Comunidade nikkei, políticos e autoridades lamentam morte de Jooji Hato: um guerreiro

Jooji Hato concedeu entrevista ao Jornal Nippak em 2017 ao lado de Marlene, Andressa e George - arquivo - Aldo Shiguti
Jooji Hato concedeu entrevista ao Jornal Nippak em 2017 ao lado de Marlene, Andressa e George – arquivo – Aldo Shiguti

Faleceu nesta segunda-feira, 28, aos 70 anos, o deputado estadual Jooji Hato (MDB). Segundo informações de sua assessoria, o parlamentar estava em sua residência quando teve uma parada cardiorrespiratória e.foi socorrido por um vizinho e amigo, também médico. Levado ao Pronto Socorro do Hospital Alvorada, não resistiu e veio a óbito.
O corpo foi velado nesta terça-feira (29), no Hall Monumental da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, até às 15 horas, quando foi levado para a cremação no Crematório Vila Alpina.
Deixa a esposa, Marlene, e os filhos George, Alex e Andressa. Os familiares foram confortados por amigos e por lideranças da comunidade nikkei, como a presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Harumi Goya, e o ex-presidente desta mesma entidade, Kihatiro Kita, além de políticos como o governador do Estado de São Paulo, João Doria, o ex-governador Geraldo Alckmin, o ex-presidente da República, Michel Temer, os deputados federais Walter Ihoshi, William Woo e Junji Abe; e os vereadores Aurélio Nomura e Ota, entre outros, que foram prestar sua última homenagem ao guerreiro.
Natural da cidade de Pacaembu, região da Alta Paulista, Jooji Hato se formou em Medicina pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de Misericórdia. Na vida pública, foi sete vezes vereador e duas vezes deputado estadual. Em 2018 tentou seu terceiro mandato mas não foi reeleito.

(Divulgação)
(Divulgação)

Depoimentos – Mas como lembrou o assessor parlamentar Olímpio Kosonoe, “ele morreu fazendo o que mais gosta”, ou seja, ainda estava exercendo a profissão que tanto gostava.
Harumi Goya lembrou que ,Jooji Hato “foi uma das importantes referências da representação política da comunidade nipo-brasileira e exerceu relevante papel na Câmara Municipal de São Paulo e na Assembleia Legislativa de São Paulo”. “Neste momento em que reverenciamos sua memória e seu legado, manifestamos nossa imensa tristeza por seu passamento e pedimos a Deus que ilumine e console seus familiares”, disse.
Para o deputado federal Walter Ihoshi, “nossa comunidade, o Estado de São Paulo e porque não dizer, o Brasil, perdem um incansável e atuante parlamentar”. “O amigo Jooji Hato deixa um um legado de trabalho, dediciação e realizações em prol do nosso Estado e do nosso país”, destacou Ihoshi, explicando que o parlamentar dedicou sua vida em projetos na área de saúde, segurança e defesa dos animais. Jooji Hato, entre outros projetos, foi o autor da lei que proibiu o funcionamento, após 1 da madrugada, dos bares que não têm isolamento acústico. Conhecida como Lei Seca ou Lei do Silêncio, tinha como objetivo reduzir o número de homicídios e garantir harmonia enre os moradores.
O também ex-deputado federal Junji Abe se manifestou nas redes sociais. “Com sentimento de profunda tristeza e saudade, apresentamos à querida família do eminente cidadão brasileiro e homem público de incontestável valor, deputado estadual Jooji Hato, as sinceras condolências pelo seu falecimento! Com certeza, ao lado de Deus, continuará cuidando de todos”, escreveu.
Os colegas Hélio Nishimoto e Pedro Kaká também deram depoimentos ao Jornal Nippak. Como não poderia ser diferente, Pedro Kaká disse que recebeu a notícia “com muito pesar”.
“O Jooji exerceu de forma brilhante sua carreira política, seja atuando na cidade de São Paulo como vereador, seja no Estado de São Paulo, como deputado estadual. Ele atuou de forma digna, de forma corajosa e isso acabou repercutindo em todo Brasil, no meio da colônia japonesa e de todos os populares. Só temos que agradecer pela oportunidade de termos convivido juntos, aprendendo com ele. E ele deixa um grande legado para todos aqueles amantes da vida pública, da política, dos valores éticos, como cidadão, como pai de família, como irmão, como filho e como marido”.
Para Hélio Nishimoto, “o Jooji merece todo nosso reconhecimento pelo trabalho político que prestou durante mais de 30 anos”. “Ele foi um incasável e determinado defensor daquilo que ele considerava ser o melhor para a sociedade. Percebi isso durante o período em que trabalhamos juntos na Assembleia Legislativa. Fica para todos nós um grande legado, um exemplo de dedicação à causa pública. Que Deus esteja com os seus familiares, consolando e fortalecendo suas vidas para continuarem nessa missão”, finalizou Nishimoto.
O filho e vereador George Hato comunicou o falecimento do pai nas redes sociais. “Meus amigo(a)s, com muita dor no coração comunico que hoje, meu papai, o deputado Jooji Hato, foi brilhar longe de nós”. “Estou com o coração dilacerado, mas certo de que agora seu sofrimento acabou. Meu herói, meu ídolo. Um homem honrado que deixa um eterno legado. Neste momento de dor e consternação, peço orações para que sua alma descanse em paz”, postou George.

Comentários
Loading...