MAI GUKURU: Espetáculo gratuito apresenta ‘espírito da Dança de Ryukyu’ com mestra Shiroma Kazue

(Aldo Shiguti)

Em comemoração aos 25 anos da escola Tamagusuku Ryu Gyokusenkai Shiroma Kazue Ryubu Dojo e 35 anos da sua Filial Tamagusuku Ryu Gyokusenkai no Brasil, a escola realizará seu 4º Happyokai neste domingo (21), a partir das 14 horas, na Associação Okinawa Kenjin do Brasil, no bairro da Liberdade, em São Paulo.
Com 3h30 de duração, o espetáculo “Mai Gukuru” – O espírito da Dança de Ryukyu vibrando no coração de seus descendentes” – contará com a participação da mestra, professoras, e cerca de 100 anos alunos – de 3 a 93 anos – da escola em 26 apresentações, desde danças clássicas até as populares, além da especial presença dos músicos da Associação “Ryukyu Minyo Kyokai” com músicas ao vivo e das mestras japonesas Junko Kinjo (Kaishu) e Kayoko Nakamura (Kaishu), que vieram especialmente de Okinawa para a ocasião.

Perfeição – De acordo com o presidente e vice da Comissão Organizadora do Espetaculo Mai Gukuru, respectivamente, Tério Uehara e Takeyoshi Teruya, a vinda das mestras do Japão fortalece os elos da academia além de ser um estímulo para se buscar cada vez mais o aperfeiçoamento. Uma perfeição que, conforme constataram as senseis, se não foi alcançada beira a isso graças ao empenho e dedicação da mestra Shiroma.

Humildade – Nascida em Okinawa, Shiroma Kazue passou pela Bolívia antes de vir parar no Brasil, em 1973. Foi justamente a vontade de se (re)aproximar de suas raízes que fez com ela buscasse na dança um paliativo para aliviar a saudade que sentia de sua terra natal.
“Dançava no Japão, mas nada profissional. E na Bolívia dançava apenas em datas comemorativas”, conta Shiroma que hoje considera a dança “sua razão de viver”. Para Tério Uehara, uma das características que mais chama a atenção na mestra é sua “humildade”.
A escola de dança Tradicional Okinawana da mestra Shiroma Kazue está sediada no bairro da Vila Matilde, na zona Leste de São Paulo, tradicional reduto da comunidade okinawana na capital paulista.
São mais de 80 alunos com idades entre 3 e 93 anos, que se dividem em sete turmas, onde a maior parte das aulas são lecionadas na Associação Okinawa de Vila Carrão pelo grande número de alunos.
Durante sua jornada, a mestra Shiroma Kazue formou quatro de suas alunas como professoras, sendo elas Marcia Sinzato, Mayumi Teruya Kishimoto, Kaori Uehara Higa e Akemi Yogi Toma. Apesar dos seus 80 anos de idade, a mestra se compromete nas atividades e eventos anuais do calendário das associações na qual participa e não mede esforços para manter e semear o espírito e os valores da cultura de Okinawa.

Okinawa Sobá – Para os amantes da cultura Okinawana e para aqueles que ainda não conhecem, será uma grande oportunidade de prestigiar essa arte e ainda se deliciar do tradicional “Okinawa Sobá” que será vendido no local.
A entrada é franca e a entrada será por ordem de chegada. Por isso recomenda-se chegar ao local com antecedência. O salão da AOKB tem capacidade para 600 pessoas.

DATA DO EVENTO: 21 DE JULHO DE 2019
LOCAL: ASSOCIAÇÃO OKINAWA KENJIN DO BRASIL
RUA DR. TOMAZ DE LIMA, 72 -LIBERDADE
HORÁRIO: 14:00H

Comentários
Loading...