KIM KATAGUIRI: Meu primeiro ano de mandato

“2020 será um ano muito desafiador. Vou lutar para aprovar projetos como o Licenciamento Ambiental, a facilitação do microcrédito para o pequeno empreendedor e a regularização fundiária” (divulgação)

2019 vai chegando ao fim e com ele meu primeiro ano na Câmara dos Deputados. Após uma eleição expressiva – que nem mesmo eu poderia supor – muito se questionou sobre como seria minha atuação no parlamento, se eu cederia às pressões, se eu estava pronto para tal responsabilidade, se minha pouca idade poderia ser um impeditivo e coisas do tipo.
A resposta para todas essas perguntas eu procurei dar com trabalho, participando de mais de dez comissões, sendo três das mais importantes da Casa, apresentando mais de 25 projetos de lei, tendo uma alteração na constituição, e me tornando relator de mais de 80 projetos, dentre estes, o projeto de licenciamento ambiental que tramita a mais de 15 anos no parlamento.
Muitos acreditam que deputados vivem de apresentar leis, não é verdade, é extremamente necessária a atuação dos deputados na hora de barrar projetos ruins. Não pensem vocês que isso se resume a apertar “não” em uma urna, muito trabalho de articulação foi necessário, por exemplo, para conseguirmos barrar o aumento do Fundo Eleitoral na votação da LDO, aquele verdadeiro ultraje!
Na CPI do BNDES fui o responsável pelos requerimentos que trouxeram, por exemplo, Eike Batista e o ex-ministro Palocci para depor e dar explicações sobre irregularidades apuradas em empréstimos do banco de desenvolvimento a outros países, como Cuba, Angola e Venezuela.
Em março visitei – a convite do governo japonês – a terra de meus ancestrais, onde conheci diversas figuras importantes da política nipônica e articulei a liberação da importação da carne brasileira. Sabemos da rigidez e seriedade das agências sanitárias japonesas, mas a negociação foi muito produtiva e creio que no futuro o comércio entre os dois países irá prosperar ainda mais.
Outro momento importante desse primeiro ano foi a aprovação da reforma da previdência, uma bandeira que venho defendendo muito antes de ser eleito, algo que sempre julguei extremamente necessário para a sustentabilidade das contas públicas do país. Através do sistema de monitoramento da Câmara dos Deputados, foi possível auferir que eu era o parlamentar que mais defendi a reforma da previdência. Não por ser oportuno, mas por realmente acreditar nessa pauta.
Entretanto, também devo admitir que nem tudo foi um grande mar de rosas. Acreditava que o ritmo do congresso fosse outro, que as votações que se estendiam madrugadas a dentro fossem para que os pares avaliassem bons projetos, e o que vi não foi nada disso. Grande parte das votações que fazemos não se trata do mérito da matéria, mas sim dos chamados requerimentos de obstrução, mas o que são eles?
Requerimentos de obstrução, na maioria das vezes são votações a respeito da forma como uma matéria será votada, para ilustrar vou fazer uma analogia com a produção de um bolo! O dia que os políticos forem fazer um bolo teremos votações sobre a ordem dos ingredientes, o pré aquecimento do forno, a forma de untar a forma, a velocidade do liquidificador, o bolo não vai sair e comemoraremos termos feito um “cup cake”.
Tudo isso pode ser desanimador para quem chega no parlamento com entusiasmo de realmente poder fazer alguma diferença e mudar a situação triste que o país se encontra, mas também tenho consciência que não posso deixar isso abalar um bom trabalho, que aço é forjado no fogo e à marteladas. 2020 será um ano muito desafiador, vou lutar para aprovar projetos como o licenciamento ambiental, a facilitação do microcrédito para o pequeno empreendedor e regularização fundiária. Conto com o apoio de vocês!

Kim Kataguiri, deputado federal pelo DEM-SP

Comentários
Loading...