Kunihiro levanta a galera para vencer o 34º Brasileirão de Karaokê da Abrac em Curitiba

O grande campeão do Grand Prix deste ano, Kunihiro Tanahara (Silvio Sano)

Em grande estilo e agitando o público desde o Yosen (eliminatória), até pela ótima escolha da música (Umi no Koe) e optando por repeti-la no Grand Prix, Kunihiro Tanahara acabou conquistando o título máximo do 34º Concurso Brasileiro da Canção Japonesa, da Associação Brasileira da Canção (ABRAC), realizado nos dias 19, 20 e 21 de julho, em Curitiba.
Também carinhosamente chamado como Brasileirão, essa 34ª edição contou com a inscrição de 715 cantores de 28 regionais de todo o Brasil, vindos de 9 estados como Amazonas, Bahia, Brasília DF, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo; complementados pelos do próprio Estado do Paraná.
Como de praxe, na noite anterior ao primeiro dia do evento, foi realizado o congresso técnico com os representantes regionais, jurados e apresentadores para tirarem dúvidas ainda pendentes com o fito de uma realização incontestável.
Pelo conhecimento prévio de dois candidatos potenciais à sede ao 35º Brasileirão, acabou sendo o assunto abordado primeiramente. Anunciados Campo Grande (MS) e Nippon CC (SP) como tais, foi dada a palavra aos respectivos representantes. Como Luiza Okamura, da parte do primeiro, informou que ainda havia algumas pendências para essa definição, e Massaru Anraku da parte do segundo, garantiu essa possibilidade trazendo até uma carta de intenções do clube já se oferecendo para isso, por aclamação, ficou definido o Nippon Country Club, em Arujá (SP), como sede ao próximo Brasileirão.

Akemi Nishimori na cerimônia de abertura (Silvio Sano)

A razão do oferecimento é devido ao clube completar 60 anos de fundação em 2020. “Que somado aos nossos 35 formando uma dobradinha interessante, as regionais só tinham mesmo de aprovar esse local”, justificou Akemi Nishimori, presidente da Abrac. “Sem contar que no ano passado, ao testemunhar o êxito alcançado por nosso Internacional realizado lá, empolgado, o presidente do clube, Valter Sassaki, já sugeriu isso em seu discurso de encerramento”, complementou Nishimori, com um sorriso no rosto.

Abertura Oficial – coordenador (Silvio Sano)

O 34º Concurso – Definido apenas em janeiro deste ano a Associação Nikkei Curitiba como sede da 34ª edição do Brasileirão, correndo contra o tempo desde então, a Comissão Organizadora ainda conseguiu realizar um evento com excelente infraestrutura, bem organizado, dinâmico e, praticamente, fazendo transcorrer de acordo com a programação estabelecida.
“Mas não foi fácil porque só a partir dessa definição é que pudemos começar a correr atrás de patrocinadores para adequar física e austicamente o ginásio de esportes do clube para realizar um evento desse porte, bem como para recepcionar todos os participantes e simpatizantes do karaokê”, relatou Yuichi Oshima, coordenador geral do evento. “Acompanhei a realização desses trabalhos de adequação do ginásio desde o início e, por isso, gostaria de agradecer imensamente à diretoria do clube, na pessoa do Nori Seto, que não mediram esforços para essa realização a tempo”, completou.
“Ficamos também muito felizes e honrados por poder recebe-los em nossa cidade, principalmente em nossa casa, que com a união de todos os departamentos do Nikkei Curitiba, foi especialmente preparada com muito carinho e trabalho a fim de receber bem todos os visitantes”, afirmou Noriyassu Kawahara Seto Takeguma (Nori Seto), presidente da Associação Cultural e Beneficente Nipo-Brasileira de Curitiba (Nikkei Curitiba).

Abertura Oficial, presidente da Curitiba Nikkei (Silvio Sano)

O Concurso e a NHK – Os três dias transcorreram sem anormalidades e dentro da programação, inclusive o derradeiro que, em anos anteriores, devido aos imprevistos das premiações, costumavam se atrasar. “Graças à nossa eficientíssima comissão comandada pelo competente Oshima, conseguimos realizar este evento com pleno êxito e satisfação dos participantes”, ressaltou feliz a presidente Nishimori. “E quero agradecer à diretoria da Nikkei Curitiba que prontamente se dispôs a sediar a edição deste ano, bem como, muita gratidão aos patrocinadores que acreditaram no nosso intento tornando possível essa realização; e aos representantes regionais e membros da Diretoria por estarem sempre conosco com seus apoios e colaboração”, concluiu.
E como em todos os anos, o segundo dia, quando são realizadas as categorias das crianças, de três a 13 anos, acabou sendo o mais agitado pelas presenças de pais, tios, avós e amigos, mas também pela graciosidade das apresentações delas, provocando forte inteiração entre eles. Foram 149 crianças participantes no total, em quase 5 horas de apresentações.
Pela mesma razão, que consolida esse dia como o mais agitado, a última categoria do dia, Pop, até já é considerada a mais animada e bonita de se assistir, com os cantores se produzindo com ótimos figurinos e com alguns fazendo questão de se apresentarem acompanhados de grupos de danças, com coreografias muito bem ensaiadas.
O terceiro e último dia também acaba quase tendo mesmas características devido às excepcionais performances dos cantores juvenis e adultos, mais premiações gerais e o esperado Grand Prix.
Com isso, a maior empresa de televisão japonesa NHK, que esteve presente nesse dia, via sucursal do Brasil, pôde enviar ao Japão o registro de desde as menores crianças do evento até os mais idosos, além da Abertura Oficial envolvendo todas as regionais com porta-bandeiras, todas, de kimonos.

Abertura Oficial (Silvio Sano)

Abertura Oficial e Reiwa – A cerimônia da Abertura Oficial trouxe uma novidade devido à nova era imperial japonesa que, por seu significado, fez com que a comissão a tomasse como linha mestra do evento: da beleza, da paz e da harmonia.
Dessa forma, logo após a apresentação pelo grupo de taikô local, convocação das pessoas ilustres ao o palco e entrada das porta-bandeiras das regionais, Yoshiaki Shinde e Angelaisa Toyota iniciaram novo desfile portando bandeira com a palavra REIWA escrita nela, seguidos por pares de crianças com bandeirolas brancas e finalizando com senhoras do Fujinbu, cada uma, com um ramo de rosa branca na mão.

Pedro Mizutani, presidente da UPK , na abertura oficial (Silvio Sano)

A cerimônia foi aberta pelo presidente do Nikkei Curitiba, Seto, com saudação e boas- vindas ao público; seguido pelo coordenador geral, Oshima; presidente da ABRAC, Nishimori; da UPK, Pedro Mizutani; Cônsul Geral do Japão em Curitiba, Hajime Kimura e demais autoridades presentes.
Aproveitando o ensejo, antes das devoluções oficiais do estandarte (torcida) e troféu Dantaisen (por equipes) pelas regionais que os conquistaram no ano passado, realizaram uma homenagem aos mais novos cantores, Pedro Oshiro (NorteSP, 3) e Sayuri Hayafuji (MinamiSP, 3), e mais idoso, Satoshi Hashimoto (95), deste evento.

Grand Prix (Silvio Sano)

Premiações e Grand Prix – Encerradas as apresentações dos últimos cantores do dia, antes das premiações gerais, houve um show protagonizado por Marcos Goto (Sul do Paraná) acompanhado do grupo de taikô local e um momento saudosista pela presença de Carlos Toshiki Takahashi, ex-líder vocal do grupo Omega Tribe, a mais popular banda dos anos 80 no Japão. Antes de ir para aquele país, aos 18 anos, Carlos revelou que debutou nesses concursos de karaokê no Paraná.
E seguiram-se as premiações faltantes por categoria, para finalizar com as de melhor torcida (estandarte) e campeã por equipes (troféu). Ambos, na edição deste ano, couberam à regional Leste-SP, mas que leva a de por equipes em definitivo, após vencê-lo pela quinta vez.
Ao Grand Prix final classificaram-se, por ordem de apresentação: Shiguenobu Yoshimura (Vet E1, Minami SP), Akira Ikawa (VetD2, Central SP), Felipe Ikeda (AduA, Nishi SP), Kimio Suzuki (Pop, Nishi SP), Angelaisa Toyota (VetA, Centro-Oeste SP), Akiko Sato (VetE2, Alta Paulista), Enzo Zakimi (JuvA, Norte SP), Mário Chibana (AduB, Higashi SP), Hideo Tanaka (VetB, Higashi SP), Noriko Kurimoto (VetD1, Minami SP), Paulo Terabe (VetC2, Leste PR), Yukie Kakinoki (VetC1, Nishi SP), Kenzo Sugahara (JuvB, Higashi SP), Luis Yabiku (VetC1, Centro-Oeste SP) e Kunihiro Tanahara (AduA, Central SP).
Os premiados foram: Akiko Sato (Especial – R$ 500), Angelaisa Toyota (Artístico – R$ 1500), Paulo Terabe (Sayushu – R$1500), Yukie Kakinoki (Popular – R$1500) e Kunihiro Tanahara (Grand Prix – R$ 2500).

Premiação Júri Popular (Silvio Sano)

VI Brasileirão da Canção Internacional 2019, em outubro no Cooper Clube
Aproveitando o evento, a ABRAC reuniu os representantes regionais para definições finais à 6ª edição brasileira, e 2ª pan-americana, de canções internacionais, que ocorrerá no dia 27 de outubro deste ano, no auditório do Cooper Clube, em São Paulo.
Segundo Yoshiaki Shinde, da comissão organizadora… “basicamente, definimos apenas a forma de distribuição de cantores remanescentes no caso de não superação do número total de duzentos cantores, que até então era igualitária, para proporcional por questão de justiça às que mais trouxerem inscrições. Mas a esses detalhes, peço que consultem suas regionais que tem os respectivos PDF do regulamento”, recomendou.
(Silvio Sano, especial para o Jornal Nippak)

Premiações da Torcida – Dantaisen (Silvio Sano)
Comentários
Loading...