Hospital Santa Cruz alerta sobre a fibromialgia

Distúrbio atinge entre 2 e 4% da população brasileira (Freepik)
Distúrbio atinge entre 2 e 4% da população brasileira (Freepik)

O Hospital Santa Cruz, que tem como filosofia oferecer tratamentos preventivos para promover a saúde e o bem-estar da população, alerta sobre os procedimentos e as orientações que amenizam os sintomas da fibromialgia.
Distúrbio musculoesquelético que atinge entre 2% e 4% da população brasileira e acomete mais as mulheres, que figuram entre 85% e 90% dos pacientes, a doença pode estar ligada à fadiga, ansiedade, depressão e causa dor crônica em vários pontos do corpo, especialmente nos tendões, músculos e articulações. Outros sintomas são cansaço crônico, problemas de memória e concentração, insônia e sono não reparador, dor de cabeça, formigamentos, alterações intestinais e urinárias e sensibilidade ao frio.
De acordo com a Dra. Sandra Hiroko Watanabe, médica reumatologista do Hospital Santa Cruz, o diagnóstico de fibromialgia é essencialmente clínico, baseado nas queixas do paciente. O principal sintoma é a dor difusa, generalizada e crônica. O paciente fibromiálgico apresenta um quadro de amplificação dolorosa e as sensações e estímulos são mais intensamente interpretados. No exame físico, são observados vários pontos musculares sensíveis ao toque e palpação em diversas regiões do corpo.
“Antes de dar o diagnóstico de fibromialgia, é extremamente importante que o médico exclua diferentes condições clínicas, como outras doenças reumáticas e distúrbios primários do sono. Porém, se a doença for detectada, o paciente deve ter acompanhamento multidisciplinar com médico, fisioterapeuta e psicólogo. A atividade física bem orientada é fundamental para o controle da doença e associada ao uso de medicamentos específicos, amenizam a dor, melhoram o humor e recuperam a qualidade de vida”, afirma a Dra. Sandra.

Comentários
Loading...