ERIKA TAMURA: 74 anos da bomba atômica em Hiroshima

Hoje o artigo que escrevo é triste, mas tem que ser falado sim! Pois foi uma das piores tragédias, senão a pior, já acometida em uma guerra. Sei que guerra é guerra, e que em nenhuma há consequências benéficas, mas bomba atômica foi muita covardia.
Fico triste que a juventude japonesa não tem conhecimento profundo do acontecido, a maioria segue a alienação da idade, e não demonstra interesse no passado do Japão.
O museu da paz em Hiroshima, está localizado exatamente no ponto onde caiu a bomba atômica e houve aquela explosão histórica. Um lugar de clima pesado, mas que mesmo no silêncio, fala… Um silêncio que grita!
E essa semana, em Hiroshima, deu-se o Tooro Nagashi, ou seja, uma homenagem aos mortos. É um evento onde lanternas são lançadas no rio, em frente ao museu da paz, para que as almas que ali morreram, sigam seu caminho. Sei que já se passou 74 anos, mas essas almas merecem as lanternas. Esse rio, se ele falasse, ele contaria uma história, e choraria, choraria muito. Pois foi nesse m,esmo rio que, as pessoas com o corpo em chamas, feridas de queimaduras da bomba atômica, se jogavam nesse rio, no intuito de amenizar a dor, e ali mesmo, acabavam morrendo, umas sobre as outras. Está tudo relatado no museu, quem visitou sabe do que estou falando. Eu visitei, mas não consegui ir até o final, parei no meio, com a cabeça doendo, sentindo náuseas, com lágrimas nos olhos e uma dor no peito. Parei, dei meia volta e fiquei horas sentada na beira do rio, olhando para o nada.
O lugar, hoje, é belíssimo, o rio, o jardim, a paisagem, mas o clima pesado está no ar, em tudo… Como pode? É a pergunta que não sai da minha cabeça…
Triste, porém necessário sentir, conhecer, vivenciar e entender toda essa história.
74 anos, para um país milenar, para uma história mundial, nem faz tanto tempo assim. Por isso o clima ali fica latejando, um lugar batizado como “PAZ”, mas que já foi o pior cenário que uma guerra pode provocar (como se houvesse cenário bom, em uma guerra). Mas ali, o clima é de paz, mas é a paz conquistada, depois de muito tempo, a paz que possui o silêncio que fala.
Todos, eu disse todos, que forem ao Japão, precisa conhecer Hiroshima, para entender o que é um país que foi destruído pela guerra, e hoje, está onde está!
O Brasil, nunca passou por guerra, por isso a mentalidade dos povos é diferente. Os brasileiros poderiam conhecer alguns ensinamentos da cultura japonesa e tentar absorver algumas coisas boas, seria enriquecedor.
O Japão tem medo de uma nova guerra? Sim! Já existe muitas sequelas e feridas que ainda podem sangrar a qualquer momento. Isso justifica as atitudes cautelosas do Japão em relação aos conflitos mundiais. Sempre no papel mediano, em que muitos interpretam como “em cima do muro”, onde na verdade, pode ser traduzido como cuidado!

Comentários
Loading...