Japão celebra cerimônia de entronização do imperador; comunidade nikkei também festeja

(Aldo Shiguti)

Em uma cerimônia que reuniu convidados de cerca de 190 países, dos quais muitos chefes de estado e de governo – entre eles o presidente da República Jair Bolsonaro – o imperador Naruhito foi entronizado nesta terça-feira, 22. Naruhito, que ascendeu ao trono em maio deste ano após abdicação de seu pai, o imperador emérito Akihito, declarou que “irei agir de acordo com a Constituição e cumprir minha responsabilidade como o símbolo do Estado e da união entre as pessoas do Japão, ao mesmo tempo em que sempre desejarei felicidade a todos e paz para o mundo, direcionando meus pensamentos às pessoas e me colocando ao seu lado. Eu espero, sinceramente, que nosso país, através da sabedoria e do esforço constante do nosso povo, alcance um maior desenvolvimento e contribua para a amizade e a paz da comunidade internacional e para o bem-estar e prosperidade da humanidade”.
Em seu discurso, o primeiro-ministro Shinzo Abe destacou que “todos nós, sem exceção, expressamos nossas sinceras felicitações”. “Fico muito emocionado e renovo meus sentimentos de amor e respeito ao ouvir de Vossa Majestade os sentimentos em relação aos feitos de vosso pai, de vosso desejo pela felicidade do povo e a paz mundial e que pretende cumprir seu dever como símbolo da nação, conforme a Constituição japonesa, tendo sempre em mente o povo e de que deseja que a nossa nação se desenvolva ainda mais contribuindo com a amizade e a paz mundial, o bem-estar social e a prosperidade da humanidade. Todos nós, do povo, respeitamos Vossa Majestade Imperial como símbolo da unidade da nação e do povo japonês. Com o coração renovado, daremos o nosso melhor para construir uma era de paz, cheia de esperança com o futuro brilhante de um Japão cheio de oriulho, onde as pessoas se preocupem umas com as outras e que floresça a cultura. Aqui rezo pela paz da era Reiwa e pela prosperidade de Vossa Majestade Imperial”, declarou Abe, que em seguida fez três sudações de “banzai”, a tradicional exclamação japonesa desejando vida longa.
Depois de trocar cumprimentos de congratulação com o casal imperial, os convidados atenderam ao primeiro de quatro banquetes da corte realizados para celebrar a ocasião. Um cortejo de carros estava planejado para o mesmo dia, mas o governo adiou o evento para que os recursos disponíveis possam ser focados nos esforços de recuperação das áreas que foram afetadas pelo tufão Hagibis. O cortejo imperial está programado para ocorrer no dia 10 de novembro.

Akeo Yogui, presidente do Enkyo, puxa o tradicional “banzai” com autoridades e convidados ao fundo “momento histórico” (Aldo Shiguti)

O mesmo sentimento – E foi com esse mesmo sentimento de orglho e respeito que as cinco principais entidades da comunidade nipo-brasileira – Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e Aliança Cultural Brasil-Japão) realizaram, no mesmo dia da entronização no Japão, no Clube Círculo Militar de São Paulo (zona Sul de São Paulo), Cerimônia e Jantar de Celebração da Entronização de Suas Majestades, Imperador Naruhito e Imperatriz Masako.

1 minuto de silêncio – O evento reuniu cerca de 800 convidados, entre eles o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, o secetário executivo da Secretaria de Relações Internacionais, embaixador Affonso Massot; o ex-Comandante da Aeronáutica, Juniti Saito; o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, Massami Uyeda; o presidente da Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), Walter Ihoshi, e os vereadores Aurélio Nomura e Rodrigo Goulart, além de representantes de entidades e associações nikkeis.

O clã Yassunaga, que ocupou duas mesas, prestigiou o evento (Jiro Mochizuki)

Antes do seu discurso de abertura, o coordenador geral do evento, Carlos Fukuhara, solicitou um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do tufão Hagibis e pela morte do ex-presidente do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão.
Depois, Fukuhara destacou se tratar de uma “noite memorável para celebrar com profundo sentimento de alegria e orgulho a entronização de Suas Majestades, o imperador Naruihito, e a imperatriz Massako ao trono do Crisântemo”. “No Brasil, onde reside a maior comunidade nipo-brasileira, acreditamos que este fato histórico deveria ser celebrado com o mesmo sentimento de orgulho e respeito que tem sido demosntrado pelos japoneses. Desta forma, nós organizamos este evento, para compartilhar com todos os senhores aqui presentes, o sentimento de carinho ao imperador e à imperatriz e saudar a nova era”.
Representando João Doria (PSDB), Affonso Massot falou sobre a admiração do governador “pela tenacidade, pelo trabalho, pela dedicação e por tudo que esta comunidadade contribuiu para o progesso de São Paulo e para o progresso de São Paulo”. “Esta é uma data muito especial, porque ela nos dá uma lição, uma liação de cultura, uma lição de uma nação que enaltece os seus valores culturais, a antiguidade da sua memória, ela nos evoca uma cultura multimilenar mas que está sendo milenar na vanguarda da modernidade. Esta é a lição importante de tudo isso, além de ser a lição do sacrífico, do trabalho, da construção e do progereso que esta comunidade legou e continua legando diariamente ao nosso Brasil, e em particular ao estado onde tenho a honra de trabalhar”, destacou o secretário.

Sadao, Shen Ribeiro, Mariana, Joe Hirata, Karen Ito, Kunihiro e Coral do Bunkyo (Aldo Shiguti)

Desafios – Já o cônsul Noguchi lembrou que o evento estava sendo realizado no mesmo dia da entronização no Japão e enalteceu a presença do presidente Jair Bolsonaro na cerimônia. Segundo ele a presença do mandatário brasileiro “mostra que o Brasil dá muita importância para as relações com o Japão e o povo japonês fica muito agradecido com esta gentileza do governo brasileiro”.
Yasushi Noguchi disse ainda que Naruhito esteve por três vezes no Brasil e em uma dessas visitas, em 2008, por ocasião das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, deixou os brasileiros e os nikkeis impressionados com sua gentileza e e simpatia.
Ele afirmou que o início de uma nova era traz para o Japão “muitos desafios”. “Desafio de como superar crises de uma sociedade envelhecida e diminuição populacional, além de desastres naturais. Recentemente, um tufão atingiu o Japão, deixando mais de 80 mortos e muitos ainda estão desaparecidos. Temos que superar essas crises de fenômeno social, econômico e e também climáticos, mas estou certo que com o novo imperador e a nova era vamos superar estes desafios”, afirmou o cônsul, acrescentando que “o Japão vai continuar chamando a atenção do mundo nos próximos anos. “No ano que vem teremos os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio e em 2025, a teremos a Expo Mundial em Osaaka”, disse Noguchi que pediu para que todos se atentem a esses acontecimentos e nos esforços e, consequentemente, no sucesso do Japão”.
Coube ao presidente do Enkyo, Akeo Yogui, puxar o “banzai”, com todos os convidados agitando bandeirinhas do Japão e do Brasil.

O grupo Awa Odori Represa também participou do show (Jiro Mochizuki)

Balanço positivo – Antes do jantar, o público acompanhou um mini-show produzido por Joe Hirata e que contou com participações de André Kunihiro Tanahara, Mariana Suzzuke, Karen Ito, Shen Ribeiro, Sadao Tamanaha, Julinho Bogajo, Vinicius Medeiros, Coral Bunkyo, Quarteto de Cordas da BSGI, grupo de dança nordestino e grupo Awaodori Represa.
Ao Jornal Nippak, Carlos Fukuhara fez um balanço positivo do evento. “Ficou dentro do esperado. Existia uma preocupação muito grande nas últimas semanas em relação ao público por causa da catástrofe que aconteceu no Japão com a passagem do tufão. mas acho que a comunidade respondeu muito bem vindo para cá para demonstrar, perante a sociedade brasileira, o nosso sentimento de orgulho e respeito com a nova era”, disse Fukuhara, afirmando que o evento “com certeza terá repercussão internacional”.

Comentários
Loading...