Em busca do sonho Olimpico

Marcos, Nanci, Jessica e Cazuo (divulgação)

Todo atleta, de qualquer modalidade esportiva, tem seu objetivo bem determinado, quando ingressam no treinamento de alto rendimento.
Os degraus no tênis de mesa são: Medalha de ouro em eventos de Ligas regionais (iniciantes), depois Campeão Paulista, Brasileiro, Sul-americano, Latino Americano, Pan-americano, Mundial e Olímpico.
Trata-se de um caminho árduo, já que os treinamentos diários em dois períodos, não bastam.
Precisa-se de planejamento, técnicos especializados, infra estrutura, parceiros, participação em eventos, intercâmbios e ser atleta profissional.
Jessica Yamada (30 anos), tem sua última oportunidade de se tornar uma atleta Olímpica, nos dias 24 a 26 de outubro, no Campeonato Pré-Olimpico por equipes, na cidade de Lima, no Peru, e caso sua equipe – formada por Bruna Takahashi e Caroline Kumahara –, não forem campeãs nessa competição, restará ainda mais uma oportunidade, em abril, na cidade de Havana, em Cuba, na seletiva individual – com apenas 4 vagas para toda América Latina.
Neste final de semana, o noivo Cazuo Matsumoto, atleta Olímpico Rio-2016, organizou uma festa surpresa em seu aniversário, evento realizado no clube Itaim Keiko, onde treinam e também dão aulas também pra garotada.
Jessica, que regressou num dia anterior de uma série de participações internacionais em Portugal, Suécia e Alemanha, viaja agora para o Peru, depois para a Copa do Mundo por equipes, em Tóquio, onde será realizado o Torneio Teste Olímpico.

Seiji e Tiyoko Abe, Jessica e Minako (divulgação)

Essa é a dura rotina de uma atleta profissional de seleção brasileira, que conquistou medalhas em todos os estágios acima citados, até no Mundial de Tóquio, em 2014, faltando apenas as Olimpíadas.
Ela fez todo o caminho correto para tal, foi atleta profissional em 6 temporadas na Europa, Liga Francesa, Sueca e Portuguesa, fez estágios na China, Japao, Europa, morou na Franca, Inglaterra, Polonia, e se esforçou dando 100% de sua juventude, para o tênis de mesa.
Se fracassar em seu objetivo, a sua decepção pode ser transformada num presente que o esporte pode trazer. Falar 6 idiomas, conhecer mais de 60 países, ter amigos em todas as partes do planeta, saber enfrentar os tropeços da vida, muita experiência adquirida que a tornou independente, corajosa e com muita sabedoria para ensinar aos seus alunos.
Já e uma vencedora mesmo se derrotada nestas duas competições !!!
Palavras do “paitrocinador”, coruja que tem muito orgulho dessa menina que se transformou num exemplo para os 250 atletas do clube que a formou, Itaim Keiko.
Muito obrigado também aos dirigentes do clube, MInako Takahashi e Kyozo Abe pela oportunidade dada a Jessica Yamada, e a mãezona que sempre a acompanhou, Nanci Toshie, famosa no meio voleibolistico. Estamos na torcida !!!

Comentários
Loading...