Em encontro com a comunidade, vice-governador Rodrigo Garcia garante apoio ‘incondicional’ à revitalização da Liberdade

(Jiro Mochizuki)

Em jantar com a comunidade nikkei, realizado no último dia 26, no Nikkey Palace Hotel, no bairro da Liberdade, o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), garantiu “apoio incondicional” do governo ao projeto “Caminho do Imperador”, que visa a revitalização do bairro da Liberdade, que, segundo Garcia, “é um pedaço do Japão em São Paulo e no Brasil”.
“Fiquei muito feliz de receber o convite e de vir em meu nome e em nome do governador Doria para nos aproximarmos da comunidade japonesa, que nós respeitamos e sabemos da importância dela para a construção do Brasil que nós temos hoje. Fiquei feliz que a comunidade esteja envolvida em um projeto de revitalização do bairro, que conta com apoio do governador Doria e do prefeito Bruno Covas para que a gente possa transfornar este projeto em realidade”, reiterou Garcia em entrevista exclusiva ao Jornal Nippak.

Convocado pela Acal – Associação Cultural e Assistencial da Liberdade – o encontro contou com algumas das principais lideranças da comunidade nikkei, entre elas o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Renato Ishikawa; o presidente do Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Yasuo Yamada; o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Eduardo Yoshida; o presidente do Conselho Deliberativo do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Yoshiharu Kikuchi; o “sempre deputado” Hatiro Shimoto e os vereadores Aurélio Nomura (PSDB) e Rodrigo Hayashi Goulart (PSD), além do cônsul adjunto Akira Kusunoki e o arquiteto Márcio Lupion, autor do projeto.

Ikesaki: “Precisamos do apoio do Estado e do Município” (Jiro Mochizuki)

Presidente da Acal, Hirofumi Ikesaki lembrou ao vice-governador que ali estavam reunidos “as autoridades que comandam a comunidade nikkei” e pediu “mais entrosamento com os políticos”. Ao falar sobre o projeto de revitalização, que prevê melhorias para o bairro da Liberdade, o empresário destacou que, “para realizarmos tudo que planejamos, necessitamos do apoio dos governos municipal e estadual e também dos empresários através dos incentivos fiscais”.
Lupion lembrou que o projeto, dividido em dez etapas, teve início em 2008 com uma repaginada da Praça da Liberdade e a caracterização da fachada do Bradesco em estilo oriental. Mas parou por aí.

Museu de bonsai – Apaixonado pelo bairro, o arquiteto elogiou a insistência do presidente da Acal em dar prossguimento ao projeto e destacou que as próximas etapas incluem as ruas Galvão Bueno e Tomás Gonzaga, promovendo a padronização de ruas, praças, viadutos, jardins, calçadas, prédios, iluminação e fachadas da região, além de novos toriis nos três viadutos – hoje apenas o Viaduto Cidade de Osaka conta com um portal.
Outra proposta é a construção do primeiro museu de bonsai de São Paulo e de um boulevard. A ideia, disse, é contemplar também a comunidade chinesa com melhorias na Rua Conselheiro Furtado.

O cônsul adjunto Akira Kusunoki (Jiro Mochizuki)

Apoio – O cônsul adjunto Akira Kusunoki lembrou que serviu pela primeira o Consulado do Japão em São Paulo de 2005 a 2008, período que teve oportunidade de trabalhar nos preparativos das comemorações do Centenário da Imigração Japoesa no Brasil. “Lembro que este projeto, Caminhjo do Imperador, teve início nesta ocasião, quando o atual imperador o então príncipe Naruhito, esteve no Brasil para acompanhar a cerimônia oficial. Fico feliz em saber que o senhor Ikesaki está empenhado em dar continuidade a este projeto para revitalizar o bairro”, observou Kusunoki.

Garcia: “A Liberdade já tem uma beleza reconhecida por todos” (Jiro Mochizuki)

Rodrigo Garcia explicou que sua presença no jantar tinha como objetivo “reforçar não só o entrosamento mas também apoiar as ações da comunidade para que a gente possa criar um espaço que represente a importância da comunidade japonesa no Brasil”.
“Tivemos sorte de receber os imigrantes japoneses, que hoje formam a maior comunidade fora do Japão. Os japoneses tiveram uma importância fundamental na história do Brasil e muito nos influenciou, como no respeito com seus semelhantes e na busca incessante pela melhoria e pelos detalhes”, disse, acrescentando que “o bairro da Liberdade já tem uma beleza reconhecida por todos”.
“O projeto vem coroar a dimensão do que representa a comunidade japonesa no Brasil”, explicou Garcia, que deixou claro de que forma o governo estadual pode apoiar o projeto: divulgando e mostrando a eventuais patrocinadores este apoio.
“Não temos recursos disponíveis para isso, mas a presença do governador e do prefeito é importante para conquistar o apoio da iniciativa privada”, argumentou o vice-governador, que, ao Jornal Nippak, revelou que ficou conhecendo o projeto em sua totalidade durante a apresentação feita por Lupion.

O arquiteto Márcio Lupion, autor do projeto (Jiro Mochizuki)

Monotrilho – Rodrigo Garica lembrou que esteve no Japão em 2009, na gestão do então prefeito Gilberto Kssab, quando era seu secretário de Modernização, Gestão e Desburocratização. Em missão oficial, a comitiva – que contava ainda com os secretários Alexandre de Moraes, de Transportes e Serviços; Marcelo Branco, de Infraestrutura Urbana e Obras e Alfredo Cotait Neto, de Relações Internacionais – conheceu as experiências de Tóquio e Osaka com o monotrilho, sistema que viria a ser adotado posteriormente em São Paulo.
“Estivemos também em Kyoto e Nagasaki e constatamos o quanto a sociedade japonesa é avançada. Assim que sair daqui vou ligar para o governador e falar do nosso apoio incondicional ao projeto”, garantiu Garcia.

Comentários
Loading...