ERIKA TAMURA: Exposição da Amanda em Tóquio

Conheci o trabalho da Amanda, em Hamamatsu, Shizuoka. Cidade onde ela nasceu e vive até hoje.
Já escrevi sobre esse tema, mas agora escrevo sob outro contexto…
Pois bem, após eu conhecer o trabalho da Amanda, decidimos (nós da NPO SABJA, Jin Takahashi – curador, e Cíntia, mãe da Amanda), realizarmos a exposição em Tóquio, na Embaixada do Brasil.
E aqui estamos! Estou no meio da exposição, escrevendo esse artigo, tomada por uma emoção imensurável!
Para quem não sabe, Amanda é uma brasileira de 11 anos, diagnosticada como autista (severo), e muito talentosa, uma artista nata, pinta quadros sensacionais! Não consigo achar uma palavra para definir as suas obras, pois todas as palavras parecem pequenas diante dos seus quadros.
A exposição não terminou, mas já posso garantir que foi um sucesso! Primeiro porque, conseguimos levar ao conhecimento do público o talento de Amanda e segundo que, toda a exposição envolveu vários segmentos que foi uma explosão de emoções a cada dia.
Todos os dias, volto para casa e penso, vivi vários sentimentos no mesmo dia. É muito inexplicável, mas vou tentar passar tudo por aqui.
Além do contexto principal em termos a arte da Amanda como o foco da exposição na Embaixada, tivemos o envolvimento de muitas outras atividades, interligadas com o tema “autismo”, e com isso, posso dizer que tivemos um GRANDE EVENTO, com causas, histórias, aspectos, características únicas. Um evento lindo!
Resumindo, desde o primeiro dia, até hoje, não existiu um dia sequer que eu não me emocionasse. Ver o evento sendo montado, tomando forma, depois de 6 meses de preparação, foi emocionante. A cada quadro pendurado na parede, era um “obrigado, Deus”, que eu falava.
Tivemos o coquetel de abertura do evento, quando vi o salão cheio, com as pessoas admiradas com os quadros expostos, pensei: Estou no caminho certo! Até a estrela principal: Amanda, deu o ar da graça na abertura, e foi lindo! Ela percorreu o salão com a maestria única da dona da festa toda!
Tivemos mães, pais, alunos, professores, psicólogos, empresários, enfim, seres humanos, encantados e emocionados pela exposição.
Foi lindo ver um jardim de infância japonês, levando seus alunos para verem as obras da Amanda.
Foi emocionante ver os alunos do projeto “Música sem Fronteiras”, do professor Rafael Kinoshita, se apresentando no local. Para mim, a combinação perfeita! Quadros lindos, com música, os dois executados por brasileiros! Confesso que a cada vídeo que vejo, eu choro!
Choro de emoção, de desabafo, de superação, choro porque eu consegui chegar no coração das pessoas, e fazer com que todos que visitaram a exposição pessoalmente, saíssem de lá com outra cabeça e outros sentimentos!
Missão cumprida? Acho que não, ainda temos um longo caminho… Mas posso dizer, feliz! Esse é o meu sentimento agora, feliz!
Obrigada a todos os envolvidos, que me ajudaram a concretizar esse evento, que parecia impossível, mas conseguimos!

Comentários
Loading...