do programa, os governos brasileiro e japonês avaliaram os resultados e decidiram por sua continuação. Tem início a negociação do PRODECER III. Implantado a partir de 1995, o PRODECER III chega para beneficiar os estados do Maranhão e Tocantins. 80 mil hectares são incorporados ao processo produtivo, sendo que, metade destas áreas são mantidas como reservas ecológicas.

PRODECER III em números

Municípios Beneficiados …………………………. 2
Produtores Beneficiados …………………………. 80 famílias
Número de Cooperativas …………………………. 2
Área Total …………………………. 80 mil hectares
Investimentos …………………………. US$ 138 milhões
Produção Atual …………………………. 133,4 mil toneladas
Receitas Anuais …………………………. US$ 32,9 milhões
Geração de Empregos …………………………. 2.040 mil diretos e indiretos
Impostos recolhidos ao ano …………………………. US$ 5 milhões

Comentários
Loading...