Hokkaido comemora 100 Anos de Imigração e 80 anos da associação com exposição e cerimônia

(Jiro Mochizuki – Aldo Shiguti)

Para comemorar os 100 Anos de Imigração de Hokkaido para o Brasil, os paulistanos ganharam um presente muito especial no dia último 25. Trata-se da Exposição Yukidaruma, a tradicional exposição de bonecos de neve de Hokkaido que fez a alegria de crianças e adultos que passaram pela Japan House São Paulo, na Av. Paulista, no domingo passado (25). Os yukidarumas (nome dos bonecos em japonês) – cerca de 30 pequenos, com 40cm, e um maior, de 2m – foram feitos em Abira, na província de Hokkaido, por voluntários em retribuição ao gesto de solidariedade da comunidade nikkei, que no ano passado, por conta do tremor de intensidade 7 na região, organizou uma coleta para ajudar os desabrigados.
O sentimento de “Gambare” (força) mobilizou especialmente os provincianos do outro lado do mundo que arrecadaram cerca de 19 mil dólares para serem eviados às vítimas do terremoto. O gesto não passou despercebido.
Foram quase seis meses de preparação. Para chegarem ao Brasil, os bonecos percorreram mais de 22 mil km em um contêiner refrigerado. É a segunda vez que São Paulo recebe uma exposição deste tipo. A primeira foi em 2008, como parte das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Na ocasião, os bonecos ficaram na sede da Associação Hokkaido de Cultura e Assistência, na Vila Mariana (zona Sul de São Paulo).
Além da exposição, o evento contou também com palestras do vice-governador de Hokkaido, Yusuke Nakano, do prefeito de Abira Town, Shuichiro Oikawa, e do vice-prefeito de Sapporo, Toru Yoshioka.
Eles integraram uma numerosa comitiva da província de Hokkaido, formada ainda pelo presidente da Assembleia Legislativa, Noritoshi Murata, além de deputados, prefeitos e membros da equipe do Projeto Yukidaruma da Cidade de Abira, que vieram ao Brasil parrticipar das comemorações de 100 Anos da Imigração de Hokkaido e 80 Anos de Fundação da Associação Hokkaido de Cultura e Assistência.

Cerimônia realizada na sede da Associação Hokkaido (Aldo Shiguti)

Cerimônia – Realizado no sábado (24 de agosto), na sede da associação, o evento contou ainda com a presença do cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi; do deputado federal Kim Kataguiri; do deputado estadual Márcio Nakashima, do vereador Aurélio Nomura e do assessor especial da Secretaria de Relações Internacionais, Rodrigo Massi, além de muitos convidados que vieram de longe, como Atsushi Yoshii, de Londrina (PR), e Yasuhiro Yamanaka, de Bastos (SP), e dirigentes de entidades nikkeis.
Na ocasião, foram prestadas as homenagens “Prêmio de Contribuição Social de Hokkaido”; “Prêmio de Contribuição da Amizade Brasil-Hokkaido”; “Prêmio de Colaboração Permanente” e “Prêmio de Colaboração de Idosos”.

Homenagem do Governo a Shimazaki e Norinobu (Aldo Shiguti)

Sonhos – Foi o vice-presidente da Associação Hokkaido, Oston Hirano, que declarou aberta a cerimônia pedindo a ajuda de todos para dar continuidade ao trabalho do kenjinkai. Antes dos discursos, foi feito um minuto de silêncio em homenagem aos antepassados.
Coube ao presidente da associação, Norinobu Ohnuma, abrir a série de discursos. Ele agradeceu a presença da comitiva japonesa, dos políticos e dirigentes de associações e, em especial, aos associados, diretoria, todos os departamentos e a comissão centenária, “que se dedicaram intensamente para que a comemoração fosse coroada de sucesso”.
“Se passaram 100 anos desde a primeira leva de imigrantes que aportaram em Santos e 80 anos de fundação da nossa associação. Foram 100 anos de sonhos, de ambições e perseveranças dos nossos pioneiros, ex-presidentes e muitas pessoas, inclusive da provincia de Hokkaido, com o espírito em preservação cultural e tradição, às duras custas, conseguiram entre outras coisas, construir este centro de intercâmbio, que é um dos nossos orgulhos e será também para as próximas gerações”, disse Norinobu.

Orgulho – Reperesentando todo o povo de Hokkaido, o vice-governador Yusuke Nakano disse que “é uma grande honra ser convidado a esta grande festa no ano que antecede o 125º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre o Japão e Brasil”. O vice-governador lembrou a trajetória dos primeiros imigrantes, que, segundo ele, “superaram diversas adversidades com esforço incansável e pioneirismo neste país tão distante da terra natal de Hokkaido, de língua, costumes e estilos de vida tão diferentes”. “A longa jornada desta luta que os senhores percorreram até agora está muito além da nossa imaginação, e só tenho a render-lhes uma homenagem sincera”, disse Nakano, acrescentando que hoje os descendentes de japoneses oriundos de Hokkaido ocupam papel de destaque na sociedade brasileira, “conquistando sólida confiança da sociedade brasileira, o que enche de orgulho até a nós, que vivemos em Hokkaido”.
Já o presidente da Assembleia Legislativa de Hokkaido, Noritoshi Murata, lembrou que faz cem anos que os primeiros imigrantes de Hokkaido cravaram seus primeiros passos no Brasil, em 1919, (ano 8 da era Taisho), e as famílias imigradas de Hokkaido ao longo de tantos anos, somam cerca de 4 mil famílias com cerca de 20 mil membros, e o número de provincianos de Hokkaido, incluindo o seus descendentes, chegam a cerca de 140 mil pessoas, mais de 10% dos nikkeis brasileiros”.

Autoridades japonesas, diretores e autoridades brasileiras na Exposição dos Bonecos de Neve (Jiro Mochizuki)

Turistas – O cônsul geral do Japão em São Paulo explicou que Hokkaido é uma província muito conhecida no Japão por seus recursos naturais e sua produção agrícola. Segundo Yasushi Noguchi, a região vem recebendo muitos turistas estrangeiros nos últimos anos, principalmente dos países asiáticos, e convidou os brasileiros a conhecerem a província.
“Como experiência, fui diretor da preparação da cúpula do G8 em Hokkaido em 2008. Para preparar essa cúpula contei com a ajuda da população de Hokkaido para obter sucesso e quero agradecer aos cidadãos de Hokkaido. Entendo que essa cúpula deixou um legado de infraestrutura, de tecnologia e informática, além de despertar uma maior consciência em relação ao meio ambiente”, afirmou ele, que lembrou da exposição dos bonecos de neve realizada na associação em 2008. “Ouvi uma história que, há dez anos, Hokkaido colocou aqui mesmo, na sede do Kenjinkai, um boneco de neve e muitos idosos da primeira geração que vieram ao Brasil quando ainda eram crianças, tinham lembrança da neve mas nunca tiveram oportunidade de voltar ao Japão, e ficaram emocionados ao tocarem a neve, pois jamais poderiam imaginar que isso um dia pudesse acontecer aqui do outro lado do mundo”, disse Noguchi, acrescentando que os intercâmbios estão servindo para fortalecer a associação.

Veias – O deputado federal Kim Kataguiri, cuja família é de Nagano, comentou que tem um carinho muito grande por toda a comunidade japonesa. “Trago felicitações do Congresso Nacional para todos aqueles que vieram e sobreviveram à dura realidade do Brasil e conseguiram prosperar, trazendo para o Brasil valores da cultura japonesa como disciplina, trabalho duro e respeito, que até hoje perduram e fazem com que todos os nikkeis sejam respeitados na sociedade brasileira”, afirmou Kataguiri, explicando que “ainda temos muito que transmitir para o Brasil da nossa cultura, de tudo que nós herdamos de nossos pais e de nossos avós, e de tudo que nós herdamos do Japão e que hoje corre nas nossas veias e nas nossas culturas”.
Para o deputado estadual Márcio Nakashima, é “uma honra fazer parte desta solenidade”. “Não é fácil chegar até aqui, 100 anos depois que nossos ancestrais chegaram e estar com uma associação mantendo a cultura que eles trouxeram e com a casa cheia”, comentou Nakashima, que parabenizou a delegação do Japão.

Homenagem Yaeko Urimura e Takeshi Hirao (Aldo Shiguti)

Lavanda – Representando o secretário de Relações Internacionais, Luiz Álvaro Salles Aguiar de Menezes, e o prefeito Bruno Covas, o assessor especial Rodrigo Massi deu boas-vindas à delegação japonesa. “São Paulo se orgulha muito de abrigar a maior comunidade de ascendência japonesa no mundo, comunidade essa que muito contribuiu e que muito tem contribuido para o progresso e para o desenvolvimento de nossa cidade em diversas áreas”. E citou, como exemplo, a gastronomia, as artes, a música, a arquitetura, a política e o comércio entre outras. “Que a exposição do Yuki Daruma, o boneco de neve japonês feito no Japão por jovens estudantes, além de fomentar o turismo entre São Paulo e a cidade de Hokkaido, possa simbolizar o futuro cada vez mais brilhante de nossas relações e de nossas cidades e que elas sejam cada vez mais prósperas, globais, tolerantes sustentaveis”. E finalizou desejando que “os ares dos campos de lavandas dessa linda província japonesa de Hokkaido possam estar cada vez mais presentes na cidade de São Paulo nessa nova Era Reiwa, de beleza harmoniosa”.
Já Aurélio Nomura comparou os 80 anos da Associação Hokkaido “a uma casa construída de tijolos, de trabalho, de dedicação de perseverança, de honestidade, e principalmente, de compaixão”. “Essa é a casa de Hokkaido, que hoje formam 140 mil tijolos aqui no nosso país, todos empenhados em prol do futuro do Brasil. Em todos os setores laboriosos, na Medicina, na Engenharia, dentro da area jurídica, dentro da área empresarial vemos sempre um descendente de Hokkaido lutando, mantendo acesa a chama dos seus pais e dos seus avós que vieram a este país antípoda e com muito trabalho, muita dedicação, com sangue, suor e lágrimas, ajudaram e vem ajudando a construir o nosso país”, afirmou o vereador.

Emoção – Um momento de muita emoção ficou por conta do discurso do diretor secretário da associação, Elio Fujita, que falou sobre a importância do Intercâmbio Brasil-Hokkaido e agradeceu em nome dos brasileiros descendentes de Hokkaido que tiveram oportunidade de participar de um dos programas de intercâmbio promovido pelo governo de Hokkaido.
Ao lembrar de seu avô, que faleceu pouco meses antes de realizar o sonho de retornar ao Japão, Elio Fujita não conteve as lágrimas. E sua homenagem emocionou a todos, inclusive o cônsul Yasushi Noguchi.
Fujita teve oportunidade de realizar o sonho de conhecer a terra de seus ancestrais em 2015 através de uma das modalidades de bolsas oferecidas pela província de Hokkaido. “Mais do que um simples intercâmbio, conhecer Hokkaido foi a mais profunda emoção de viver a vida dos nossos antepassados. Foram pequenos momentos de grandes significados que carregaremos para sempre nas nossas memórias. Até hoje, quando me lembro de toda essa viagem, só me vem uma coisa em mente: saudades”, disse ele, afirmando que “me sinto muito privilegiado de ter nascido nikkeijin”.
“Em minhas veias corre o sangue de Hokkaido, a terra de meus avós. Por isso, ser membro desta associação é um grande orgulho”, disse Fujita, destacando que “todos os ex-bolsistas aqui, sem exceção, são grandes profissionais, graças a esta maravilhosa oportunidade de terem estudado em Hokkaido. Muito obrigado por realizarem o nosso sonho de sentir e ver com nossos próprios olhos como foi a vida dos nossos antepassados. Todos nós que fomos beneficiados pelos intercâmbios estamos comprometidos em sempre contribuir com a nossa associação e nos esforçaremos ao máximo para manter e expandir a cultura de Hokkaido no Brasil, para todas as próximas gerações e cada vez mais fortalecer os elos existentes entre os dois países”, afirmou.

Atsushi Yoshii recebe homenagem em nome dos colaboradores (Aldo Shiguti)

Yoshii – Discursando em nome dos homenageados como colaboradores da associação, Atsushi Yoshii disse que “hoje, o nosso sentimento quando completamos 100 anos de história de imigração no Brasil, é de gratidão aos nossos antepassados”. “Por iniciativa da própria geração de jovens sanseis e yonseis, que gostam e admiram a cultura japonesa, estão se unindo e criando liderança para reavivar as práticas boas da cultura japonesa aliada as coisas positivas da cultura brasileira para fortalecer ainda mais a sociedade nikkeis visando o crescimento com responsabilidade dentro da sociedade brasileira”, discursou.
Ao Jornal Nippak, Yoshii – que estava acompanhado de sua esposa, Kimiko, afirmou que “cem anos de comemoração é sem dúvida uma data muito importante”. Nossa família é descendente da primeira leva de imigrantes que veio aqui juntos em 46 pessoas de uma mesma família”, lembrou Yoshii, explicando que faz questão de, sempre que pode, colaborar para manter acesa a chama trazida pelos imigrantes.
“É uma satisfação muito grande poder prestigiar eventos como esses, que têm um significado muito especial para nós, descendentes, pois nossos ancestrais nos deixaram um legado de coragem, de determinação e de ambição. E que no futuro possamos dar continuidade pois são ensinamentos muito valiosos que fizeram e fazem bem tanto para a nossa vida pessoal como profissional”, observou o empresário.

(Jiro Mochizuki – Aldo Shiguti)

Depois do corte do bolo e do jantar, teve início as apresentações artísticas com a cantora Kaori Wakamoto e o cantor Masaki Hajime.
Na segunda-feira, 26, a delegação japonesa esteve no Palácio dos Bandeirantes onde foram recebidos pelo secretário da Casa Civil, Antonio Carlos Maluf, e pelo assessor especial da Secretaria de Relações Internacionais do governo paulista, embaixador Affonso Massot. O vereador Aurélio Nomura e o chefe de Gabinete Carlos Takahashi, acompanharam a visita.

Comentários
Loading...