Entre amigos, Roberto Nishio recebe título de Cidadão Paulistano no Parque Ecológico Imigrantes

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

Por iniciativa do vereador Aurélio Nomura (PSDB), no último dia 4, um sábado de sol, a Câmara Municipal de São Paulo se deslocou até o Parque Ecológico Imigrantes (PEI), no km 34,5 da Rodovia Imigrantes, em São Bernardo do Campo (SP), para uma ocasião muito especial: a Sessão Solene de Entrega do Título de Cidadão Paulistano ao presidente da Fundação Kunito Miyasaka (FKM), Roberto Yoshiro Nishio.
Além do proponente da homenagem e do homenageado e seus familiares – entre eles a esposa, dona Mitiko, as filhas Sandra, Sílvia e Cláudia, e os netos, Gabriela, Fernanda e Gustavo – estiveram presentes o cônsul geral adjunto do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Akira Kusunoki; o vice-presidente da FKM, Osamu Matsuo; o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) e do Hospital Santa Cruz, Renato Ishikawa; o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Eduardo Yoshida; a ex-presidente do Bunkyo, Harumi Goya; o presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Akeo Yogui; o sempre deputado Hatiro Shimomoto; o jurista Kiyoshi Harada; o presidente da Associação Pró-Excepcionais Kodomo-no-Sono e presidente do Conselho Deliberativo do Bunkyo, André Korosue e o e presidente do Comitê Executivo da Comissão para Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa, Yoshiharu Kikuchi, além do delegado da Polícia Federal aposentado e também assainsse como o homenageado, Mario Ikeda, enttre outros.

Nishio com o vereador Aurélio Nomura, a esposa, Mitiko, filhos, netos e genros (Jiro Mochizuki)
Nishio com o vereador Aurélio Nomura, a esposa, Mitiko, filhos, netos e genros (Jiro Mochizuki)

Unanimidade – Todos os que fizeram uso do microfone destacaram a trajetória de Roberto Yoshihiro Nishio, uma “unanimidade” entre a comunidade. Primeiro a discursar, o presidente do Bunkyo lembrou que compartilha com o homenageado alguns de seus trabalhos voluntários. Destacou, como exemplo, a atuação de Roberto Nishio como membro do Conselho Fiscal e do Conselho Deliberativo no Hospital Santa Cruz, instituição presidida por Ishikawa.
“Neste sentido, recentemente, ao comemorarmos os 80 anos de fundação do HSC, Roberto Nishio foi um dos homenageados com a placa de honra ao mérito reconhecendo suas relevantes contribuições”, disse Ishikawa, acrescentando que, no Bunkyo – entidade que também preside – onde Nishio está desde 2003, “colaborou incialmente no Conselho Fiscal e, posteriormente tem contribuído com sua expertise na Comissão Jurídica, incluindo na elaboração dos novos estatutos sociais, bem como participado na fundação e administração de outras entidades, como a Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil e o Instituto Brasil-Japão de Integração Cultural e Social”. “Agora, nesta gestão recém iniciada, sinto-me privilegiado por contar com seu apoio como um de nossos vice-presidentes”, explicou Ishikawa, afirmando que considera Roberto Nishio “um voluntário “verdadeiramente comprometido com as tarefas assumidas”

Renato Ishikawa (Jiro Mochizuki)
Renato Ishikawa (Jiro Mochizuki)

Credibilidade – “Discreto, e sempre bem-humorado, goza de imensa credibilidade e confiança de todos nós. Possui invejável poder para negociação, sempre educado, generoso e gentil no trato com seus parceiros”, enumerou Ishikawa, que citou uma frase dita por Nishio no Jornal Nippak sobre a homenagem em que Nishio diz que “não absorvi bem o fato”. “Sugiro que tente se acostumar com essas merecidas homenagens e concessões de títulos honoríficos. Afinal no último dia 6 de dezembro foi condecorado pelo governo japonês com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata e agora, poucos meses depois, mais uma homenagem, desta vez de Cidadão Paulistano”, disse Renato Ishikawa, que congratulou vereador Aurélio Nomura pela feliz iniciativa, ressaltando a “seriedade e eficiência com que tem desempenhado seu mandato à frente da Câmara Municipal, “um verdadeiro representante da nossa comunidade”.

Harumi Goya (Jiro Mochizuki)
Harumi Goya (Jiro Mochizuki)

Família – Ex-presidente do Bunkyo, Harumi Goya disse que aceitou de “bom grado” o convite da organização para proferir algumas palavras ao homenageado. “De minha vivência com o doutor Nishio, que vai além de quatro ano na presidência do Bunkyo, só conheci qualidades. Muito discreto e sempre bem humrado, Nishio não perde uma oportunidade para exaltar sua família, ou melhor dizendo, suas mulheres”, observou, referindo-se à esposa, dona Mitiko, com quem está casado há mais de 50 anos, e suas filhas, Sandra, Silvia e Cláudia, além das netas Gabriela e Fernanda, e do neto Gustavo.
Entre as qualidades do homenageado, destacou aquela que considera “a mais preciosa e desejável” em um voluntario: o comprometimento com a atividade assumida.
“Assim durante a presidência do senhor Kokei Uehara, de 2003 a 2005, Nishio fez parte da histórica gestão do Conselho Fiscal coordenado pelo deputado Hatiro Shimomoto, que detectou e corrigiu mais de 3 mil procedimentos administrativos contábeis”, lembrou, afirmando que recentemente, Nishio assumiu outro grande desafio ao aceitar a presidência da Comissão de Admistração do Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil.

Osamu Matsuo, vice-presidente da FKM (Jiro Mochizuki)
Osamu Matsuo, vice-presidente da FKM (Jiro Mochizuki)

Respeito – Vice-presidente da FKM, Osamu Matsuo disse que Roberto Nishio vem cumprindo com “muito louvor e empenho os objetivos da fundação” e em nome de todos os colegas e amigos agradeceu o homenageado por sua contibuição em prol da sociedade nipo-brasileira.

Cônsul Akira Kusunoki (Jiro Mochizuki)
Cônsul Akira Kusunoki (Jiro Mochizuki)

Já Akira Kusunoki destacou, entre os grande feitos do homenageado, sua atuação como presidente da FKM, na qual se engajou em projetos sociais como a inauguração do PEI, atuando na preservação da Mata Atlantica.
Proponente da homenagem, Aurélio Nomura iniciou sua fala lembrando que poucas vezes a Câmara Municipal de São Paulo se desloca de suas dependências. “Isso acontece para mostrar a nossa admiração por este projeto de sustentabilidade, de respeito ao meio ambiente e educação ambientral desenvolvidos no Parque Ecológico Imigrantes e que se posiciona hoje como um dos mais importantes projetos ambientais de nosso país”.

Aurélio Nomura discursa durante evento (Jiro Mochizuki)
Aurélio Nomura discursa durante evento (Jiro Mochizuki)

“O fato de trazer esta sessão solene a este belíssimo local também é uma deferência especial da CMSP, através do nosso presidente, Eduardo Tuma, para com o nosso homenageado e amigo no dia de hoje, um dos grandes batalhadores para a concretização deste projeto e, portanto, nada mais natural do que homenageá-lo em próprio habitat”, justificou o parlamentar, destacando que “a história pessoal do nosso homenageado é formado por capitulos que merecem o nosso respeito e a nossa admiração pelo esforço e por sua dedicação”.

Sonhos – “Desde muito jovem ele partiu em busca de seus sonhos e futuro e planejou para si não se acomodar na pequena cidade de Assaí, nome escolhido pelos primeiros imigrantes e derivado de ‘asahi’, que em japonês significa sol nascente. Aos 14 anos começou a trabalhar como escriturário no Banco América do Sul, passando depois por uma ascensão profissional. Seguindo os ensinamentos de seus pais, o nosso homenageado se dedicou muito aos estudos e este, efetivamente, foi o motivo que o trouxe a São Paulo, em 1962, onde se graduou em Direito pela Faculdade Mackenzie”, destacou, lembrando que a FKM é um dos maiores agentes de integração entre o Brasil e o Japão, da comunidade japonesa e também da sociedade de forma geral, e que tem por finalidade priorizar a igualdade de oportunidade e acesso ao conhecimento, colaborar com a promoção da cidadania, do respeito à igualdade, capacitação educacional e técnica, e contribuir com a preservação da identidade nacional – miscigenada e multiétnica para a divulgação da cultura japonesa.

O homenageado com a esposa, dona Mitiko (Jiro Mochizuki)
O homenageado com a esposa, dona Mitiko (Jiro Mochizuki)

E concluiu enaltecendo sua esposa, dona Mitiko, “que sempre esteve ao seu lado nesta trajetória de sucesso, dando-lhe apoio irrestrito nos momentos mais difíceis, não só compartilhando a alegria bem como também educando os filhos com amor, carinho e dedicação”.

Aprendizado – Roberto Yoshihiro Nishio lembrou que, há 57 anos, no mês de janeiro de 1962, veio para São Paulo com o sonho se formar em Direito e prestar concurso para Juiz de Direito.
Graduado em Direito, não seguiu o sonho de ser Juiz de Direito. Relativamente bem encaminhado na vida de bancário, casado e já com perspectiva de formação de uma bela família, optou por ser advogado de empresa. E, assim, começou sua carreira, primeiro, na Companhia América do Sul Crédito, Financiamento e Investimento – Creasul e posteriormente no Banco América do Sul, em que ocupava o cargo de diretor quando o banco foi vendido em 1998. Em seguida, trabalhou por mais três ano num grande escritório de advocacia em São Paulo, até resolver em 2001 se aposentar em definitivo.
“Guardo dessa época de Banco América do Sul boas recordações, muito aprendizado e sobretudos excelentes amigos, alguns deles aqui presentes”, disse, destacando que, “a definitiva aposentadoria durou apenas até 2003, quando fui convidado para colaborar com o professor. Kokei Uehara na Associação para Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, ainda em fase de concepção”.

Nishio discursa durante cerimônia em sua homenagem emoção (Jiro Mochizuki)
Nishio discursa durante cerimônia em sua homenagem emoção (Jiro Mochizuki)

Voluntário – Era o início de sua vida como voluntário e que perdura até hoje. “Desde então presto colaboração nas seguintes entidades: Fundação Kunito Miyasaka, Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo, Instituto Brasil-Japão de Integração Cultural e Social, Aliança Cultural Brasil-Japão, Hospital Santa Cruz, Associação Naguisa e Associação Nikkei de Golfe do Brasil”, explicou Nishio, que lamentou a ausência do professor Kokei Uehara – ele não pôde estar presente à cerimônia por estar se recuperando de um mal súbito.
“E foi nesse meu trabalho voluntário que o vereador Aurélio Nomura encontrou méritos e fundamentos para propor à Câmara Municipal de São Paulo a concessão à minha pessoa do Titulo de Cidadão Paulistano. Todavia, fui eu o maior beneficiário do caminho que trilhei, pois graças as atividades que venho exercendo continuo saudável, mental e fisicamente, e conheci magníficas e generosas pessoas que doam seu tempo à preservação e difusão da cultura, do meio ambiente e à assistência aos mais necessitados”, afirmou Nishio, que agradeceu “profundamente” ao vereador Nomura e à Câmara Municipal de São Paulo pela homenagem. “Estou convicto que o mérito todo desta conquista decorreu do trabalho solidário desenvolvido coletivamente com os voluntários e funcionários das citadas entidades, pois sozinho nada teria sido possível realizar”, disse, acrescentando que “ao pedir para que esta cerimônia fosse realizada neste parque, tivemos como propósito homenagear o vereador Aurélio, em reconhecimento à sua luta pela preservação do meio ambiente, do pouco de área verde que ainda resta em São Paulo, exemplificado em seu projeto do Parque Augusta”.

Agradecimentos – “Espero que no esplendor da Mata Atlântica, também em fase de extinção, encontre Vossa Excelência inspiração e motivação para a continuidade de sua luta. Assim, receber o título de Cidadão de uma das maiores cidades do mundo, sob os acordes maravilhosos de nosso Hino Nacional e do manto protetor de nossa sagrada bandeira, numa cerimônia dedicada a mim e realizada neste Parque Ecológico Imigrantes, traz-me uma indescritível emoção”, concluiu Nishio, que agradeceu à Fundação Kunito Miyasaka, em especial ao Sr. Márcio Takeuchi por ter cuidado de todos os detalhes e providências, à equipe de gestão e manutenção do Parque e dos monitores; às amigas que colaboraram na recepção aos convidados;à Cecília de Arruda, Chefe do Cerimonial da Câmara Municipal de São Paulo, e a sua equipe, ao Chefe de Gabinete do vereador Aurélio Nomura, bem como a toda equipe de assessores e funcionário; a Ary Borsato; aos irmãos Guido e Cyro, e a irmã Emy, cunhadas e cunhados, primos e primas, sobrinhos e sobrinhas, e por último, um agradecimento “apaixonado” à família, em especial à sua esposa, Mitiko, companheira de 50 anos de feliz vida conjugal, às filhas Sandra, Silvia e Cláudia, aos genros Renato e Rubens, e as netas Gabriela e Fernanda e ao neto Gustavo.
“Espero poder um dia ser digno do título que ora recebo e corresponder à confiança do vereador Aurélio Nomura. Envidarei todos os esforços para que assim seja”, finalizou Roberto Nishio.

Comentários
Loading...