Japan House São Paulo apresenta o universo dos mangás com exposição de Naoki Urasawa

Naoki Urasawa aborda temáticas distintas, como ficção científica, mistério e esporte (Estevam Romera)

O universo das histórias em quadrinhos invade a Japan House São Paulo com a exposição “Isto é Mangá – A arte de Naoki Urasawa”, que prossegue até 5 de janeiro de 2020, no segundo andar. A mostra apresenta as ilustrações e mangás do premiado artista japonês e faz parte do projeto itinerante da iniciativa global Japan House, já exibida em Los Angeles e Londres.
Com uma ampla gama de gêneros na indústria editorial no Japão, os mangás são geralmente publicados em capítulos que tem sequência em edições seguintes. Em caso de sucesso, são reeditados como exemplares especiais, além de ganhar edições em outras línguas ao redor do mundo, tornando seu mangaká (artista de mangá), reconhecido mundialmente, como é o caso de Urasawa.
Uma das características mais marcantes desta mostra é a experiência de imersão na arte de Naoki Urasawa, que aborda distintas temáticas como mistério, ficção científica e esporte. Na Japan House São Paulo, os visitantes poderão conferir sete coleções em português, incluindo obras não publicadas no Brasil e também cerca de 600 ilustrações, esboços e storyboards. Ao invés de trazer apenas recortes da obra original, a exposição apresenta capítulos inteiros, possibilitando a vivência completa desta arte que combina o gráfico e a história. Entre os trabalhos do artista expostos estão Pluto, 20th Century Boys e Monster (que já foram traduzidos e publicados no mercado brasileiro), além de Billy Bat, Master Keaton Remaster, Mujirushi e Yawara!. Este último, uma das obras mais importantes do artista, contará com apresentações semanais de novos capítulos, nos dias 18/11, 02/12 e 16/12.

Mostra permanece em cartaz até janeiro de 2020 na Japan House (Estevam Romera)

Público cativo – Natasha Barzaghi Geenen, diretora Cultural da JHSP, destaca que “o mangá é uma linguagem imediatamente associada à cultural pop do Japão e tem um público cativo, que se aprofunda na história dessa arte, acompanha seus mangakás favoritos e é ávido pelos lançamentos”. “Esta exposição ratifica a nossa missão em promover a aproximação do público brasileiro à distintas áreas da cultura nipônica.”
Ao ler as histórias, será possível compreender como os criadores deste tipo de quadrinhos desenvolvem seus trabalhos, além de conhecer mais sobre o conceito dessa arte. Nascido em 1960, em Tóquio, Urasawa possui uma legião de fãs formada por adultos e crianças em todo o mundo. Premiado internacionalmente, já vendeu mais de 128 milhões de exemplares apenas no Japão e publicou suas obras em mais de 20 países. Mestre na técnica do desenho e reconhecido por personagens profundos e complexos, tem como diferencial a força de sua narrativa e se destaca também pela riqueza de detalhes com a qual cria os universos de seus mangás.
Seu primeiro trabalho foi Beta!, em 1983, em seguida, criou Yawara!, Monster, 20th Century Boys e Billy Bat, entre outros. Atualmente, ilustra a história de Mujirushi, The Sign of Dreams, com a colaboração da Fujio Productions – fundada pelo renomado mangaká Fujio Akamastsu -, em um projeto para o Museu de Louvre, em Paris, além de estar em lançamento inicial da série Asadora!, publicada pelo Shogakukan.

Visitantes podem conferir sete coleções em português, incluindo obras não publicadas no Brasil (Estevam Romera)

Exposição ‘Isto é Mangá- A arte de Naoki Urasawa’
Até 5 de janeiro de 2020
Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52
Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita
Confira a programação no www.facebook.com/JapanHouseSP/
@japanhousesp

Coleções na exposição ‘
‘Isto é Mangá- A arte de Naoki Urasawa’

Yawara! (1985 – 1993)
Retrata o desafio e o crescimento de uma garota com talento em judô – criada e treinada para ser judoca – e o seu caminho até chegar na Olimpíada de Barcelona.

Monster (1994 – 2001)
Kenzo Tenma é um habilidoso cirurgião japonês que vive na Alemanha. Ele descobre que Johan, um de seus ex-pacientes, se torna um serial killer. Abalado pelo sentimento de culpa, ele persegue Johan. Primeira obra de mistérios na história do mangá.

20th Century Boys (1999 – 2006)
Em um cenário onde o mundo inteiro sofre ataques terroristas, o personagem principal vive uma vida comum. Porém, a partir de um acontecimento, ele percebe que as profecias feitas por um amigo quando era criança está se tornando realidade. Uma obra de ficção e aventura, onde os jovens viajam no tempo para proteger a Terra.

Pluto (2003 – 2008)
Série baseada em “Astro Boy” de Osamu Tezuka, especificamente na história The Greatest Robot on Earth. Inserindo o ponto de vista e compreensão do autor à obra original, a história retrata a estupidez do ódio sem fim e o questionamento quanto à existência de sentimentos em robôs.
Naoki Urasawa
Co-autor: Takashi Nagasaki
Supervisão: Macoto Tezka
Colaboração: Tezuka Productions

Billy Bat (2008 – 2016)
A história se passa em 1949, nos Estados Unidos. O cartoonista nipô-americano Kevin Yamagata descobre que no Japão, existe a mesma história contada em sua obra “Billy Bat”. Nesta história de ficção científica, o personagem principal se envolve em diversos acontecimentos ligados ao desenho do “The Bat”.
Naoki Urasawa
Co-autor: Takashi Nagasaki

Master Keaton Remaster (1988 – 1994)
Retrata a história de um investigador de seguros do governo que, apesar de bem-sucedido profissionalmente, mantém o sonho de continuar uma pesquisa arqueológica. A narrativa combina o complexo mistério – que envolve casos de difícil resolução – com drama humano e laços familiares
Naoki Urasawa
Co-autor: Takashi Nagasaki
Naoki Urasawa

Mujirushi ( 2018 – )
Nesta narrativa, um homem e sua filha conhecem um rapaz misterioso que tem mais do que alguns segredos e grandes histórias para contar sobre a França e o Museu do Louvre.
Colaboração: Fujio Productions

Comentários
Loading...