Centro de Chado Urasenke e Associação de Ikebana se unem para celebrar o Ano Novo

(Jiro Mochizuki)
(Jiro Mochizuki)

A exemplo de 2018 – quando deu o pontapé inicial para as comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa –, também este ano o Centro de Chado Urasenke do Brasil e a Associação de Ikebana do Brasil se uniram para celebrar a chegada do Ano Novo. Realizado no dia 13, no luxuoso Maksoud Plaza com apoio da Japan Foundation (Fundação Japão) e do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), o Hatsugama (Primeira Cerimônia do Chá do Ano) e Hatsuike (Primeiro Arranjo Floral do Ano) recebeu cerca de 300 convidados que participaram de duas das mais tradicionais artes japonesas.
Estiveram presentes as Diretorias das duas entidades co-realizadoras, o cônsul geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, a presidente do Bunkyo, Harumi Goya; o presidente da Japan House São Paulo, Marcelo Araujo; o presidente do Hospital Santa Cruz Renato Ishikawa; o presidente da Associação Pró-Excepcionais Kodomo-no-Sono, André Korosue; o presidente da Assistência Social Dom José Gaspar Ikoi-no-Sono, Sunao Sato; o presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Akeo Yogui, e o sempre deputado Hatiro Shimomoto, entre outros.

Primeira Cerimônia de Chá do Ano, realizado no Maksoud Plaza, em São Paulo (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)
Primeira Cerimônia de Chá do Ano, realizado no Maksoud Plaza, em São Paulo (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)

Divididos em grupos, os convidados participaram inicialmente da cerimônia de chá numa sala decorada com 12 belíssimos arranjos florais das escolas participantes: Sogetsu Ryu, Shoguetsudo Koryu, Ohara Ryu, Kooguetsu Ryu, Ikenobo Tatibana da América Latina, Ikenobo Kadokai Nambei Shibu, Ikenobo do Brasil e Ikebana Sanguetsu.
Em uma outra sala, onde foi servido o almoço – o cardápio foi a famosa feijoada do hotel – aconteceram a abertura e os discursos. Primeiro a discursar, Soichi Hayashi lembrou que os preparativos para a Cerimônia de Chá de Início do Ano (Hatsugama) e o Shinnenkai (Celebração do Ano Novo) foram realizados pelos professores Erisson Sôson, Lumi Sôyu Takeda, Valderson Sôchi, Carmen Sôka e Marcel Ueno, “brasileiros que vêm praticando o chá com afinco por muitos anos”.

Hayashi expectativa para saber como o chado irá se desenvolver (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)
Hayashi expectativa para saber como o chado irá se desenvolver (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)

Hayashi explicou que “a prática do chá é o treino contínuo do kata, a forma ou molde original, por várias vezes e ao longo de muitos anos”.
“Deste modo vai cultivando-se o mesmo espírito dos antigos chajin”, destacou Hayashi, que citou as palavras do décimo quinto grande mestre da Urasenke, Genshitsu Sen, de 96 anos de idade e que nasceu sob o mesmo signo do horóscopo oriental deste ano, o javali (ou porco). “Ele nos diz que, conforme a pessoa dá o sangue, que em japonês é chi, dar seu empenho na forma, ou seja, no kata, a forma torna-se katachi. O chá desse praticante, a própria forma de esse praticante será moldado, será formado”, observou Hayashi, acrescentando que, “daqui em diante, a fusão do espírito do chá com a cultura e as características da natureza e clima do Brasil me deixam na expectativa de como o chado irá se desenvolver aqui no Brasil”.
Por último, Hayashi fez um agradecimento especial ao professor Carlos Sôju, de 96 anos, também nascido sob o signo de javali, a quem pediu uma salva de palmas.

Erisson “Estamos nos empenhando para elevar nossa espiritualidade” (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)

Já o presidente da Associação de Ikebana do Brasil, Erisson Thompson de Lima Júnior, agradeceu o apoio para as realizações das comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil. “O ano passado foi muito atribulado, mas graças à força que recebemos, em especial dos professores de ikebena e da cerimônia do chá, foi possível comemorarmos os 110 anos da imigração japonesa”, destacou Erisson, que aproveitou a ocasião para agradecer a presidente da Comissão para Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil, Harumi Goya, e também o presidente do Comitê Executivo, Yoshiharu Kikuchi, “pelas valiosas atividades realizadas”.

Harumi Goya “O tempo parece que passa cada vez mais rápido” (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)
Harumi Goya “O tempo parece que passa cada vez mais rápido” (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)

Rápido – Erisson convidou os presentes a vivenciarem duas das mais artes mais tradicionais do Japão, o chado e o kado, e assim receberem todas as energias para a vida diária. “Estamos nos empenhando para que, através da arte possamos aumentar nosso conhecimento e elevar nossa espiritualidade”, observou.
Para a presidente do Bunkyo, “a impressão que dá é que o tempo passa cada vez mais rápido”. “Nem parece que já se passou um ano desde que nos encontramos para celebrar o Ano Novo e a abertura das comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil. Felizmente, graças a colaboração de toda a comunidade foi possível atingir nossas metas”, disse Harumi Goya, lembrando que as comemorações contaram com a presença da princesa Mako.

Yasushi Noguchi destacou a força dos jovens nikkeis (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)
Yasushi Noguchi destacou a força dos jovens nikkeis (Aldo Shiguti e Jiro Mochizuki)

Nova geração – O cônsul também recordou que, no Shinnenkai conjunto realizado pelo Centro de Chado Urasenke do Brasil e Associação Ikebana do Brasil no ano passado, esteve presente o então prefeito da cidade de São Paulo, hoje governador do Estado, João Doria, a quem desejou sucesso como governador.
Noguchi falou sobre as comemorações dos 110º Aniversário da Imigração Japonesa no Brasil, cujas atividades foram coroadas de êxito graças a participação de toda a comunidade nikkei. “Senti a forte presença e contribuição da comunidade nikkei aqui no Brasil. E também contamos com grande apoio dos jovens nikkeis. Tenho certeza que, se depender da força dos jovens, a comunidade japonesa continuará prosperando e suas tradições e sua cultura continuarão sendo transmitidas de geração a geração”, disse o cônsul, que mencionou ainda as mudanças que estão acontecendo tanto no Japão como no Brasil.
“Aqui, no dia 1º de janeiro, o presidente eleito tomou posse e no Japão, Sua Majestade vai abdicar no dia 30 de abril e no dia 1º de maio o principe herdeiro assumirá o cargo de imperador. E também, no Japão, em 2020, teremos as Olimpíadas e Paralímpiadas de Tóquio. Espero contar com o apoio da comunidade nikkei aqui do Brasil para que estes eventos tenham um grande sucesso”, disse Noguchi, afirmando que “o Japão continuará chamando a atenção do mundo neste e no ano que vem”. E esperamos trabalhar juntos para que tenhamos sucesso em 2019 e em 2020.”, finalizou Yasushi Noguchi.

Comentários
Loading...