Em entrevista ao Nippak, deputado Nishikawa se defende e nega denúncias

Coronel Nishikawa (arquivo)

Investigado pelo Ministério Público de São Paulo sobre um suposto esquema de desvio e lavagem de dinheiro, o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL) disse na tarde desta terça-feira, 6, à reportagem do Jornal Nippak que vai “antecipar sua defesa”. “Vou pedir todos os meus extratos e provar que só recebo o salário da Polícia Militar e daqui [da Assembleia Lesgislativa] e nenhum tostão a mais”, explicou o deputado, que, segundo matéria publicada no jornal “O Estado de São Paulo” “é suspeito de arrecadar parte do salário de assessores do seu gabinete na Assembleia Lesgislativa paulista (Alesp), prática conhecida como ‘pedágio’ ou ‘rachadinha’”.
Segundo a reportagem, dois assessores de Nishikawa também estão sendo investigados. “Não é verdade o que está escrito. Já me defendi no Plenário e quanto mais eu falar mais posso me prejudicar”, comentou Nishikawa, que cumpre seu primeiro mandato como deputado.
Segundo ele, “não é verdade que tenho rachadinha ou que pego 50% dos salários”. “É só pegar os extratos para provar. É uma denúncia que foi feita anonimamente e que o MP acatou”, disse o deputado que, indagado pela reportagem se saberia porque está sendo alvo desta acusação, comentou que recebeu uma pesquisa com “quatro ou cinco candidatos de São Bernardo do Campo e o meu nome aparece com 90% da intenção de votos e os demais somam 10%”. “Depois disso começaram a pegar no meu pé, mas estou falando apenas como suposição”, observou Nishikawa.

Comentários
Loading...