Lun Lun Balloon encanta e diverte público no Dia Mundial do Uchinanchu

(Aldo Shiguti)

Toda a expectativa criada em torno do Lun Lun Balloon se confirmou e quem saiu ganhando foi o público que teve oportunidade de conferir de perto as três apresentações do grupo em território brasileiro. A última, no dia 27, na Associação Okinawa Kenjin do Brasil, no bairro da Liberdade, em São Paulo, para um auditório completamente lotado para a celebração do Sekai Uchinanchu No Hi (Dia Mundial do Uchinanchu), realizado pelo grupo de jovens da AOKB e Urizun – Círculo de Ex-Bolsistas de Okinawa. Em passagem pela América do Sul para comemorar também o Ano de Intercâmbio Japão-Peru, a comitiva formada pela artista de balões Rei Aragaki, a coreógrafa Reiko Ota e dançarinos da escola Tamagusukuryu já havia se apresentado na Japan House São Paulo e Associação Atlética Atlanta em sua estada no país.
Usando balões em suas apresentações, o grupo encontrou uma forma diferente para mostrar as danças típicas de Okinawa, despertando a atenção de crianças e ojiichans. Na AOKB, o tema escolhido foi Umi (dança popular e moderna no fundo do mar) e além das danças, como São Paulo Kouta (música e letra do saudoso professor Seikichi Yonamine composta no Brasil em 1997 com coreografia criada pela mestre mor Hideko Tamagusuku) e Yotsudake, o público também foi chamado para participar – ora batendo as bexigas na palma das mãos imitando o som de um taikô, ora agitando os balões. No final, e como de praxe nos eventos okinawanos, o Kachashi – que para os okinawanos é uma forma natural de expressar alegria e felicidade.

Lun Lun Balloon encantou o público brasileiro, especialmente a garotada no Dia Mundial do Uchinanchu (Daniel Yonamine/Mundo OK)

Atrações “da casa” – A apresentação do Lun Lun Balloon foi o ponto alto da festa, mas não as únicas atrações. No primeiro bloco – dedicado aos grupos nacionais – passaram pelo palco da AOKB os grupos de taiko Ryukyu Koku Matsuri Daiko e Requios Gueinou Doukoukai, academias como a Tamagusukuryu Gyokusenkai Shiroma Kazue Ryubu Dojo, Tamagusukuryu Kotarokai Omine Hatsue Ryubu Dojo, Ryukyu Minyo Filial do Brasil, Okinawa Shorinryu Karatê-Do Jyureikan Kobudo Jinbukjai Filial do Brasil, Ryukyu Buyou Takaruy Hana no Kai Izu Juliana Ryubu Renjo, Tamagusukuryu Kotarokai Senbu Chibana Chieko Ryubu Dojo, Tamagusukuryu Senjukai Saito Satoru Ryubu Renjo e Tamagusukuryu Teda Hakuyo no kai Gushiken Yoko Ryubu Dojo.

Terra da cortesia – Presidente da AOKB, Milton Sadao Uehara lembrou que o objetivo do Dia Mundial do Uchinanchu – oficializado em 2016 no encerramento do 6º Festival Mundial Uchinanchu em 30 de outubro pelo então presidente da Comissão Executiva do Festival, o ex-governador Takeshi Onaga (falecido em 2018) – é unir não somente os descendentes em cada país que se encontram, “mas que seja uma oportunidade para estreitar cada vez mais as relações com Okinawa.
Presidente da Comissão Organizadora, Yudi Chinen destacou que, “originalmente”, a data do Dia Mundial do Uchinanchu é 30 de outubro e o objetivo é valorizar não somente a cultura, mas também as tradições e a história. História, segundo ele, sofrida. “Nos últios séculos Okinawa passou por vários impasses, mas sempre enfrentou essas barreiras de cabeça erguida e com um sorriso no rosto”, disse Yudi, explicando que Okinawa é conhecida como “a terra da cortesia, que recebe a todos muito bem”.
“É esse espírito que queremos mostrar, todos unidos para manter este legado que nossos antepassados deixaram”, disse Yudi, acrescentando que, “todos da Coissão Organizadora e diretoria da AOKB se empenharam muito para que tudo isso fosse realizado”.

Projeto – O vereador Aurélio Nomura aproveitou a ocasião para anunciar que apresentou projeto de lei para incluir a data no Calendário de Eventos do Município.

Comentários
Loading...